Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / LITURGIA – DOMINGO DE RAMOS – 09.04.2017

LITURGIA – DOMINGO DE RAMOS – 09.04.2017

LITURGIA – DOMINGO DE RAMOS – 09.04.2017
“Hosana ao Filho de Davi. Bendito o que vem em nome do Senhor!”
1.Acolhida.
Hoje, iniciamos a celebração da Semana Santa, santificada por Jesus e deve ser santificada também por nós! Não é suficiente acompanhar Jesus na sua entrada triunfal em Jerusalém; precisamos segui-lo até o Calvário! Ele morreu por causa de nossos pecados… Precisamos apagá-los de nossa vida cotidiana. Vida nova, portanto!
O sofrimento sempre foi e continua sendo um mistério para nós: Por que Jesus escolheu a cruz para nos salvar? Ele escolheu o caminho do amor radical e solidário: Ele se fez homem para carregar a cruz de nosso merecido castigo. Ele não indicou o caminho da salvação, e quer fazê-lo conosco! A “celebração da Semana Santa é uma verdadeira aula para os discípulos de Jesus”.

2.Palavra de Deus.
Is 50,4-7 – O “Servo Sofredor”, descrito antecipadamente pelo profeta Isaías, encontrou sua perfeita realização na pessoa de Jesus: Ele deu sua própria vida para resgatar-nos da morte eterna!

Fl. 2,6-11 – Jesus, o “Servo Sofredor”, esvaziou-se de sua divindade, assumindo a condição de um pecador, pois, carregou em seu corpo mortal os nossos pecados; mas o Pai o glorificou ressuscitando-o da morte e restituindo-lhe toda a sua glória divina!

Mt 27,11-54 – Acompanhemos a proclamação do Evangelho sabendo que Ele sofreu e morreu por nós, carregou a nossa cruz. Não acompanhemos esta proclamação como quem assiste um “Filme da Paixão” comendo pipocas numa sala de cinema! Acompanhemos o sofrimento de Jesus como pecadores arrependidos sabendo que sua morte nos diz respeito. Ele morreu por mim! (1Co 15,3).

3.Reflexão.
O Povo de Israel aclama Jesus como Messias prometido: rei poderoso, descendente de Davi e libertador de todo sofrimento! Mas Jesus apresenta-se fraco, despojado de todo poder e esmagado pelo poder político e religioso. Ele não é um Messias vencedor, segundo o imaginário popular. Ele morre na cruz como escravo!

Qual seria a imagem que nós, hoje, fazemos de Jesus? Um poderoso libertador de todo mal, temporal e material? Jesus não se enquadra neste imaginário! Ele é o “Servo Sofredor”! Ele nos liberta de nossos pecados e nos concede sua vida divina de filhos adotivos de Deus Pai! Ele sofreu para nos salvar!

Na Carta aos Filipenses, Paulo descreve o amor humilde e sofrido de Jesus por nós! Seu sofrimento é a expressão mais profunda e comovedora do amor Deus por nós! Ele se fez homem para sofrer por nós e como nós! Por isso, o Pai o glorifica restituindo-lhe toda a gloria e toda a luz de sua divindade: “Jesus Cristo é o Senhor para a glória de Deus Pai!” Se seguirmos Jesus carregando nossa cruz cotidiana, também, seremos glorificados como Ele, seremos luminosos como Ele ressuscitado (1Jo 3,2; Cl 3,1-4).

Jesus se despojou de tudo e morreu de amor por nós, morreu como pecador, pois, carregou os nossos pecados. Humilhou-se como pecador para que em nós brilhasse a luz divina de filhos adotivos! Dizia o Papa Leão I – “Recorda-te, ó cristão, de tua dignidade e viva de acordo com ela!”.

Na subida ao Monte Calvário havia pecadores arrependidos que o acompanhavam chorando; havia curiosos que apreciavam o espetáculo degradante e havia sacerdotes e doutores da Lei, felizes por terem vencido o incômodo profeta. Riam e caçoavam d’Ele! Em qual destes grupos nós nos enquadramos? Oxalá, possamos arrependidos, exclamar como o centurião romano e pagão: “Ele era mesmo o Filho de Deus”!

Frei Carlos Zagonel, OFMCap
Fonte:http://www.paroquiansacoxipo.com.br/conteudo.php?sid=44&cid=4458

Você pode Gostar de:

Horários de Missas : Paróquias da Arquidiocese de Cuiabá

Horários de Missas – Confira os horários das Sedes Paroquiais: Compartilhar com WhatsApp