Página Inicial / Animação Litúrgica / FESTA DA SAGRADA FAMÍLIA

FESTA DA SAGRADA FAMÍLIA

Ano B  cor branca ou dourada – 28/12/2014
FESTA DA SAGRADA FAMÍLIA, JESUS, MARIA E JOSÉ
SAGRADA FAMÍLIA: MODELO DE AMOR E VIRTUDE
Ano L – Brasília, 28 de dezembro de 2014 – Nº 6
COR LITÚRGICA: BRANCO
Animador: Irmãos, o Natal do Senhor nos recolhe hoje ao redor da Sagrada Família, Jesus, Maria e José: modelo de cada família cristã que, unida no sacramento do Matrimônio e alimentada pela Eucaristia, é sinal e instrumento de unidade. Fiquemos de pé e iniciemos, com alegria, a nossa celebração.
RITOS INICIAIS
1. CANTO DE ENTRADA – REFR.: NASCEU-NOS HOJE UM MENINO, / E UM FILHO NOS FOI DOADO, / GRANDE É ESTE PEQUENINO, / REI DA PAZ SERÁ CHAMADO./ ALELUIA, ALELUIA, ALELUIA, ALELUIA! / 1. Cantai, cantai ao Senhor / um canto novo, um louvor! / Por maravilha tão grande, / um canto novo, um louvor! / Por tal vitória e poder, / um canto novo, um louvor! / Por um amor tão fiel, / um canto novo, um louvor! / 2. A salvação resplendeu, / um canto novo, um louvor! / Justiça apareceu, / um canto novo, um louvor! / Toda a terra contemplou, / um canto novo, um louvor! / Com alegria aplaudiu, / um canto novo, um louvor! / 3. Clarins, violões, tocai / um canto novo, um louvor! / Ao rei Senhor aclamai, / um canto novo, um louvor! / Cante o mar, o universo / um canto novo, um louvor! / Na presença do Senhor, / um canto novo, um louvor!
2. SAUDAÇÃO DO CELEBRANTE – P.: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. TODOS: AMÉM. P.: O Deus da esperança, que nos cumula de toda alegria e paz em nossa fé, pela ação do Espírito Santo, esteja convosco! TODOS: BENDITO SEJA DEUS, QUE NOS REUNIU NO AMOR DE CRISTO.
3. ATO PENITENCIAL – P.: Irmãos e irmãs, reconheçamos as nossas culpas para celebrarmos dignamente os santos mistérios. (Pausa). Senhor, Filho de Deus, que, nascendo da Virgem Maria, vos fizestes nosso irmão, tende piedade de nós. TODOS: SENHOR, TENDE PIEDADE DE NÓS. P.: Cristo, Filho do homem, que conheceis e compreendeis nossa fraqueza, tende piedade de nós. TODOS: CRISTO, TENDE PIEDADE DE NÓS. P.: Senhor, Filho primogênito do Pai, que fazeis de nós uma só família, tende piedade de nós. TODOS: SENHOR, TENDE PIEDADE DE NÓS. P.: Deus de bondade e misericórdia, tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. TODOS: AMÉM.
4. HINO DE LOUVOR – Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens por Ele amados! Senhor Deus, Rei dos céus, Deus Pai todo-poderoso: nós Vos louvamos, nós Vos bendizemos, nós Vos adoramos, nós Vos glorificamos, nós Vos damos graças por Vossa imensa glória! Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito, Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai. Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós! Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica! Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de nós! Só Vós sois o Santo, só Vós o Senhor, só Vós o Altíssimo, Jesus Cristo, com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai. Amém.
5. ORAÇÃO DO DIA – P.: OREMOS: (Pausa) – Ó Deus de bondade, que nos destes a Sagrada Família como exemplo, concedei-nos imitar em nossos lares as suas virtudes para que, unidos pelos laços do amor, possamos chegar um dia às alegrias da vossa casa. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. TODOS: AMÉM.
LITURGIA DA PALAVRA
Anim.: Meus irmãos, é na escuta da Palavra de Deus que os membros da família alimentam os ideais de santidade. Ouçamos atentamente a Palavra de hoje.
