Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Liturgia – 33º Domingo Comum

Liturgia – 33º Domingo Comum

 13/Novembro/2016
“Vos me invocareis e Eu hei de escutar-vos!”
1.Acolhida.
Irmãos e Irmãs, o último Domingo do Ano Litúrgico está chegando. A Liturgia reflete o “Final dos Tempos” e os conselhos de Jesus a seus discípulos: “Cuidado, não se deixem enganar!” Com certeza é aviso de Jesus! Não podemos esquecê-lo, fazer de conta que não ouvimos!
Quem tem medo do “Final dos Tempos” (Fim do Mundo), são aqueles que não querem abandonar os caminhos errados do pecado, da corrupção e da exploração dos próprios irmãos. O “Fim do Mundo” vai acontecer, sim, na hora marcada por Deus. Virá como um ladrão (quando menos esperamos) e não haverá astúcia alguma para fugir da justiça divina!

2.Palavra de Deus.
Ml 3,19-20 – O profeta fala para um povo desiludido, frustrado, que, voltando do exílio, não encontrou um mundo novo de justiça e paz. Por isso, o profeta Malaquias fala do “Dia do Senhor” ardente e abrasador, quando não sobrará nem a raiz dos poderosos e corruptos.

2Ts 3,7-12 –Se o mundo vai acabar, por que trabalhar? Cada um de nós deve trabalhar para ganhar o próprio pão e comê-lo com dignidade! “Quem não quer trabalhar, também, não deve comer”! – Conselho do próprio São Paulo.

Lc 21, 5-19 – A morte é certa e o “Fim do Mundo” também! O importante não está na descoberta do dia do Acontecimento, mas o trabalho paciente e perseverante no bem para estarmos todos bem preparados para o encontro com o Senhor! Ser cristão e honesto tem preço, mas Jesus está com aqueles que o seguem com fidelidade!

3.Reflexão.
Em tempo de crise e em datas de Fim de Ano costumam aparecer anúncios de “Fim do Mundo” ou desabafos de pessoas desiludidas afirmando que Deus se esqueceu do mundo! Numa palavra, a nossa fé na Palavra de Deus enfraqueceu e passamos a viver um pouco por conta! Assim fala Jesus: “Cuidado para não serdes enganados (…). Não sigais essa gente!”. O profeta Malaquias afirma: ”Eis que virá o dia abrasador como fornalha, em que todos os soberbos e ímpios serão como palha… tal que não lhes deixará nem raiz, nem ramo! (…) Mas para aqueles que temem o meu nome, nascerá o sol da justiça!” Deus fará, sim, justiça para os seus pobres que viveram honestamente!

O povo da Comunidade de Tessalônica, com o pretexto de que o Fim do Mundo estava próximo ou por preguiça mesmo, viviam na ociosidade e comiam o pão dos outros. Eram preguiçosos mesmo! (Vício de cultura grega!). A esses muito ocupados em nada fazer, Paulo diz: “Em nome do Senhor Jesus, ordenamos que, trabalhando, comam com tranqüilidade o seu próprio pão (…) Pois, quem não quer trabalhar também não deve comer!” Em nosso tempo há muitos desempregados, vítimas da corrupção do Governo, mas há muito preguiçoso que come o pão dos outros, pelo roubo e pela preguiça. Para esses últimos, vale o conselho do Apóstolo Paulo!

Quem medita a Palavra de Deus não se deixa enganar por irresponsáveis, vestidos de homens de Religião! Sejam eles pastores, leigos ou sacerdotes. Jesus não mandou anunciar o “Fim do Mundo”, mas a necessidade da conversão e da vida honesta e aguardar, tranquilamente, a “Vinda do Senhor”. Ele virá com certeza, mas vós não perdereis nem um fio de cabelo de vossa cabeça, pois, “é permanecendo firmes que ireis ganhar a vida!” Recuperemos, portanto, a nossa tranqüilidade, pois, o Senhor cuida de nós, com carinho de pai! Vivamos com dignidade, comendo honestamente o próprio pão.

“Para mim só há um bem é estar com Deus E colocar no Senhor o meu refúgio!
Frei Carlos Zagonel
Fonte: http://www.paroquiansacoxipo.com.br/conteudo.php?sid=44&cid=4160

Você pode Gostar de:

Liturgia do 13º Domingo do Tempo Comum 27.06.2021

“DEUS NÃO FEZ A MORTE E NEM TEM PRAZER COM A DESTRUIÇÃO DOS VIVOS!” 1.Acolhida …