Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Liturgia – 4º Domingo Comum – 03.02.2019

Liturgia – 4º Domingo Comum – 03.02.2019

“Antes de nasceres, Eu te consagrei E te fiz profeta das Nações!”

1.Acolhida.
Realmente, Deus é Senhor do universo e todos os caminhos são traçados por Ele e com amor! A profecia é um dos caminhos traçados por Ele. Disse ao profeta Jeremias: “Antes de formar-te no ventre materno (…). Eu te escolhi e te consagrei profeta das nações!” A vocação do profeta Jeremias leva-nos a pensar em Jesus, o verdadeiro profeta das Nações. Prestemos atenção aos ensinamentos do próprio Jesus com referência à vida profética.

2.Palavra de Deus.
Jr 1,4-5. 17-19 – Deus chamou Jeremias para o ministério profético quando ainda era jovem e com vida planejada. Deixou tudo – lote de terra, casa, noivado e sonho de uma família – para exercer a vocação estabelecida por Deus ainda no seio de sua mãe!

1Co 12,31-13,13 – A Comunidade de Corinto era rica de dons, e vivia em conflito de ciúmes; por isso, Paulo indicou-lhe um caminho régio de convivência fraterna: Os dons pessoais precisam ser cimentados pela caridade! Do contrário, o conflito é certo e o Espírito se afasta da Comunidade!

Lc 4,21-30 – Jesus se apresenta como profeta em sua cidade natal, mas não foi aceito porque a Palavra por Ele anunciada exigia conversão e mudança na vida cotidiana. Por isso, Ele diz: “De fato, eu vos digo que nenhum profeta é bem recebido em sua pátria! (…) Levantaram-se e o expulsaram da cidade!”.

3.Reflexão.
Há muitos, em nosso tempo, que se intitulam profetas, mas eles não se enquadram no perfil indicado pelas Escrituras. Profeta é um escolhido por Deus antes mesmo de ser concebido no seio de sua mãe e carrega o peso da profecia na oração, na humildade e no sofrimento. Profeta é aquele que cumpre uma missão difícil e que vive constantemente em perigo de vida pois tem que contrariar os poderosos da terra, que lhe farão guerra, mas Deus está com ele para defendê-lo! Mas, não raro, morre vítima de sua profecia!

Jeremias profetizou durante mais de trinta anos, junto a um povo de cabeça dura, não converteu a ninguém, mas o povo soube que passou entre ele um profeta do Senhor! O profeta cumpre sua missão, fortificado na certeza que Deus está com ele. Jeremias desanimou pelo caminho, mas logo se retomou porque um fogo divino ardia em seu coração. Sem a certeza do poder de Deus e da missão por Ele transmitida, não é possível a permanência na profecia! Ser profeta das próprias idéias é fácil demais!

Em nossa desculpa, face ao profeta que denuncia nossos vícios, apelamos para o conhecimento de sua vida simples: “Não é ele o filho de José? Quem pretende ser?” A vocação de profeta é uma vida de alto risco. O povo expulsou Jesus de sua cidade e procurou matá-lo, mas a sua hora não havia chegado!

O profeta não fala de suas idéias e não defende planos pessoais de reforma! Ele anuncia a Palavra de Deus meditada no silêncio, mastigada demoradamente para possuí-la, pois, ele precisa ser fiel à Palavra de Deus. O profeta é, certamente, um santo. E entre nós não há muitos santos profetas do Senhor!

“Mostrai serena a vossa face ao vosso servo E salvai-me pela vossa compaixão!”

Frei Carlos Zagonel.
Fonte: http://www.paroquiansacoxipo.com.br/conteudo.php?sid=44&cid=3655

Você pode Gostar de:

Assembleia Eletiva Pastoral Arquidiocesana do Dízimo

A Pastoral Arquidiocesana do Dízimo convida para a Assembleia Eletiva da Pastoral que será realizada …