Página Inicial / Notícias / Santa Cecília, padroeira dos músicos

Santa Cecília, padroeira dos músicos

Enquanto ressoavam os concertos profanos das suas núpcias, Cecília cantava, no seu coração, um hino de amor a Jesus, seu verdadeiro Esposo” (Atas de Santa Cecília).
Considerada padroeira dos músicos, Santa Cecília é exemplo de fé e coragem. Diz a história que, no dia das núpcias, a jovem noiva, em meio aos hinos de pureza que cantava no íntimo do coração, partilhou com o marido o fato de ter consagrado sua virgindade a Cristo e que um anjo guardava sua decisão. Valeriano, seu esposo, que até então era pagão, a respeitou, mas disse que somente acreditaria se contemplasse o anjo. Tempos mais tarde, o anjo apareceu-lhe e, por isso, Valeriano se converteu e foi batizado.
Ler a história de Santa Cecília
“Ter Santa Cecília como intercessora é ter a certeza de que a canção, quando cantada com amor verdadeiro, chega não somente ao coração das pessoas, mas também ao coração do próprio Senhor”, partilha a missionária da Comunidade Canção Nova Rosiane Tais.
Para a cantora católica Ziza Fernandes, o que mais chama sua atenção em Santa Cecília é a capacidade de ser coerente com o que acreditava. "Ela foi mártir da verdade, derramando seu sangue por não abrir mão do que acreditava: a crença na Santíssima Trindade”, afirma a cantora, que lançará o CD “EpSegredos” pela Gravadora Canção Nova em breve.
“Quando conheci as catacumbas onde está o corpo de Santa Cecília, para mim foi um momento indescritível. O momento de martírio dela é algo admirável, e é esse tipo de postura que eu preciso ter em minha vida artística: com responsabilidade e compromisso em tudo o que vou fazer”, partilhou Ziza. A cantora diz admirar a coerência e a coragem de sua padroeira: “Santa Cecília foi feminina, delicada e, ao mesmo tempo, determinada. Peço a Deus que me dê forças para que, nas pequenas mortes do meu dia a dia, eu saiba morrer e renunciar ao que for preciso para continuar fiel e responsável diante das coisas que eu digo e acredito”, concluiu Ziza Fernandes.
Para o missionário Ricardo Sá, ter Santa Cecília como padroeira é um contínuo convite à santidade. "A tradição conta que Cecília cantava na hora da morte. Para mim, é um convite a uma vida inspirada num modo novo de viver, num mundo que também me inspira coisas velhas. Uma vez que Cecília morreu cantando, desejo fazer da minha história uma canção nova, assim como é minha vocação. Mais próximo a mim, minha maior inspiração é a vida do monsenhor Jonas Abib.
Reze a "Oração do Músico"
“Deus Todo-Poderoso, que nos destes a vida, os sons da natureza, o dom do ritmo, do compasso e da afinação das notas musicais, dai-nos a graça de conseguir técnica aprimorada em nossos instrumentos, a fim de que possamos exteriorizar nossos sentimentos por meio dos sons.
Permita, Senhor, que os sons por nós emitidos sejam capazes de acalmar nossos irmãos perturbados, curar doentes e animar os deprimidos, que sejam brilhantes como as estrelas e suaves como o veludo. Permita, Senhor, que todo ser que ouvir o som dos nossos instrumentos sinta-se bem e pressinta a vossa presença.”
Santa Cecília, padroeira dos músicos, rogai por nós! Amém!

 

Você pode Gostar de:

Papa: ser cristão é superar discriminações. O batismo confere igual dignidade a todos

“As diferenças e os contrastes que criam separação não deveriam existir entre os fiéis em …