Página Inicial / Notícias / Certificado de Solidariedade

Certificado de Solidariedade

A Paróquia Nossa Senhora Aparecida do Coxipó recebeu no domingo, dia 18 de outubro, da Arquidiocese de Cuiabá e Conselho Arquidiocesano de Solidariedade o “Certificado de Solidariedade”. A cerimônia aconteceu em Missa Solene no período noturno presidida pelo Arcebispo Dom Milton Santos e concelebrada pelo pároco frei Gilberto Bedin na Igreja Matriz.
A entrega foi feita pela equipe de campanhas da Paróquia composta por Diralberto Andrade, Eurípia de Faria, Adalberto Júnior e André, com a presença do Coordenador de Campanhas da CNBB-Regional Oeste 02 e da Arquidiocese de Cuiabá, Luís Lopes e membros do conselho do FAS (Fundo Arquidiocesano da Solidariedade). Conforme Luís Lopes é uma forma de agradecimento à Paróquia e suas comunidades pelas significativas doações do Gesto Concreto das Campanhas da Fraternidade.

Veja abaixo na íntegra o Documento de agradecimento:
MISSA SOLENE – AGRADECIMENTOS – CF
Paróquia Nossa Senhora Aparecida-Cuiabá, 18/10/2015
Reverendíssimo Dom Milton Antonio dos Santos, Arcebispo Metropolitano de Cuiabá,
Reverendíssimo Frei Gilberto Antonio Bedin, Pároco da Paróquia N. Senhora Aparecida,
Demais autoridades presentes,
Irmãos e Irmãs, em Cristo, que participaram desta Celebração, boa noite!
 

