Página Inicial / Animação Litúrgica / COMEMORAÇÃO DE TODOS OS FIÉIS FALECIDOS

COMEMORAÇÃO DE TODOS OS FIÉIS FALECIDOS

Ano C – XXIII – Nº 1418 – cor roxa – 02/11/2013
COMEMORAÇÃO DE TODOS OS FIÉIS FALECIDOS
DISSE JESUS: TODOS OS QUE O PAI ME CONFIA VIRÃO A MIM,
E EU OS RESSUSCITAREI NO ÚLTIMO DIA.
A celebração de hoje alimenta a nossa fé e a nossa esperança na ressurreição e pode ser feita tanto na Igreja como no cemitério. A equipe, em clima orante, entoa o canto de ambientação.
1 – Ó Deus fiel ouvi a prece, este lamento do coração. Mesmo que as dores nos oprimam, temos em vós consolação.
Vossa presença nos faz viver. Faz-nos sentir a eternidade. Ó Deus da vida, Deus de amor. Amém!
2 – Mesmo que as trevas nos envolvam, sempre mais forte é vossa luz. Mesmo que a morte nos visite, ressuscitado está Jesus.
3 – Vindo Senhor em nosso auxílio. Vinde conosco caminhar. Como os discípulos pela estrada, convosco vamos ressuscitar.
01. ACOLHIDA
Animador(a) – Irmãos e irmãs, é Deus quem nos reúne e nos acolhe para celebrarmos o memorial da paixão, morte e ressurreição de Cristo na Páscoa de todos os fiéis falecidos. Muitos nos precederam no tempo e deixaram-nos uma herança de vida no amor e na fé, no sacrifício e no trabalho. Pela morte, nossa entrada no Reino se dá de maneira plena e definitiva, por graça de Deus. Confiantes na ressurreição para a vida plena, cantemos.
Procissão de entrada conforme costume.
02. CANTO INICIAL
1 – Irei a Ti, ó meu Deus, minha vida mostrarei. Irei a Ti com meus sonhos, como sou, como serei, levando o mundo em meus braços, o mundo que acolherás. Com toda a voz gritarei a verdade da vida no amor.
Vida, vida, vida de Deus em nós. Vida, vida, nosso viver em vós.
2 – Irei a Ti, ó meu Deus, com a minha vocação. Irei a Ti com a terra, o lugar de minha missão, levando minhas fraquezas, contando com teu perdão. Com toda a voz gritarei a verdade da vida no amor.
Presidente – Reunidos pelo amor do Pai, na certeza da vida plena que Ele nos reserva, façamos o sinal da nossa fé. Em nome do Pai…
Presidente – A vós, irmãos e irmãs, paz e fé da parte de Deus, nosso Pai e de nosso Senhor Jesus Cristo. Bendito seja Deus…
03. DEUS NOS PERDOA
Presidente – No dia em que celebramos a vitória de Cristo sobre o pecado e a morte, também nós somos convidados a morrer para o pecado e ressurgir para uma vida nova. Reconheçamo-nos necessitados da misericórdia do Pai. (pausa) Confessemos os nossos pecados, cantando.
1 – Confesso a Deus, Pai todo-poderoso, e a vós, irmãos, confesso que pequei, por pensamentos, palavras, atos e omissões, por minha culpa, tão grande culpa.
Piedade, Senhor, piedade, Senhor, piedade de nós!
2 – E peço à Virgem Maria, aos santos e anjos, e a vós, irmãos, eu peço que rogueis a Deus, que é Pai poderoso, para perdoar a minha culpa, tão grande culpa.
Presidente – Deus da vida, tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. Amém.
– Senhor, tende piedade de nós. Senhor…
– Cristo, tende piedade de nós. Cristo…
– Senhor, tende piedade de nós. Senhor…
04. ORAÇÃO
Presidente – Ó Deus, escutai as preces que hoje vossa Igreja em todo o mundo faz em favor daqueles que partiram desta vida. Vós, que ressuscitastes Jesus, que está à vossa direita, fortalecei nossa esperança e dai-nos crer firmemente na ressurreição dos mortos. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.
