Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Espiritualidade do Advento

Espiritualidade do Advento

Com o advento a Igreja inicia o novo ano litúrgico.O tempo do advento é tempo de piedosa preparação para o santo Natal. São quatro semanas que antecedem a data magna da encarnação de Deus em nossa história. Neste tempo, a Igreja entoa o cântico de esperança pela chegada do príncipe da paz, o Emanuel (Deus conosco). O refrão: “Vem Senhor, vem nos salvar. Vem sem demora nos dar a paz”, expressa liturgicamente o sentido do advento.

É sentimento do povo que espera ansiosamente a libertação. Este tempo tem dupla característica: Preparação para as solenidades do Natal, nos quais se recorda a primeira vinda do filho de Deus no meio dos homens (advento natalício),simultaneamente,tempo em que, com esta recordação, os espíritos se dirigem para a expectativa da  segunda Vinda de Jesus no fim dos tempos (advento escatológico). A espiritualidade do advento recomenda quatro atitudes cristãs:

a) Atitude de ESPERA: Alegre chegada e amorosa acolhida. A chegada de uma pessoa importante é sempre bem preparada e desejada. Ora, o Senhor Jesus é a pessoa mais adorável em nossa vida e na história. Por isso, a sua chegada merece uma boa e santa preparação.

b) Atitude de RENOVAÇÃO: O advento é tempo de conversão e penitência. A cor roxa usada na liturgia lembra essa atitude. Jesus se encarna para divinizar o homem, ou seja, fazer do homem uma nova criatura. A Igreja recomenda aos fiéis o sacramento da confissão, que é um grande instrumento de renovação espiritual e preparação para o natal.
c) Atitude de ORAÇÃO: A oração é elemento primordial da espiritualidade cristã. Precisamos rezar mais e melhor neste advento em preparação ao Natal do Senhor. Aprender a rezar é aprender a viver. “Vive bem,
quem reza bem” (S. Agostinho). Assim Disse um bispo num  retiro espiritual (D. Angélico): “Quem não reza vira um monstro”.

d) Atitude de CARIDADE FRATERNA: A caridade é a essência do nosso ser e agir cristão. Por isso,devemos sempre rever nossas relações de amizade, de fraternidade, de convivência na família, com os amigos,com os colegas de trabalho e com a vizinhança. A novena do Natal em família, além de ser um momento forte de evangelização de nossas famílias, é um instrumento precioso de aprofundamento de nossas relações de amizades e comunhão fraterna. Costumo afirmar que onde nasce e cresce uma relação de amizade sincera e respeitosa, ali nasce e cresce o reino de Jesus de Nazaré. O ideal cristão é viver,sempre, reconciliado com Deus e com o próximo. Há pessoas que por onde passam, espalham discórdias. Lembre-se: A vida é muito curta para a gente viver odiando as pessoas. Os sentimentos de ódio e vingança não fazem bem ao coração, prejudicam a nossa vida física, emocional e espiritual, tornando-nos pessoas amargas e tristes. É impossível odiar quem você não conheceu ou conviveu com ele (ela). Por isso, ofereça a Jesus neste Natal um coração reconciliado com seus irmãos e amigos. Para tanto, precisamos dar e receber o perdão! Como gesto concreto de amor ao próximo e compromisso com a missão, a Igreja no Brasil, durante o Advento, promove a Campanha da Evangelização, para alavancar a formação dos evangelizadores da nossa Igreja.Tanto as lideranças leigas, como consagradas. Participe da campanha com sua doação! Portanto, não vamos perder o foco do Natal que é o encontro com Jesus, o filho de Deus. Não vamos mergulhar no festival de consumo que ofusca o brilho do Natal. Desejo um Feliz e santo Natal aos nossos leitores e leitoras!
Padre Deusdédit Monge de Almeida –  Vigário Geral da Arquidiocese de Cuiabá e Pároco da Paróquia Coração Imaculado de Maria

Você pode Gostar de:

Liturgia do 13º Domingo do Tempo Comum 27.06.2021

“DEUS NÃO FEZ A MORTE E NEM TEM PRAZER COM A DESTRUIÇÃO DOS VIVOS!” 1.Acolhida …