Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Liturgia – 25º Domingo Comum 24.09.2019

Liturgia – 25º Domingo Comum 24.09.2019

‘PRESTA CONTAS DE TUA ADMINISTRAÇÃO!”
1.Acolhida
Jesus convida-nos para a celebração da Eucaristia Dominical; não é cumprimento de um dever religioso! É oportunidade de um encontro pessoal com o Mistério de Jesus. Somos convidados para ouvir/escutar a Palavra de Deus, tomar consciência do seu Projeto e tornar-nos discípulos de Jesus!
No Evangelho encontramos a “Parábola de Administrador infiel. O patrão, o dono da fazenda, elogia o administrador, considerando sua astúcia: Aceitou perder o seu lucro pessoal na negociação em troca do emprego e garantir uma melhor sorte junto aos seus clientes. “Estes, caso seja despedido, vão receber-e em suas casas!” De fato, segundo Jesus, “os homens são mais criativos na administração dos bens materiais do que os cristãos nos bens espirituais”.
Os bens materiais duram pouco, passam de pressa, mas os bens espirituais duram para sempre e nos acompanham depois da morte, vão conosco até a “Casa do Pai celestial!” (na eternidade). Cuidemos, portanto, de nossos bens espirituais!

2.Palavra de Deus
Am 8,4-7 – Amós é um profeta da roça, mas conhece as malícias dos negociantes da cidade! Os profetas de Deus não podem ser ingênuos, deixando-se enganar facilmente pelos poderosos negociantes da cidade. Quase sempre são operários da opressão e da exploração!
1Tm 2,1-8 – O Apóstolo Paulo conhece bastante bem o ambiente em que seu discípulo, Timóteo, reside e trabalha. Recomenda-lhe calma e serenidade suficientes para ter a coragem de rezar pelo mundo inteiro, inclusive, pelos governantes que perseguem os cristãos condenando-os à morte!
Lc 16,1-13 – O elogio, que se encontra na parábola, contada por Jesus, não é dele, mas do dono da fazenda! O administrador, chamado a juízo, revelou prudência e sabedoria comercial: aceitou perder o seu lucro (legítimo, embora, excessivo), e lutou para não perder o emprego. Mas, na hipótese pior, se perdesse o emprego, os seus clientes o receberiam em suas casas! Ele não foi justo perante Deus (pecado da ganância), mas tentou salvar o seu futuro: emprego ou acolhida na casa de seus clientes, agora, favorecidos!

3.Reflexão
Amós é um profeta da roça: criava bois e cultivava sicômoros (uma espécie de árvore). Era natural da zona Sul da Palestina – Reino de Judá – e foi mandado profetizar no Reino do Norte – Reino da Samaria, reino rico por causa de seu comércio. A riqueza esvaziou sua alma e fez grandes passos na injustiça social! A profecia de Amós é rude e causticante como a soda! Queimava como a soda e derretia até os ossos! A riqueza havia pervertido o coração do povo, que suportava a contragosto os dias festivos que lhe proibiam o comércio desleal e explorador da ignorância do povo simples, falsificando os pesos das balanças e vendendo até os refugos do trigo! Mas, Deus lhes disse: “Nunca mais esquecerei o que fizeram contra os pobres!”
O Apóstolo Paulo recomenda a seu discípulo Timóteo viver com calma e serenidade, rezando em favor das autoridades, pois é bom e agradável a Deus, nosso Salvador. Ele quer que todos os homens sejam salvos e cheguem ao conhecimento da verdade (…). Quero, portanto, que em todo lugar, os homens façam oração, ergam as mãos santas, sem ira e sem discussão!” Irmão/irmã, como deveríamos traduzir o conselho de Paulo para nossas comunidades? Seria necessário rezar, também, para nossas autoridades públicas? Haveria alguma semelhança entre a realidade do tempo de Paulo e a nossa realidade atual? Certamente, não há muita diferença! Mas ontem e hoje, Deus quer a salvação de todos e o conhecimento da verdade, também, para os ladrões dos bens públicos de nosso Brasil. Rezemos, portanto, com fé e devoção e aguardemos a justiça de Deus que conhece até o íntimo mais profundo de nosso coração! Ele é paciente e misericordioso para com todos!
Jesus contou a “Parábola do administrador desonesto; “Que ouço dizer a seu respeito? Presta conta de sua administração!” O administrador injusto recebeu elogio do patrão, pois preferiu perder o seu lucro exagerado tentando salvar seu emprego e conseguir o apoio dos clientes. Na pior sorte, ele seria recebido por seus clientes!
E Jesus diz com firmeza: “Como é difícil um rico entrar no Reino dos céus!

“Ninguém pode servir a dois senhores.Vós não podeis servir a Deus e ao dinheiro!”
Frei Carlos Zagonel.

Você pode Gostar de:

Santa Dulce dos Pobres

Santa Dulce dos Pobres: Vaticano declara Irmã Dulce como a primeira santa nascida no Brasil. …