05. APRESENTAÇÃO DO LIVRO DA PALAVRA
O leitor apresenta solenemente o Livro enquanto se canta.
Palavra de Deus é vida e amor, é luz que ilumina e ao mundo chegou, vamos acolher num só coração, Palavra da libertação. (bis)
As leituras não estão na sequência. Procure no Lecionário em: Comemorações dos fiéis defuntos.
06. LEITURA DO LIVRO DA SABEDORIA (3, 1-9)
07. SALMO RESPONSORIAL (22/23)
O Senhor é o Pastor que me conduz, não me falta coisa alguma. (bis)
– O Senhor é o pastor que me conduz; não me falta coisa alguma. Pelos prados e campinas verdejantes ele me leva a descansar.
– Para as águas repousantes me encaminha, e restaura as minhas forças. Ele me guia no caminho mais seguro, pela honra do seu nome.
– Mesmo que eu passe pelo vale tenebroso, nenhum mal eu temerei. Estais comigo com bastão e com cajado, eles me dão a segurança!
– Preparais à minha frente uma mesa, bem à vista do inimigo; com óleo vós ungis minha cabeça, e o meu cálice transborda.
– Felicidade e todo bem hão de seguir-me, por toda a minha vida; e, na casa do Senhor, habitarei pelos tempos infinitos.
08. LEITURA DA CARTA DE SÃO PAULO AOS ROMANOS (14, 7-9.10c-12)
09. CANTO DE ACLAMAÇÃO
Aleluia, Aleluia, Aleluia. (bis)
1 – Se com Cristo nós morremos com Cristo viveremos. Se com ele nós sofremos, com ele reinaremos.
10. PROCLAMAÇÃO DO EVANGELHO DE JESUS CRISTO SEGUNDO SÃO JOÃO (6, 37-40)
11. PARTILHA DA PALAVRA
12. PROFISSÃO DE FÉ
Presidente – Confiantes na ressurreição e na vida eterna, professemos a nossa fé, cantando.
Creio em Deus Pai, todo poderoso, Criador do céu e da terra, e em Jesus Cristo, um só seu Filho, nosso Senhor, (todos se inclinam) o qual foi concebido, pelo Espírito Santo, nasceu de Maria Virgem, padeceu sob o poder de Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado, desceu aos infernos e ao terceiro dia ressurgiu dos mortos, subiu aos céus, subiu aos céus, e está sentado à mão direita de Deus Pai todo poderoso, donde há de vir a julgar os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo, na Santa Igreja Católica, na comunhão dos santos, na remissão dos pecados, na ressurreição da carne, na vida eterna. Amém.
13. PRECES DA COMUNIDADE
Presidente – Elevemos ao Pai os nossos pedidos, cantando após cada prece: Ó Senhor, escutai nossa prece!
– Senhor, concedei que a vossa Igreja, guiada pelo Papa Francisco, testemunhe sempre diante do mundo a sua fé no Cristo ressuscitado. Nós vos pedimos.
– Senhor, consolai todos os que choram a morte de seus entes queridos, para que a esperança na vida eterna seja conforto nesta hora de dor e saudade. Nós vos pedimos.
– Senhor, ajudai-nos a viver conforme os ensinamentos do vosso Filho Jesus, para que um dia possamos ter a graça de estarmos reunidos no vosso Reino glorioso. Nós vos pedimos.
Presidente – Rezemos juntos a oração pelos fiéis falecidos.