É com grande alegria no coração que saúdo a todos, nesta noite de louvor e agradecimento pelos frutos espirituais e materiais da Campanha da Fraternidade de 2015 e das demais que antecederam nos últimos 17 anos.
Dom Milton, esta homenagem que hoje se concede à Paróquia Nossa Senhora Aparecida é o resultado do trabalho e dedicação de todas as comunidades desta Paróquia à Campanha da Fraternidade. Porém, assevero-vos que contribuístes significativamente para este resultado pelo apoio inconteste à Coordenação Arquidiocesana das Campanhas e a motivação disseminada, de vossa parte, a todo o clero da Arquidiocese para uma CF com bons resultados.
Frei Gilberto, é imensurável a nossa gratidão a todas as comunidades desta Paróquia pelo brilhante trabalho de divulgação da Campanha da Fraternidade, resultando em Gesto Concreto, materializado na oferta pecuniária, que retorna na concessão de valores monetários, quando os projetos são aprovados pelo Fundo Arquidiocesano de Solidariedade, advindos de diferentes comunidades da Arquidiocese.
Senhores Conselheiros do Fundo Arquidiocesano e os Membros da Coordenação Arquidiocesana das Campanhas, aqui presentes, este momento é de grande significado para nós, haja vista que reside neste ato o nosso trabalho de capacitação e aprovação dos projetos nos últimos 9 anos.
Irmãos e Irmãs em Cristo Jesus que abnegados exercem o verdadeiro papel de cristãos durante a Campanha da Fraternidade, sintam-se abençoados por este desprendimento em favor do pobre. Pois, a CF que se realiza durante a quaresma, este período significa o tempo de reconciliação, oração, jejum e doação.
A Campanha da Fraternidade é coordenada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), realizada anualmente em todas as Igrejas Católicas e a cada 5 anos, nas Igrejas que fazem parte do CONIC – Conselho Nacional de Igrejas Cristãs, desde o ano 2000. É conhecida em todo o país e reconhecida internacionalmente. Cada edição tem como objetivo despertar a atenção e a solidariedade dos fiéis para um tema de interesse da sociedade brasileira, bem como buscar soluções para os problemas apontados.  Seu objetivo é despertar a solidariedade dos fiéis e da sociedade em relação a um problema concreto que envolve a sociedade brasileira, buscando caminhos de solução. A cada ano é escolhido um tema, que define a realidade concreta a ser transformada, e um lema, que explicita em que direção se busca a transformação.
Desde que fora criada, em 1962 no Rio Grande do Norte, alguns temas já mobilizaram os fiéis a respeito de precariedades em setores como saúde, sistema carcerário, meio ambiente e povos indígenas. Como também contribuíram muito para colocar na pauta da política e das forças vivas da sociedade brasileira grandes injustiças que se tornaram clamores ensurdecedores. Portanto, a Campanha da Fraternidade é um marco histórico na Igreja do Brasil, que tem ajudado financeiramente muitas iniciativas que melhoraram a vida de pessoas simples e carentes neste imenso território nacional.
Por sua iniciativa de trabalho e comprometimento, a Arquidiocese de Cuiabá, nos 18 anos de sistematização da Campanha da Fraternidade obteve como Gesto Concreto a importância de R$ 1.092.487,64, sendo que 40% deste total fora enviado ao Fundo Nacional de Solidariedade (FNS) gerido pela CNBB e 60% ficou na Arquidiocese de Cuiabá, que é gerido pelo Fundo Arquidiocesano de Solidariedade (FAS) desde 2007. Assim, nos últimos 6 anos foram aprovados 53 projetos de diferentes matizes, aos quais destinou-se a importância de R$ 400.852,10. Ressalta-se que em 2014 aprovou-se um projeto oriundo desta Paróquia destinado à capela São Geraldo Magela no Bairro Liberdade. Outros projetos podem ser enviados, pois ainda se tem alguns reais em caixa.
Uma das tarefas dos cristãos é lutar pela libertação integral das pessoas e não apenas por libertação espiritual. No programa de Jesus, em Lc 4,16-21, consta uma libertação política (“libertar os presos”), uma libertação social e econômica (“anunciar uma boa notícia aos pobres”), libertação ideológica (“restituir a visão”), e espiritual (“proclamar o Ano de Graça do Senhor”). Cumpre-nos o dever de promover a Campanha da Fraternidade porque ela contempla todas as dimensões supracitadas.
O Gesto Concreto da CF se expressa na coleta da solidariedade, realizada no Domingo de Ramos. Este Gesto ocorre em âmbito nacional, em todas as comunidades cristãs católicas. Na coleta da Campanha, cada comunidade dá conforme o que pode e cada uma colaborando de acordo com suas possibilidades. A colaboração deve ser generosa, gratuita, solidária e libertadora.
Finalizo citando: Deuteronômio 15, 11; “sempre haverá pobres na terra. Portanto, eu ordeno a você que abra o coração para o seu irmão israelita, tanto para o pobre como para o necessitado de sua terra”; e Gálatas 6, 2; 10; “ajudai-vos uns aos outros a carregar os vossos fardos, e deste modo cumprireis a lei de Cristo. Por isso, enquanto temos tempo, façamos o bem a todos os homens, mas particularmente aos irmãos na fé”; e por último o Papa Francisco “a realidade pode mudar, o homem pode mudar. Procurem ser vocês os primeiros a praticar o bem, a não se acostumarem com o mal e sim, vencê-lo”.
Irmãos e irmãs, “a graça de nosso Senhor Jesus Cristo esteja com vosso espírito”, obrigado e boa noite.
Em seguida, frei Gilberto agradeceu o empenho e dedicação de todas as comunidades no Gesto Concreto e parabenizou a todos pela Paróquia sempre se destacar neste evento tão importante de Solidariedade. Logo após, Dom Milton Santos encerrou a missa com a benção final.
É importante destacar que o Movimento de Jovens da Paróquia SEGUE-ME foi o responsável pela organização da missa. Na Sequência todos foram convidados para uma partilha.
Texto do Jornalista Diralberto Pereira de Andrade
PascomNSAp

http://www.paroquiansacoxipo.com.br/conteudo.php?cid=3464&sid=44

Você pode Gostar de:

Papa: ser cristão é superar discriminações. O batismo confere igual dignidade a todos

“As diferenças e os contrastes que criam separação não deveriam existir entre os fiéis em …