Dia de Finados

VIDA PARA ALÉM DA MORTE 
No dia de finados, reverenciamos nossos entes queridos falecidos, através da oração e visitas aos cemitérios. Assim falou o divino Mestre: “Eu sou a ressurreição e a vida, quem crê em mim ainda que esteja morto viverá” (Jo 11,24). “Todo aquele que crê em mim não morrerá para sempre” (Jo 11, 26).  Porquanto, morte não interrompe a vida, mas transforma a vida. A morte plenifica a vida.  Pois, é o encontro com a plenitude da vida que está em Deus.  Esta nova vida transfigurada, realiza o que de bom a pessoa esperou e nem sempre conseguiu neste mundo. Entretanto, a Vida eterna  começa aqui e agora. O céu é, na verdade, a potencialização daquilo que já na terra experimentamos

Quem vive com Deus neste mundo viverá com Ele na eternidade. Quem vive com  Cristo neste mundo, viverá com Ele na outra vida. Quem na terra faz a experiência do bem, da felicidade, da amizade, da paz e do amor, já está vivendo, em forma precária, mas real, a realidade do céu. Por isso, a hora de amar a Deus e servir os irmãos é agora!  Levaremos em nossa bagagem, o bem realizado ao longo da vida. Sobretudo, a caridade  para com os mais pobres e necessitados. Pois, assim nos dirá o Divino mestre: “Vinde, benditos do meu Pai, recebei por herança o reino preparado para vós desde a fundação do mundo. Pois tive com fome e me destes de comer. Tive sede e me destes de beber. Estive nu e me vestistes” (Mt,25.). Este texto nos ensina que o julgamento final, será sobre o exercício da caridade e amor fraterno. Verdadeiramente, o bem imortaliza e dá perenidade à vida! 

Por isso, precisamos ter um olhar solidário para com os pobres e sofredores deste mundo. Um dia eles nos receberão agradecidos na casa do Pai. Aquele  necessitado que bate a nossa porta, além de testar a nossa caridade cristã, pode se transformar num canal ou instrumento de  nossa salvação. É, é neste sentido que, no dia de  finados, os Vicentinos (as), promovem um  mutirão de coletas nos Cemitérios em favor dos pobres assistidos por eles. Vamos ajudá-los! Ofereçamos orações, súplicas de perdão, sacrifícios e esmolas aos pobres na intenção das benditas e santas almas.

São gestos que agradam a Deus e enobrecem a alma humana, trazendo alegria e conforto espiritual. No dia de finados, a Igreja oferece o santo sacrifício eucarístico de Cristo e eleva a Deus suas orações confiantes pelo sufrágio  de todos os fiéis defuntos, a fim de que descansem na paz  de Cristo. Conceda Senhor, a todos os fiéis defuntos a eterna morada no reino dos céus, porque sois nossa vida e ressurreição!

Pe. Deusdédit  é  Pároco da Paróquia Coração Imaculado de Maria(Cuiabá)

Você pode Gostar de:

Liturgia do 13º Domingo do Tempo Comum 27.06.2021

“DEUS NÃO FEZ A MORTE E NEM TEM PRAZER COM A DESTRUIÇÃO DOS VIVOS!” 1.Acolhida …