Ó Deus, que pela morte e ressurreição do vosso Filho Jesus Cristo nos revelastes o mistério da morte, acalmastes nossa angústia e fizestes florescer a semente da eternidade que Vós mesmo plantastes em nós. Concedei aos vossos filhos já falecidos, a paz definitiva da Vossa presença. Enxugai as lágrimas de nossos olhos e dai-nos a todos a alegria da esperança na ressurreição prometida. Que todos aqueles que buscaram o Senhor com o coração sincero e que morreram na esperança da ressurreição descansem em paz. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.
14. APRESENTAÇÃO DOS DONS
Animador(a) – A ressurreição de Cristo foi o centro da pregação dos Apóstolos e é o alicerce de nossa esperança. Nesta celebração da saudade e da vida, apresentemos ao Senhor nossa disponibilidade em acolher a proposta de Jesus e orar sempre pelos vivos e pelos mortos, na esperança da feliz ressurreição.
15. CANTO DAS OFERENDAS
(onde houver Celebração da Palavra)
Eu creio num mundo novo, pois Cristo ressuscitou! Eu vejo sua luz no povo, por isso alegre sou.
1 – Em toda pequena oferta, na força da união, no pobre que se liberta, eu vejo ressurreição!
2 – Na mão que foi estendida, no dom da libertação, nascendo uma nova vida, eu vejo ressurreição!
3 – Na fé dos que estão sofrendo, no riso do meu irmão, na hora em que está morrendo, eu vejo ressurreição!
(onde houver Celebração Eucarística)
As nossas ofertas de vinho e de pão celebram a glória da ressurreição.
1 – O grão que morrera no seio do chão renasce no trigo, tornando-se pão. A uva amassada, pisada, moída, ressurge no vinho, sustento da vida.
2 – O pão e o vinho são hoje memória do novo Cordeiro na sua vitória, sinais da aliança da terra e dos céus. No Corpo e no Sangue do Filho de Deus.
3 – Ao Pai ofertamos também nossa vida, o chão que pisamos, a relva florida, os frutos da terra, por nós cultivados se tornem o Corpo do Ressuscitado.
PAI NOSSO
Presidente – Obedientes à Palavra do Salvador e formados por seu divino ensinamento, ousamos dizer: Pai Nosso…
18. ABRAÇO DA PAZ
Animador(a) – Viver em paz com nossos irmãos e irmãs é construir um novo céu e uma nova terra. Neste espírito, saudemo-nos fraternalmente. (canto à escolha)
19. CANTO DE COMUNHÃO I (se houver)
1 – Vem e eu mostrarei que o meu caminho te leva ao Pai, guiarei os passos teus e junto a ti, hei de seguir. Sim, eu irei e saberei como chegar ao fim; de onde vim, aonde vou, por onde irás, irei também.
2 – Vem, eu te direi o que ainda estás a procurar: a verdade é como o sol e invadirá teu coração. Sim, eu irei e aprenderei minha razão de ser. Eu creio em ti, que crês em mim e à tua luz verei a luz.
3 – Vem eu te farei da minha vida participar, viverás em mim aqui, viver em mim é o bem maior. Sim, eu irei, e viverei a vida inteira assim, eternidade é na verdade o amor vivendo sempre em nós.
4 – Vem, que a terra espera, quem possa e queira realizar com amor, a construção de um mundo novo muito melhor. Sim, eu irei e levarei teu nome aos meus irmãos, iremos nós e teu amor, vai construir, enfim, a paz.
20. COMUNHÃO II
1 – Com meus passos vacilantes, caminharei para Ti. Com meu pranto, minhas lágrimas, caminharei para Ti.
Este coração maravilhoso que tu deste. Este coração foi feito para Ti!
2 – Com angústias e com lutas, caminharei para Ti. Com fracassos e com vitórias, caminharei para Ti.
3 – Com pecados e virtudes, caminharei para Ti. Com tristezas e alegrias, caminharei para Ti.
4 – Com temores e coragem, caminharei para Ti. Com a força da esperança, caminharei, para Ti.
Eles: Ó Pai, eu tentei ser alguém. E descobri que sou teu filho.