6. PRIMEIRA LEITURA (Eclo 3, 3-7.14-17a) – Leitura do Livro do Eclesiástico.
3Deus honra o pai nos filhos e confirma, sobre eles, a autoridade da mãe. 4Quem honra o seu pai, alcança o perdão dos pecados; evita cometê-los e será ouvido na oração quotidiana. 5Quem respeita a sua mãe é como alguém que ajunta tesouros. 6Quem honra o seu pai, terá alegria com seus próprios filhos; e, no dia em que orar, será atendido. 7Quem respeita o seu pai, terá vida longa, e quem obedece ao pai é o consolo da sua mãe. 14Meu filho, ampara o teu pai na velhice e não lhe causes desgosto enquanto ele vive. 15Mesmo que ele esteja perdendo a lucidez, procura ser compreensivo para com ele; não o humilhes, em nenhum dos dias de sua vida: a caridade feita a teu pai não será esquecida, 16mas servirá para reparar os teus pecados 17ae, na justiça, será para tua edificação. Palavra do Senhor. TODOS: GRAÇAS A DEUS.
7. SALMO RESPONSORIAL – (Do Salmo 127/128) – REFR.: FELIZES OS QUE TEMEM O SENHOR/ E TRILHAM SEUS CAMINHOS! / 1. Feliz és tu, se temes o Senhor/ E trilhas seus caminhos!/ Do trabalho de tuas mãos hás de viver, / Serás feliz, tudo irá bem! / 2. A tua esposa é uma videira bem fecunda/ No coração da tua casa; / Os teus filhos são rebentos de oliveira/ Ao redor de tua mesa. / 3. Será assim abençoado todo homem/ Que teme o Senhor./ O Senhor te abençoe de Sião, / Cada dia de tua vida!
8. 2ª LEITURA (Cl 3, 12-21) – Leitura da Carta aos Colossenses.
Irmãos: 12Vós sois amados por Deus, sois os seus santos eleitos. Por isso, revesti-vos de sincera misericórdia, bondade, humildade, mansidão e paciência. 13suportando-vos uns aos outros e perdoando-vos mutuamente se um tiver queixa contra o outro. Como o Senhor vos perdoou, assim perdoai vós também. 14Mas, sobretudo, amai-vos uns aos outros, pois o amor é o vínculo da perfeição. 15Que a paz de Cristo reine em vossos corações, à qual fostes chamados como membros de um só corpo. E sede agradecidos. 16Que a palavra de Cristo, com toda a sua riqueza, habite em vós. Ensinai e admoestai-vos uns aos outros com toda a sabedoria. Do fundo dos vossos corações, cantai a Deus salmos, hinos e cânticos espirituais, em ação de graças. 17Tudo o que fizerdes, em palavras ou obras, seja feito em nome do Senhor Jesus Cristo. Por meio dele dai graças a Deus, o Pai. 18Esposas, sede solícitas para com vossos maridos, como convém, no Senhor. 19Maridos, amai vossas esposas e não sejais grosseiros com elas. 20Filhos, obedecei em tudo aos vossos pais, pois isso é bom e correto no Senhor. 21Pais, não intimideis os vossos filhos, para que eles não desanimem. Palavra do Senhor. TODOS: GRAÇAS A DEUS.
9. CANTO DE ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO – REFR.: ALELUIA, ALELUIA, ALELUIA, ALELUIA! / Que a paz de Cristo reine em vossos corações e ricamente habite em vós a sua palavra.
