Página Inicial / Notícias / Última Catequese do Papa em 2015

Última Catequese do Papa em 2015

Papa dedica última catequese do ano ao Menino Jesus.  
quarta-feira, 30 de dezembro de 2015.
 
Foco da catequese foi a humildade do Menino Jesus, uma graça a ser pedida pelos fiéis, disse o Papa
A última catequese do Papa Francisco em 2015, nesta quarta-feira, 30, foi dedicada ao Menino Jesus. O convite aos fiéis foi para que sigam o exemplo de humildade dado por Jesus.
Papa Francisco observou que a devoção ao Menino Jesus foi muito difundida por santos e santas, como Santa Teresa di Lisieux, conhecida como Santa Teresa do Menino Jesus. São pessoas que souberam viver e testemunhar a “infância espiritual” que se assimila ao meditar a humildade de Deus que se fez pequeno para a humanidade.

“Este é um mistério grande, Deus é humilde! Nós que somos orgulhosos, cheios de vaidade e acreditamos ser grande coisa, somos nada! Ele, o grande, é humilde e se faz menino. Este é um verdadeiro mistério! Deus é humilde. É belo!”.
Toda a vida terrena de Jesus, pontuou o Papa, é revelação e ensinamento e este tempo do Natal é o momento de recordar sua infância. Francisco afirmou que contemplar Jesus Menino é uma necessidade para crescer na fé, embora não se saiba muito sobre esse período de sua vida: após a passagem da apresentação no Templo, os relatos dão um salto para quando Jesus já tinha 12 anos.
“Diante de Jesus somos chamados a abandonar a nossa pretensão de autonomia para acolher, em vez disso, a verdadeira forma de liberdade, que consiste em conhecer quem temos diante de nós e servi-Lo. Ele, menino, é o Filho de Deus que vem nos salvar. Veio a nós para nos mostrar a face do Pai rico de amor e de misericórdia”.
Papa Francisco encerrou a catequese com um convite aos fiéis: “Será belo hoje quando vocês voltarem para casa aproximar-se do presépio e beijar o Menino Jesus e dizer: ‘Jesus, eu quero ser humilde como você, humilde como Deus’ e pedir essa graça”.

Jéssica Marçal – Da Redação CANÇÃO NOVA

Você pode Gostar de:

Papa: ser cristão é superar discriminações. O batismo confere igual dignidade a todos

“As diferenças e os contrastes que criam separação não deveriam existir entre os fiéis em …