Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Jesus Cristo, Luz e Salvação para todos os povos!

Jesus Cristo, Luz e Salvação para todos os povos!

A Epifania do Senhor é uma importante solenidade dentro do tempo do Natal. É a manifestação de Jesus aos povos da terra e suas culturas, representados pelos magos. Não porque faziam mágicas ou feitiçarias, mas porque estudavam os astros. Eram sábios astrólogos. Eles não eram Judeus. Vinham de outros povos à procura dos Rei dos Judeus. São venerados como os santos Reis.

O profeta Isaias anunciou a universalidade da salvação quando disse: “Levanta os olhos ao redor e vê: todos se reuniram e vieram a ti; teus filhos vêm chegando de longe com tuas filhas, carregadas nos braços (Is. 60,4); E o salmo 97 que diz: “Todos os povos proclamarão a salvação que vem de Deus”. Em Jesus se realiza esta profecia.

Os povos e suas diferentes culturas, são dados como herança Àquele que é o Rei dos Reis. Por isso, é imprescindível, hoje, a valorização das culturas no processo evangelizador e o reconhecimento de que a semente de Deus está escondida em todas as culturas humanas. Na verdade, Jesus é a medida de todo homem e, portanto, também da sua cultura. Ele que se encarnou na cultura de seu povo, traz para cada cultura histórica o dom da purificação e da plenitude. Ele é a luz e salvação dos povos da terra.

Assim proclama o Concílio Vaticano II: “A Igreja trabalha de maneira tal que tudo o que de bom se encontra no coração e na mente dos homens ou nos próprios ritos e culturas dos povos, não só não desapareça, mas seja sanado, elevado e aperfeiçoado para a glória de Deus” (Lumen Gentium, n.17). Deus quer, portanto, que todos os povos e suas culturas sejam restauradas em seu Filho. (Cfr.1Tim 2,4). Os Magos, distantes e afastados, são, também, atraídos ao berço de Jesus. Oferecem seus tesouros, seus valores mais preciosos, como presentes a Jesus: Ouro (Belchior), incenso (Gaspar) e mirra (Baltazar). Numa interpretação simbólica: O Ouro, representa a realeza divina de Jesus. O Incenso, é o reconhecimento da divindade de Jesus. Ele é mesmo o filho de Deus. Mirra, substância amarga, que anuncia o sofrimento redentor de Jesus, através de sua paixão e morte.
O Messias, Filho de Deus, é salvador de todos os povos. Todos são chamados a ser filhos no Filho enviado. Basta crer no recém-nascido de Belém e aceitá-lo pela fé. Os Magos captaram numa estrela, aquilo que as autoridades de Jerusalém, muito próximo de Belém, não conseguiram captar. Foram iluminados pela fé. Eles chegaram em Jerusalém indagando: “Onde está o Rei dos Judeus que acaba de nascer?” Herodes, o sanguinário, e sua corte, ficaram alarmados com o questionamento dos Magos. Que todos nós saibamos captar os sinais da presença de Deus nos fatos, acontecimentos e situações da vida.

A estrela pode ser alguém que cruza nosso caminho e nos orienta em nossa busca de Deus. Cada pessoa tem diante de si a estrela–guia. Que o Rei das nações, possa, hoje, despertar nas mentes adormecidas, o espirito de adoração a Deus, como outrora despertara nos Magos. Porquanto, a busca dos Magos é, também, a busca e o anseio profundo de todo ser humano neste mundo marcado pelo secularismo, pelo indiferentismo, pelo hedonismo e pela ânsia de consumo. Os Magos foram transformados no encontro com Jesus e retornaram por outro caminho. Foram transfigurados, por isso, buscaram novos caminhos! Deixemo-nos guiar pela luz de Deus neste ano! Feliz e abençoado ano de 2024!

Artigo: Pe. Deusdédit de Almeida

Cura da Catedral Basílica do Senhor Bom Jesus de Cuiabá e Vigário Geral da Arquidiocese

Você pode Gostar de:

CNBB lança edital do Concurso para Letra e Música da CF 2025

CNBB LANÇA EDITAL DO CONCURSO PARA A LETRA E A MÚSICA DO HINO DA CAMPANHA …