10. PROCLAMAÇÃO DO EVANGELHO – (Lc 2, 22-40) – CEL.: O Senhor esteja convosco. TODOS: ELE ESTÁ NO MEIO DE NÓS.
 P.: Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas. TODOS: GLÓRIA A VÓS, SENHOR! P.: 22Quando se completaram os dias para a purificação da mãe e do filho, conforme a Lei de Moisés, Maria e José levaram Jesus a Jerusalém, a fim de apresentá-Lo ao Senhor. 23Conforme está escrito na Lei do Senhor: “Todo primogênito do sexo masculino deve ser consagrado ao Senhor”. 24Foram também oferecer o sacrifício – um par de rolas ou dois pombinhos – como está ordenado na Lei do Senhor. 25Em Jerusalém, havia um homem chamado Simeão, o qual era justo e piedoso, e esperava a consolação do povo de Israel. O Espírito Santo estava com ele 26e lhe havia anunciado que não morreria antes de ver o Messias que vem do Senhor. 27Movido pelo Espírito, Simeão foi ao Templo. Quando os pais trouxeram o menino Jesus para cumprir o que a Lei ordenava, 28Simeão tomou o menino nos braços e bendisse a Deus: 29“Agora, Senhor, conforme a tua promessa, podes deixar teu servo partir em paz, 30porque meus olhos viram a tua salvação, 31que preparaste diante de todos os povos: 32luz para iluminar as nações e glória do teu povo Israel”. 33O pai e a mãe de Jesus estavam admirados com o que diziam a respeito dele. 34Simeão os abençoou e disse a Maria, a mãe de Jesus: “Este menino vai ser causa tanto de queda como de reerguimento para muitos em Israel. Ele será um sinal de contradição. 35Assim serão revelados os pensamentos de muitos corações. Quanto a ti, uma espada te traspassará a alma”. 36Havia também uma profetisa, chamada Ana, filha de Fanuel, da tribo de Aser. Era de idade muito avançada; quando jovem, tinha sido casada e vivera sete com o marido. 37Depois ficara viúva, e agora já está com oitenta e quatro anos. Não saía do Templo, dia e noite servindo a Deus com jejuns e orações. 38Ana chegou nesse momento e pôs-se a louvar a Deus e a falar do menino a todos os que que esperavam a libertação de Jerusalém. 39Depois de cumprirem tudo, conforme a Lei do Senhor, voltaram a Galileia, para Nazaré, sua cidade. 40O menino crescia e tornava-se forte, cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava com ele. Palavra da Salvação. TODOS: GLÓRIA A VÓS, SENHOR.
11. HOMILIA
12. PROFISSÃO DE FÉ – Creio em Deus Pai, todo-poderoso, Criador do céu e da terra, e em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor, que foi concebido pelo poder do Espírito Santo, nasceu da Virgem Maria, padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; desceu à mansão dos mortos, ressuscitou ao terceiro dia, subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, donde há de vir a julgar os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo, na Santa Igreja Católica, na comunhão dos Santos, na remissão dos pecados, na ressurreição da carne, na vida eterna. Amém.
13. ORAÇÃO UNIVERSAL – P.: Irmãos e irmãs, na Festa da Sagrada Família de Nazaré, elevemos ao Pai nossas preces por nossas famílias e pelas necessidades do mundo inteiro. Peçamos com fé: Senhor, atendei a nossa prece!
TODOS: SENHOR, ATENDEI A NOSSA PRECE!
1) Pelo Santo Padre, o Papa Francisco, para que, no seu incessante ministério ao serviço dos cristãos e na defesa da família, seja sempre cheio da sabedoria, da consolação e da fortaleza do Espírito Santo, rezemos ao Senhor.
TODOS: SENHOR, ATENDEI A NOSSA PRECE!
2) Pelos legisladores do mundo inteiro, pelos governantes e por todas as pessoas de boa vontade, para que sejam cada vez mais defensores do plano de Deus acerca da família e do Matrimônio, rezemos ao Senhor.

TODOS: SENHOR, ATENDEI A NOSSA PRECE!
3) Pelos filhos que sofrem as consequências da separação dos pais e por aqueles que estão distantes de suas famílias, para que se abram à reconciliação, rezemos ao Senhor.
TODOS: SENHOR, ATENDEI A NOSSA PRECE!
4) Por todos nós aqui reunidos, para que, neste último domingo deste ano, juntos com a Sagrada Família de Nazaré, saibamos dar graças a Deus por todo o bem que Ele nos concedeu neste ano, rezemos ao Senhor.
TODOS: SENHOR, ATENDEI A NOSSA PRECE!
(Preces Espontâneas)
P.: Atendei, ó Deus, os pedidos do Vosso povo e concedei que sejamos fiéis aos ensinamentos do Vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.
TODOS: AMÉM.
LITURGIA EUCARÍSTICA
14. CANTO DE OFERTAS – 1. Sobe a Jerusalém, Virgem oferente sem igual. Vai apresenta ao Pai, teu Menino: luz que chegou no natal. E, junto à sua cruz, quando Deus morrer fica de pé. Sim, ele te salvou, mas o ofereceste por nós com toda fé. / 2. Nós vamos renovar este sacrifício de Jesus: morte e ressurreição, vida que brotou de sua oferta na cruz. Mãe, vem nos ensinar a fazer da vida uma oblação. Culto agradável a Deus é fazer a oferta do próprio coração.
