Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Liturgia – 2º Domingo do Tempo da Quaresma

Liturgia – 2º Domingo do Tempo da Quaresma

“Este é o meu Filho amado. Escutai o que Ele diz!”

1.Acolhida
Em cada Eucaristia dominical, nós temos um convite feito pelo próprio Deus Pai: “Venham escutar o meu Filho querido!” Deus Pai não nos recomenda cumprir um dever religioso, mas escutar o seu Filho querido! Pelo amor de Deus esqueçam o celular e as fofocas da semana, silencie seu coração e escute a Palavra de Jesus! Escute atentamente!

Os três Apóstolos privilegiados, apavorados, prostraram-se por terra e nada ouviram! Mas Jesus, na companhia de Elias e Moisés, conversou sobre os futuros acontecimentos de sua Paixão e Morte nas mãos de seus inimigos. Ele é o Filho querido do Pai, mas precisa passar pelo sofrimento para cumprir sua missão e entrar na glória divina!

2.Palavra de Deus
Gn 22,1-2.9-13.15-18 – Abraão, de alguma maneira, figura do Messias, extremamente obediente a Deus, está disposto a sacrificar o próprio filho, salvo na última hora e substituído por um carneiro. Deus, porém, não “salvou seu Filho”; pelo contrário o entregou à morte para nossa salvação.

Rm 8,31-34 – “Deus não poupou seu próprio Filho, mas o entregou por nos!” O amor do Pai é infinito, e a obediência do Filho não deixa nenhuma dúvida! Tudo isso está escrito, mas nós não temos tempo para ler e meditar a respeito do infinito amor de nosso Deus!

Mc 9,2-10 – Jesus se transfigura na presença de seus três discípulos privilegiados; revela sua glória e sua disposição de cumprir o Plano do Pai até o fim! Sua obediência é prova de seu amor inquestionável A cruz é o caminho da salvação e todos devemos passar pelo sofrimento para chegar à gloria celeste!

3 – Reflexão
A narrativa da “Transfiguração do Senhor” não é um sinal da necessidade do sofrimento para entrar na glória de Deus. Deus não precisa do sofrimento; mas quer anúncio de seu Plano de Salvação: Ele quer salvar a raça humana (obra de seu amor)! E Jesus está a serviço desse plano, mesmo ao preço de seu próprio Sangue derramado na Cruz! Nada impede a realização do Plano de Deus Pai, nem mesmo a morte horrível de Jesus na Cruz! Na Paixão e Morte de Cristo na Cruz revela-se o poder e o amor de Deus para conosco, suas criaturas amadas!

Jesus, Filho querido de Deus Pai, não foi poupado, mas foi entregue por todos nós, como não nos daria a salvação merecida por Jesus seu Filho querido? O amor de Deus Pai por todos nós e por cada um de nos em particular, é tão grande que não se justifica nossa indiferença! Preferimos as palavras vazias e perniciosas do celular e da novela à narrativa da Paixão e Morte de Jesus por nós na Cruz.

Na transfiguração, Jesus revelou sua divindade para fortalecer nossa fé em sua missão salvadora. Ele é o Filho de Deus e, ao mesmo tempo, nosso Salvador. Fiel ao Pai até o fim: morre na Cruz para nos salvar e garantir a fidelidade do Pai que nos dá seu próprio Filho como preço de nossa redenção! Pedro disse: “Mestre é tão bom ficarmos aqui. Vamos fazer três tendas: uma para ti, outra para Moisés e outra para Elias!” Mas Jesus acordou Pedro e iniciou a descida da montanha e dar continuidade aos trabalhos missionários do anúncio do Reino de Deus!

“Este é o meu Filho querido, escutai o que Ele diz!”

Frei Carlos Zagonel
http://www.paroquiansacoxipo.com.br/conteudo.php?sid=44&cid=4975

Você pode Gostar de:

Liturgia 3º Domingo do Advento

“Alegrai-vos! O Senhor está perto!” Terceiro Domingo do Advento (Gaudete), o domingo da alegria. 1.Acolhida …