Elas: Ó Pai, eu tente ser alguém. E descobri que sou tua filha.
Todos: Ó Pai, nós tentamos ser alguém. E descobrimos que somos teus filhos.
21. ORAÇÃO
Presidente – Deus eterno e misericordioso, que nos criastes para a felicidade eterna, dai a luz e a paz da vossa presença àqueles que já partiram deste mundo e concedei-nos a glória a que nos chamais e a esperança de encontrá-los no céu. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.
Presidente – Dai-lhes, Senhor, o descanso eterno. (3x)
Todos – E brilhe para eles a Vossa luz.
22. BÊNÇÃO
Presidente – O Deus de toda consolação vos dê a sua bênção, Ele que, na sua bondade, criou o ser humano e deu aos que creem em seu Filho ressuscitado a esperança da ressurreição. Amém.
– Deus vos conceda o perdão dos pecados e a todos os que morreram, a paz e a luz eterna. Amém.
– E todos nós, crendo que Cristo ressuscitou dentre os mortos, vivamos eternamente com Ele. Amém.
– Abençoe-vos Deus todo-poderoso: Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.
– Ide em paz e o Senhor vos acompanhe. Graças a Deus.
23. CANTO FINAL
1 – A vida pra quem acredita não é passageira ilusão. E a morte se torna bendita, porque é nossa libertação.
Nós cremos na vida eterna e na feliz ressurreição, quando de volta à casa paterna com o Pai os filhos se encontrarão.
2 – No céu não haverá tristeza, doença, nem sombra de dor: e o prêmio da fé é a certeza de viver feliz com o Senhor.
3 – O Cristo será, neste dia, a luz que há de em todos brilhar; a Ele imortal melodia os eleitos hão de entoar.
PARTILHA DA PALAVRA
Recordamos hoje, de modo especial, os nossos mortos. Uma lembrança de carinho e piedade. A Igreja apoia essa lembrança, para que, ao mesmo tempo em que rezamos pelos mortos, nos lembremos da ressurreição deles e nossa, ou seja, do destino eterno que tem a criatura humana. A Igreja sempre nos ensinou a rezar no Credo: “Creio na comunhão dos santos… e na vida eterna”. O que significa isso? Quer dizer que nós, que peregrinamos nesta terra, estamos em comum união, em comunhão com os que terminaram esta vida, seja os que alcançaram a glorificação, seja os que ainda precisam de purificação. A Igreja sabe e sempre ensinou que a criatura humana não é feita para a morte, mas para a vida. E Jesus foi claro quando disse: “Deus não é um deus de mortos, mas de vivos” (Mt 22, 32). Ou seja, a morte biológica não é o fim do homem. Antes de ressuscitar
Lázaro, Jesus diz a Marta: “Quem crer em mim, ainda que esteja morto, viverá” (Jo 11, 25). Ressurreição não é só uma doutrina a mais na Igreja. Foi o centro da pregação dos apóstolos e é o alicerce da nossa esperança. Tudo é possível, se a morte não é o fim. Apesar da fé, é natural que nos pese a ausência física de pessoas que amamos e já não estão neste mundo. Mas não celebramos nossos mortos como quem lembra de alguém que se foi e nunca mais se verá. Cremos num encontro que está carinhosamente preparado pelo Pai. Mais ainda: cremos que podemos rezar uns pelos outros, vivos e mortos, porque continuamos sendo todos membros da mesma família de filhos e filhas de Deus. E esse é mais um presente bonito que nosso Pai nos dá; Ele guarda todos os que amamos. Um bom modo de celebrar esse amor que nos une aos que já estão em Deus é fazer todo o bem que pudermos, como homenagem a todas as lembranças boas que eles plantaram em nós.

Você pode Gostar de:

16º Domingo do Tempo Comum (18.07)

16º Domingo do Tempo Comum Ano B – cor verde – 18/07/2021 1. Saudação Presidente …