Personalidade do Ano

A revista americana “Time” elegeu o Papa Francisco como personalidade do ano de 2013. Segundo o critério da revista, dois motivos justificaram a escolha: a constante preocupação de Francisco com os pobres da terra e  o questionamento que ele vem fazendo às consciências humanas, no cuidado com a vida! Em relação a Paz no mundo, na mensagem de natal, o Papa Francisco lembrou o sofrimento humano, causado pelas guerras que destroçam e ceifam tantas vidas. Ora, todos sabem que a espiral da violência tende a crescer, quando se busca resolver conflitos com a força das armas. Violência gera violência! Guerra chama guerra! E com a guerra todos perdem. Não há vencedores, só perdedores! Cada vida ceifada é uma perda irreparável para a humanidade.

Acompanhamos, pela mídia, o empenho do Papa Francisco na intermediação do conflito na Síria. Escreveu uma carta aos presidentes dos Estados Unidos e da Rússia, pedindo para que não houvesse o uso da força contra a Síria. Pediu que todos os conflitos fossem resolvidos através do diálogo e da diplomacia. O seu pedido surtiu efeito! Na verdade é preciso dizer que o mundo está carente de líderes!  Sobretudo, líderes que não buscam vantagens econômicas nos conflitos. Vejo que o Papa Francisco vem preenchendo este espaço vazio e se afirmando como um líder espiritual para toda humanidade, apontando para o bem comum, a concórdia e a paz social. É, precisamente, por isso, que a revelação da personalidade e testemunho do Papa Francisco é o melhor que há de ficar deste ano de 2013. Aos 76 anos é descoberto pelo mundo, não tanto pelo prestígio intelectual dos gênios e sábios, mas pela força do seu testemunho de amor, serviço e humildade. São estas virtudes que vem dando brilho ao pontificado de Francisco e vem encantando o mundo.  Além disso, o pontificado de Francisco está indo além das fronteiras do catolicismo e entrando no campo do ecumenismo (diálogo com os cristãos) e do diálogo inter-religioso ( com os não-cristãos) sobretudo, com o Judaísmo e o islamismo. A exemplo de João XXIII, Francisco vem  apontando a linha do ecumenismo como único caminho e resposta às divisões e intolerâncias religiosas. Disse João XXIII: ”Aquilo que nos une é muito maior do aquilo que nos separa ou divide”. Recentemente  Francisco lançou a sua primeira Exortação Apostólica, intitulada: Evangelii Gaudium (A Alegria do evangelho), sobre o anúncio do evangelho no mundo atual. Nessa exortação, o Papa Francisco convoca o mundo católico a descobrir a doce e reconfortante alegria de viver e proclamar o evangelho de Jesus Cristo.  Assim afirmou: “Um evangelizador não deveria ter constantemente uma cara de funeral. Recuperemos e aumentemos o fervor de espírito, a suave e reconfortante alegria de evangelizar, mesmo quando for preciso semear com lágrimas”(E.G.,10). Com certeza, o Papa Francisco, enriquecerá o seu pontificado com o jeito Latino de  viver a experiência religiosa na Igreja, ou seja, ser a igreja da alegria, do calor humano, da acolhida, da bondade e do espírito festivo. O Papa Francisco tem repetido, frequentemente, que deseja uma Igreja mais misericordiosa e menos condenadora! Ele tem demonstrado isto com seus gestos! O último grande gesto de solidariedade cristã foi a celebração do seu aniversário com os moradores de rua, em Roma. Por esse motivo, já vem sendo chamado de o “Papa do povo”. Realmente, o Papa Francisco nos passa a certeza e a convicção de que é possível superar o mal com gestos de bondade.  Para tanto, vem apontando o caminho da simplicidade cristã, da misericórdia e da pobreza evangélica, como meios de santificação e renovação pastoral na Igreja. Pois, a Igreja foi instituída por Jesus, para ser sinal e instrumento de salvação para o mundo. As palavras animadoras e esperançosas do Papa Francisco, já ecoam como  um raio de luz sobre a Igreja e sobre o mundo. A eleição do Papa Francisco, foi um convite à fé na presença e atuação do Divino Pastor na sua Igreja. Por tanto, elevemos a Deus nossas preces na certeza de que o Papa Francisco, há de contar, com a assistência da Divina providência, dando-lhe sabedoria e discernimento pastoral, diante dos ingentes desafios de nosso tempo. Ao Papa Francisco nossa obediência na fé! E, ao Papa Bento XVI, o qual deixou-nos um grande legado de sabedoria teológica e profundos ensinamentos, nossa gratidão eterna! Nossa certeza absoluta, que Jesus Cristo, o Bom Pastor, ajudará o querido Papa e a Igreja, a cumprirem, com amor e coragem, a missão de anunciar a Boa Nova da salvação a todos os povos, testemunhando a caridade para com todos, especialmente aos mais pobres e pequenos deste mundo. Que Deus ilumine e abençoe o Papa Francisco, o qual foi uma mensagem viva de esperança e fé para a humanidade neste ano de 2013! Recomendo, vivamente, a leitura da exortação apostólica “Evangelii Gaudium”, o qual expressa a linha pastoral do seu pontificado. Este documento se encontra nas livrarias Católicas de Cuiabá. Feliz e abençoado ano de 2014 aos nossos anônimos e fiéis leitores!

Você pode Gostar de:

Liturgia – 5º Domingo da Quaresma 21.03.2021.

“GOSTARIAMOS DE VER (CONHECER) A JESUS!” 1.Acolhida Até os gregos querem conhecer Jesus! No íntimo …