Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / 5º DOMINGO DE PÁSCOA 14.05.2017.

5º DOMINGO DE PÁSCOA 14.05.2017.

5º DOMINGO DE PÁSCOA 14.05.2017.
“Eu sou o Caminho, a Verdade e a vida!”

1.Acolhida.
A Igreja é como uma semente de mostarda: ela germina e cresce até tornar-se uma árvore; e no seu crescimento há ramos que secam e são substituídos por outros. Ela é um ser vivo e toma formas oportunas ao longo do tempo sem negar sua autenticidade e originalidade recebida de Jesus! Há devoções e ministérios que já desapareceram e existem inovações suscitadas pelo Espírito Santo. A Igreja é uma semente divina e uma árvore que se renova no correr do tempo. Nós somos a Igreja, estamos na Igreja e conhecemos tão pouco da Igreja! É, verdadeiramente, uma pena não conhecermos o presente que o próprio Jesus deu ao mundo! Precisamos caminhar com a Igreja!

2.Palavra de Deus.
At 6,1-7 – A Comunidade de Jerusalém tinha uma só alma e um só coração, mas o pecado da divisão logo se manifestou. Foram, então, instituídos os Diáconos para o serviço aos mais frágeis! A Igreja é, ao mesmo tempo, santa e pecadora e o Espírito Santo a conduz pelas estradas da vida!

1Pd 2,4-9 – A Igreja é obra do próprio Deus que a construiu sobre a rocha fundamental de Jesus Cristo. Ele é o fundamento da Igreja: “É a pedra que os construtores rejeitaram, mas que se tornou a pedra angular (fundamental).”

Jo 14,1-12 – No Evangelho, Jesus se apresenta como Caminho, Verdade e Vida. Quem está com Jesus, está no caminho certo; fora d’Ele… é perdição certa!

3.Reflexão.
A Igreja é obra de Jesus. É peregrina e, ao longo de sua caminhada, ela é construída pelo Espírito Santo. Recebe dons, graças e serviços para cumprir sua missão. Ela é santa, por sua origem, e pecadora, por sua humanidade. A marca do pecado é nossa, mas Deus dá-lhe a santidade de seu Filho Jesus!

A Comunidade de Jerusalém compõem-se judeus nativos e de judeus que viveram fora da Palestina. Cada grupo lutava por suas características culturais e religiosas. Não formaram uma comunidade dotada de uma só alma e de um só coração. Era uma Igreja a caminho, mas necessitada de conversão! Não nos apressemos em condená-la! Procuremos descobrir quantas divisões existem em nossas comunidades, e como somos necessitados de conversão para sermos a Igreja Santa de Jesus!

O Apóstolo Pedro descreve a Igreja como um templo, construído com pedras preciosas e diferenciadas, no qual os cristãos exercem um verdadeiro sacerdócio e oferecem sacrifícios agradáveis a Deus Pai. Os templos materiais, embora, bem construídos, perdem valor e o templo apreciado por Deus é a comunidade composta por seus discípulos! Não tenhamos orgulho de nossas igrejas materiais! Construamos comunidades enriquecidas de amor e sempre prontas a servir ao Povo e glorificar a Deus Pai.

O serviço maior da Igreja é revelar o caminho de Jesus. O Caminho é o próprio Jesus. Você quer chegar até Deus e salvar-se, caminhe como Jesus, e revele em seu próprio rosto humano. o Rosto do Pai: “Felipe, quem me vê, vê o rosto do Pai; pois, Eu estou no Pai e o Pai está em mim! (…) Eu não estou indicando um caminho, Eu sou o Caminho verdadeiro que leva aos Pai”

Frei Carlos zagonel, OFMCap

http://www.paroquiansacoxipo.com.br/conteudo.php?sid=44&cid=4528

Você pode Gostar de:

Liturgia – 1ºDomingo da Quaresma – 05.03.2017

LITURGIA – 1º. DOMINGO DA QUARESMA – 05.03.2017 “Vai-te embora, satanás”! 1.Acolhida. A Liturgia da …