15. P.: Orai, irmãos e irmãs…
16. ORAÇÃO SOBRE AS OFERENDAS – P.: Nós vos oferecemos, ó Deus, este sacrifício de reconciliação e pedimos, pela intercessão da Virgem Mãe de Deus e do bem-aventurado São José, que firmeis nossas famílias na vossa graça, conservando-as na vossa paz. Por Cristo, nosso Senhor. TODOS: AMÉM.
17. ORAÇÃO EUCARÍSTICA II – MR (p. 478) – Prefácio do Natal II – A restauração universal na Encarnação – MR (p. 411) – Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos graças sempre e em todo lugar, Senhor, Pai santo, Deus eterno e todo-poderoso, por Cristo, Senhor nosso. Ele, no mistério do Natal que celebramos, invisível em sua divindade, tornou-se visível em nossa carne. Gerado antes dos tempos, entrou na história da humanidade para erguer o mundo decaído. Restaurando a integridade do universo, introduziu no Reino dos céus o homem redimido. Por essa razão, hoje e sempre, nós nos unimos aos anjos e a todos os santos, cantando (dizendo) a uma só voz:
TODOS: SANTO, SANTO, SANTO…
P.: Na verdade, ó Pai, Vós sois santo e fonte de toda santidade. Santificai, pois, estas oferendas, derramando sobre elas o Vosso Espírito, a fim de que se tornem para nós o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo, Vosso Filho e Senhor nosso.
TODOS: SANTIFICAI NOSSA OFERENDA, Ó SENHOR!
P.: Estando para ser entregue e abraçando livremente a paixão, Ele tomou o pão, deu graças e o partiu, e deu a Seus discípulos, dizendo: TOMAI, TODOS, E COMEI: ISTO É O MEU CORPO, QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS. Do mesmo modo, ao fim da ceia, Ele tomou o cálice em Suas mãos, deu graças novamente e o deu a Seus discípulos, dizendo: TOMAI, TODOS, E BEBEI: ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO POR VÓS E POR TODOS PARA A REMISSÃO DOS PECADOS. FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM. Eis o mistério da fé.
TODOS: ANUNCIAMOS, SENHOR, A VOSSA MORTE E PROCLAMAMOS A VOSSA RESSURREIÇÃO. VINDE, SENHOR JESUS!
P.: Celebrando, pois, a memória da morte e ressurreição do Vosso Filho, nós Vos oferecemos, ó Pai, o pão da vida e o cálice da salvação; e Vos agradecemos porque nos tornastes dignos de estar aqui na Vossa presença e Vos servir.
TODOS: RECEBEI, Ó SENHOR, A NOSSA OFERTA!
P.: E nós Vos suplicamos que, participando do Corpo e Sangue de Cristo, sejamos reunidos pelo Espírito Santo num só corpo.
TODOS: FAZEI DE NÓS UM SÓ CORPO E UM SÓ ESPÍRITO!
P.: Lembrai-vos, ó Pai, da Vossa Igreja que se faz presente pelo mundo inteiro: que ela cresça na caridade, com o papa Francisco, com o nosso bispo Sergio, seus bispos auxiliares e todos os ministros do Vosso povo.
TODOS: LEMBRAI-VOS, Ó PAI, DA VOSSA IGREJA!
P.: Lembrai-vos também dos nossos irmãos e irmãs que morreram na esperança da ressurreição e de todos os que partiram desta vida: acolhei-os junto a Vós, na luz da Vossa face.
TODOS: LEMBRAI-VOS, Ó PAI, DOS VOSSOS FILHOS!
P.: Enfim, nós Vos pedimos, tende piedade de todos nós e dai-nos participar da vida eterna, com a Virgem Maria, Mãe de Deus, São José, seu esposo, com os santos Apóstolos e todos os que neste mundo Vos serviram, a fim de Vos louvarmos e glorificarmos por Jesus Cristo, Vosso Filho.
TODOS: CONCEDEI-NOS O CONVÍVIO DOS ELEITOS!
P.: Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a Vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre.
TODOS: AMÉM.
