Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Liturgia – 24º Domingo Comum 13.09.2020

Liturgia – 24º Domingo Comum 13.09.2020

“O RANCOR E A RAIVA SÃO COISAS DETESTÁVEIS ATÉ O PECADOR PROCURA DOMINÁ-LAS!”

1.ACOLHIDA

Em cada Domingo temos uma catequese de Jesus indicando-nos o caminho seguro para a salvação! Por isso, devemos prestar atenção às leituras, apresentadas pela Liturgia. Elas são catequeses de Jesus para nossa salvação!

A Liturgia de hoje recorda-nos a importância do perdão mútuo para facilitar nosso relacionamento com Deus. O texto é retirado do Livro do Eclesiástico – livro escrito para recordar ao Povo de Deus os ensinamentos esquecidos da Lei de Deus. Muitos judeus viviam longe do Templo e dos ensinamentos da Tradição bíblica. Deixaram-se envolver pelos ensinamentos da Filosofia grega!

Não é muito diferente a situação dos cristãos, atualmente! Vivemos longe da Igreja, imersos nas “filosofias mundanas” e acabamos desconhecendo a revelação misericordiosa de nosso “Bom Deus, rico em misericórdia e luz para nossos passos no meio do mundo confuso e sem Deus” de nosso tempo! Há necessidade de atenção e de vigilância para não virar ateu!

2.PALAVRA DE DEUS

Eclo – 27,33-28,9 – O Livro do Eclesiástico foi escrito para os judeus da Diáspora (Dispersão), que viviam longe do Templo e da cultura tradicional do Judaísmo. Esqueceram sua Fé e suas Tradições! É a situação do Cristianismo atual que, longe do Catecismo e da prática religiosa, desconhece a própria Fé e suas Tradições religiosas!

Rm 14,7-9 – É bom saber que, mesmo no meio da confusão atual, estamos nas mãos do Senhor: “Vivos ou mortos, pertencemos ao Senhor!”

Mt 18,21-35 – O perdão é coisa de Deus; é difícil de praticar, mas faz bem, inclusive, para a saúde física e espiritual! E como o mundo atual precisa da prática do perdão!

3.REFLEXÃO

O Livro do Gênesis, nos seus 11 primeiros capítulos, não é um livro de História! É um ensinamento moral a respeito da degradação da raça humana após o pecado de nossos primeiros pais! O pecado arruinou a vida dos homens sobre a face da terra. A guerra e a violência tomaram conta da criatura amada por Deus! Caim mata seu irmão Abel, e o assassino foi vingado sete vezes… No pecado de nossos pais está a origem de todas as guerras sobre a face da terra! O homem reconhece que no seu coração está a origem do mal e sua conversão não lhe mais é mais possível! A guerra todo mundo sabe que é um mal, contudo é a prática comum da raça humana para resolver os seus problemas! Diziam os antigos romanos: “Se você quer a paz, prepare-se para   guerra!”

Deus deseja a paz sobre a terra, mas é a guerra…  que reina invencível. O pecado está na origem de todas as guerras, pequenas ou grandes, e um dia o mundo acaba por causa de suas guerras “com fins pacíficos!” O arsenal de armas mortíferas é suficientemente grande para acabar com a raça humana! Que Deus tenha compaixão desta raça humana e porque “vivos ou mortos, pertencemos aos Senhor!”

A parábola, contada por Cristo, ilumine a sorte  final da raça humana e que ela tenha a felicidade de conhecer o poder do perdão! Mas, vejamos bem: o fim do “empregado perverso” não terminou bem! A maldade estava em seu coração e acabou pagando por ela com a prisão eterna! Pois a sentença final de Jesus é esta: “É assim que meu Pai que está nos céus fará convosco, se cada um não perdoar de coração ao seu irmão!” O perdão é de Deus, mas a briga é do diabo!

Alguns pais dizem aos próprios filhos:

“Não traga desaforo para casa!”

FREI CARLOS ZAGONEL

 

 

 

Você pode Gostar de:

Papa: A Igreja deve ser como Deus, sempre em saída. Do contrário, adoece

Aos fiéis reunidos na Praça São Pedro, Francisco exorta a sentir todos os dias “a …