Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Liturgia – Solenidade Cristo Rei do Universo 26.11.2017

Liturgia – Solenidade Cristo Rei do Universo 26.11.2017

“Bendito é aquele que vem vindo…Em nome do Senhor!”

1.Acolhida.
Jesus, ressuscitado, é bendito na sua vinda gloriosa como Juiz para distribuir a Justiça em favor de todos aqueles que acreditaram na sua Palavra: “Aquele que vocês viram subindo ao céu, virá da mesma maneira para completar sua obra!” Nada e ninguém o impedirá de completar a obra que o Pai lhe confiou! Ele morreu na Cruz, mas está vivo e foi constituído Senhor e Juiz do Universo.
A Igreja organizou a Liturgia para o Culto em três anos consecutivos, propondo-nos a meditação de toda a Vida e Obra de Jesus: Em cada Domingo somos alimentados pela Palavra e colocados no caminho da salvação – no Caminho de Jesus, nosso Salvador.

2.Palavra de Deus.
Ez 34, 11-12.15-17 – O Povo de Israel, por negligência de seus pastores, afastou-se da Palavra de Deus, e terminou no Exílio na Babilônia. Ezequiel é o Profeta que acompanhou o Povo no exílio, onde anunciou o perdão e a libertação. Deus é bom!

1Co 15,20-26.28 – Pelo pecado de Adão e Eva, todos estamos no exílio, longe de Deus; mas pela virtude de Jesus Ressuscitado, todos fomos perdoados e alegrados com a promessa de nossa ressurreição, igualmente, gloriosa como a Ressurreição de Jesus!

Mt 25,31-46 – No “Final dos Tempos”, Jesus voltará glorioso para completar a sua obra distribuindo a justiça divina a todo o universo. O Julgamento Final é tão certo quanto à morte individual (…) “e seremos julgados a respeito do amor”, disse o poeta.

3.Reflexão.
Jesus subiu ao céu e sentou-se à direita do Pai! O Papa, Leão Magno, disse: “O Verbo de Deus, ao fazer-se carne, não abandonou a sua divindade e, ao voltar com sua carne glorificada para junto do Pai, não abandonou a humanidade que assumiu no seio de Maria!” Ele voltará glorioso para garantir a glória para todos os seus discípulos que acreditaram na sua Palavra. O “Julgamento Final” não é um ajuste de contas, mas a revelação plena de sua fidelidade ao Projeto que o Pai lhe confiou. Muito mais que julgamento é revelação de sua fidelidade no amor infinito pela criatura humana!

O julgamento de Jesus não será surpresa! Fomos prevenidos pelo próprio Jesus que nos indicou, inclusive, o tema do julgamento – O Amor por nossos irmãos! É suficiente escutar atentamente a proclamação do Evangelho na Festa de Cristo Rei! É claro o que nos fará sentar ao lado de Cristo!

Os Mandamentos de Deus não são caprichos de Deus, são caminhos seguros de salvação: Quem ama o irmão, especialmente, o pobre, será salvo: “O que ama o seu irmão, permanece na luz e não corre perigo de tropeçar. Mas o que odeia seu irmão, está nas trevas, caminha nas trevas, e não sabe aonde vai, porque as trevas ofuscaram o seus olhos!”.

O amor é o nosso DNA! Quem não ama não realiza sua natureza, deixa de ser uma criatura “feita à imagem e semelhança de Deus”. É um abortivo, destinado ao lixo (à condenação)!

Frei Carlos Zagonel

http://www.paroquiansacoxipo.com.br/conteudo.php?sid=44&cid=4847

Você pode Gostar de:

Na solenidade da Imaculada Conceição, Papa reza o Ângelus com os fiéis

Em sua reflexão, Papa destacou Maria como cheia de graça e sempre jovem, uma vez …