18. RITO DA COMUNHÃO
19. CANTO DE COMUNHÃO – REFR.: NO PRESÉPIO PEQUENINO / DEUS É HOJE NOSSO IRMÃO E NOS DÁ SEU CORPO E SANGUE / NESTA SANTA COMUNHÃO. / 1. Para os homens que erravam nas trevas, lá do céu resplandece uma luz. Hoje deus visitou nossa terra e nos deu o seu filho Jesus. / 2. Duma flor germinada na terra fecundada por sopro de Deus. Hoje um novo começo desponta e se abraçam a terra e o céu. / 3. Boas novas de grande alegria mensageiros do céu vêm cantar. E aos pastores um anjo anuncia:
Deus nasceu em Belém de Judá. / 4. Para nós nasceu, hoje, um menino do seu povo ele é salvador. Glória a Deus no mais alto dos céus, paz aos homens, aos quais tanto amou.
20. ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO – P.: OREMOS: (Pausa) Concedei-nos, ó Pai, na vossa bondade, que, refeitos com o vosso sacramento, imitemos continuamente a Sagrada Família, e, após as dificuldades desta vida, convivamos com ela no céu. Por Cristo, nosso Senhor. TODOS: AMÉM.
21. ORAÇÃO PELAS FAMÍLIAS – Papa Francisco – 2013
A vós, Sagrada Família de Nazaré, hoje, dirigimos o olhar com admiração e confiança; em vós contemplamos a beleza da comunhão no amor verdadeiro; a vós confiamos todas as nossas famílias; para que se renovem nessas maravilhas da graça. Sagrada Família de Nazaré, escola atraente do santo Evangelho: ensina-nos a imitar as tuas virtudes com uma sábia disciplina espiritual, doa-nos o olhar claro que sabe reconhecer a obra da providência nas realidades cotidianas da vida. Sagrada Família de Nazaré, guardiã fiel do mistério da salvação: faz renascer em nós a estima pelo silêncio, torna as nossas famílias cenáculo de oração e transforma-as em pequenas Igrejas domésticas, renova o desejo de santidade, sustenta o nobre cansaço do trabalho, da educação, da escuta, da recíproca compreensão e do perdão. Sagrada Família de Nazaré, desperta na nossa sociedade a consciência do caráter sagrado e inviolável da família, bem inestimável e insubstituível. Cada família seja morada acolhedora de bondade e de paz para as crianças e para os idosos, para quem está doente e sozinho, para quem é pobre e necessitado. Jesus, Maria e José, a vós com confiança rezamos, a vós com alegria nos confiamos.
RITOS FINAIS
22. BREVES AVISOS
23. BÊNÇÃO FINAL
CANTO OPCIONAL
1. Que nenhuma família comece em qualquer de repente, / que nenhuma família termine por falta de amor. / Que o casal seja um para o outro de corpo e de mente, / e que nada no mundo separe um casal sonhador. / Que nenhuma família se abrigue debaixo da ponte, / que ninguém interfira no lar e na vida dos dois. / Que ninguém os obrigue a viver sem nenhum horizonte, / que eles vivam do ontem, do hoje e em função de um depois. / REFR.: QUE A FAMÍLIA COMECE E TERMINE SABENDO ONDE VAI, / E QUE O HOMEM CARREGUE NOS OMBROS A GRAÇA DE UM PAI. / QUE A MULHER SEJA UM CÉU DE TERNURA, ACONCHEGO E CALOR, / E QUE OS FILHOS CONHEÇAM A FORÇA QUE BROTA DO AMOR. / ABENÇOA, SENHOR, AS FAMÍLIAS! AMÉM! / ABENÇOA, SENHOR, A MINHA TAMBÉM. (BIS) / 2. Que marido e mulher tenham força de amar sem medida, / que ninguém vá dormir sem pedir ou sem dar seu perdão. / Que as crianças aprendam no colo o sentido da vida, / que a família celebre a partilha do abraço e do pão. / Que marido e mulher não se traiam, / nem traiam seus filhos, / que o ciúme não mate a certeza do amor entre os dois. / Que no seu firmamento a estrela que tem maior brilho, / seja a firme esperança de um céu aqui mesmo e depois.

