Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Liturgia do 23ºDomingo Comum 04.09.2022

Liturgia do 23ºDomingo Comum 04.09.2022

1.Acolhida
Diz o poeta: “ A vida é uma luta e viver é lutar!” Em nossa vida, precisamos calcular se temos condições de ser um bom discípulo do Senhor, de superar nossa concupiscência e observar as exigências de santidade para seguir a Jesus Cristo!
O Batismo coloca em nosso coração uma semente de santidade, mas que precisa ser cultivada para garantir nossa salvação eterna; do contrário, ela morre deixando-nos com nossos pecados!

2.Palavra de Deus
Sb 9,13-18 – Sem as luzes do Espírito Santo, somos carnais, e nossos pensamentos são tímidos e incertos! As coisas de Deus, nossa vocação e nosso destino eterno, apenas o Espírito Santo pode iluminar-nos e conduzir-nos pelo caminho seguro da salvação eterna!
Fm 9b-10.12-17 – O Apóstolo Paulo, agora, na prisão, converteu um escravo fujão, Onésimo e agora procura devolvê-lo a seu patrão, mas, agora, como convertido a Jesus Cristo: “Ele te foi tirado por um tempo, mas, agora, ele te é devolvido como irmão querido para mim e, com certeza, agora, querido também para você!”
Lc 14,25-33 – A vida cristã tem que ser radical: Amar a Jesus Cristo de todo o coração: “Quem não carrega a sua cruz todo o dia e não caminha atrás de mim, não pode ser meu discípulo!”. É o primeiro cálculo que devemos fazer para entrar na vida eterna: Amar a Jesus Cristo com todo o coração, com toda a alma, com toda inteligência e com toda sua sinceridade!

3.Reflexão
A vida cristã é um tesouro precioso, mas o carregamos em vasos de barro! “O corpo corruptível torna pesada a alma e a tenda de argila oprime a mente que pensa!” É o caso do barro que cheira a terra, a lodo apodrecido, triste herança de nossos pais! E como apreciamos esse corpo, originado do barro da terra e que se tornará pó com nossa morte! Somos filhos de Deus pelo Batismo, mas se não cultivarmos a semente divina, que está em nós, ela morre sem germinar e sem frutificar! Seria pessimismo ou dura realidade de nossa vida humana não cultivada! Calculemos nosso plano de luta contra nossa concupiscência e vamos com humildade e esperança… porque custamos caro para nosso Salvador, Jesus Cristo! Custamos o preço de seu Sangue generosamente derramado na Cruz! Jesus calculou e pagou o preço de nosso resgate – o preço de todo o seu Sangue! Jesus não morreu em vão, pagou o preço de nosso resgate com o seu próprio Sangue! Sejamos dignos deste seu amor gratuito de Jesus!
A vida é uma guerra entre o Bem e o Mal; calculemos bem nossa batalha para sairmos vencedores! Não vivamos “fazendo de conta”, pois estamos numa batalha decisiva entre a vida e a morte! É ganhar ou perder! Não há uma segunda chance! Jesus derramou todo o seu Sangue por nós: Somos salvos pelo Sangue do Filho de Deus! Sejamos dignos desse preço! O prêmio paga a pena, mesmo que devamos deixar tudo para consegui-lo!
O escravo fujão seria condenado à morte! Mas Paulo converte o escravo e o restitui ao patrão primeiro. Este é o caminho da paz mundial: Não o extermínio dos pecadores, mas o amor que converte e salva. Os romanos diziam: “Se desejas a paz, prepare-se para a guerra, para a retaliação!” Este não é o caminho indicado por Jesus! Os caminhos de Deus são os caminhos da misericórdia e do amor sangrento de Jesus! O sangue que redime é o sangue do amor e não da violência e da guerra!

FREI CARLOS ZAGONEL.

 

Você pode Gostar de:

Dom Mário receberá o Pálio Sagrado em outubro

No dia 21 de outubro de 2022, Dom Mário Antonio, Arcebispo Metropolitano de Cuiabá, receberá …