Preparando a Partilha da Palavra
Celebrar a festa da Sagrada Família neste tempo do Natal é compreender a encarnação de Deus na realidade da vida familiar, lugar que deve reinar o amor, o diálogo e o respeito mútuo. A humanidade torna-se a Grande Família de Deus e Ele se revela profundamente humano. O livro do Eclesiástico ajuda a recuperar as raízes e a identidade de um povo ameaçado de perder o sentido da vida. Amar, obedecer e respeitar a fonte da vida, que são os pais, é amar, respeitar e obedecer a Deus, origem de toda a vida. Os filhos, na fase adulta, são convocados a perpetuar a vida e amparar os pais na velhice, quebrando o sistema da sociedade de consumo que só valoriza as pessoas enquanto elas são capazes de produzir. Paulo, na segunda leitura escreve aos colossenses explicando o que uma comunidade precisa para viver em paz e harmonia, conforme os valores do Reino de Deus. Mostra que somos amados por Deus e daí derivam as qualidades a serem cultivadas. Fala da aceitação mútua e do perdão e ressalta o amor como vínculo da perfeição. Convida-nos à ação de graças ao Pai e à convivência fraterna. Lucas nos mostra em seu Evangelho que Jesus encarnou a realidade de seu povo, especialmente a dos empobrecidos. A família de Nazaré cumpre a tradição: apresenta seu filho no templo para a purificação, como todas as famílias. A oferta do par de rolas ou dois pombinhos demonstra que Jesus se apresenta a Deus e à humanidade como pobre. Simeão e Ana representam todas as pessoas que esperam consolação e libertação. E todos nós somos chamados a anunciar a salvação e a paz. A profecia de Simeão significa que a salvação não vem sem conflito e dor. Como são nossas relações familiares? Como os pais tratam os filhos? Como os filhos acolhem os pais? E o diálogo e a compreensão, estão presentes em nossa vida de família? E as nossas famílias, são sinais da presença de Deus em nossas comunidades? As famílias de hoje são bem diferentes das famílias do tempo de Jesus. Passaram por profundas mudanças, mas continuam tendo um lugar importante na vida da pessoa humana. A família deve ser o lugar de acolhimento, carinho e ternura, principalmente com as crianças e os idosos. A família deve ser o espaço: – de preservação das tradições e raízes culturais; – de experiência da vida de oração; – de diálogo entre si, e também aberto às diferentes culturas e religiões; – de buscar a construção da paz; – de vivência da solidariedade com as dores e dificuldades de tantas famílias por uma vida mais digna; – de valorização da pessoa humana, respeitando a individualidade de cada um; – de crescimento com saúde e sabedoria, onde se viva de maneira simples, mas com o essencial; – de aprendizado do perdão e do respeito mútuo; – de colocar-se a serviço do outro e abrir-se à graça de Deus. Estes critérios eram vivenciados pela família de Nazaré. Devemos segui-los como referência para nossa vida de família, pois só assim teremos famílias que educam na fé, para a cidadania, para a solidariedade e para as lutas por uma vida digna. Lembremos sempre que “Deus ama nossas famílias, apesar de tantas feridas e divisões. A presença invocada de Cristo através da oração em família nos ajuda a superar os problemas, a curar as feridas e abre caminhos de esperança. Muitos vazios de lar podem ser atenuados através de serviços prestados pela comunidade eclesial, família de famílias”
(Documento de Aparecida, 119)
LEITURAS DA SEMANA
Seg: Cm Fac de S. Toma´s Becker BMt. 1 Jo 2, 3-11; Sl 95 (96), 1-2a. 2b-3. 5b-6 (R/. 11a); Lc 2, 22-35
Ter: 3ª-. 1 Jo 2, 12-17; Sl 95(96), 7-8a. 8b-9. 10 (R/. 11a); Lc 2, 36-40
Qua:1 Jo 2, 18-21; Sl 95 (96), 1-2. 11-12. 13 (R/. 11a); Jo 1, 1-18
Qui: SOLENIDADE DA SANTA MÃE DE DEUS, MARIA.
Nm 6, 22-27; Sl 66 (67), 2-3. 5. 6 e 8 (R/. 2a); Gl 4, 4-7; Lc 2, 16-21
Sex: Ss Basílio Magno e Gregório Nazianzeno BBDDrs.Mem. 1 Jo 2, 22-28; Sl 97 (98); Jo 1, 19-28
Sab: Santíssimo Nome de Jesus, MFac. 1 Jo 2, 29 – 3,6; Sl 97(98), 1.3cd-4.5-6 (R/.3ª); Jo 1, 1-29-34
Primeira Semana do Saltério

Você pode Gostar de:

16º Domingo do Tempo Comum (18.07)

16º Domingo do Tempo Comum Ano B – cor verde – 18/07/2021 1. Saudação Presidente …