Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Liturgia – Domingo de Páscoa – 16.04.2017

Liturgia – Domingo de Páscoa – 16.04.2017

LITURGIA – DOMINGO DE PÁSCOA – 16.04.2017
“Aleluia, Aleluia, Aleluia!”
1.Acolhida.
Espero que todos tenhamos vivido o “Tríduo Pascal”, no espírito de Jesus. Ele assumiu o sofrimento da Cruz para salvar-nos. Ele morreu ensinando-nos a procurar um sentido para esta nossa presente vida sofrida. Para os inimigos de Jesus, tudo estava acabado! Ele estava morto e sepultado! Mas, para Jesus a vida retoma seu caminho vencedor, ela desemboca na ressurreição e na luz divina!
Para entender o “Mistério da Páscoa”, precisamos sair da lógica deste mundo, lógica de morte – e entrar na lógica de Deus que nos fez para si e para uma vida superior. O “mundo da carne” não entende a promessa de Jesus! Precisamos sair da sepultura escura da morte e passar para a luz da ressurreição, para o início de uma vida nova. O mundo da carne não entende as coisas de Deus! Não adianta querer ungir o corpo de Jesus para evitar sua corrupção! Ele está vivo e glorioso! Deixe os panos na sepultura e vista uma nova roupa feita de luz divina!

2.Palavra de Deus
At 10,34-43 – Pedro explica para o centurião Cornélio, pagão, mas temente a Deus, o fato da vida, morte e ressurreição de Jesus.  Jesus está vivo, o fato é inegável e a vida venceu a morte definitivamente. Ele está vivo, é nosso Salvador!

Cl 3,1-4 – Paulo escreve aos colossenses afirmando que Jesus está vivo e nós ressuscitaremos com Ele e seremos luminosos como Ele!

Jo 20,1-9 – João narra o fato da Ressurreição de Jesus e o impacto que os apóstolos, ainda incrédulos, tiveram ao encontrar-se com Ele, vivo e luminoso, como o tinham visto no Monte Tabor, na Transfiguração!

3.Reflexão.
Maria Madalena e alguns discípulos, atordoados, pensam na morte e no roubo do corpo de Jesus: “Tiraram o Senhor do túmulo e não sabemos onde o colocaram!” Eles pensam na morte e no roubo do corpo, mas Jesus está vivo e, aos poucos, abre os olhos de seus discípulos! João, o discípulo amado, chega primeiro ao túmulo. Viu os panos dobrados e acreditou. O amor chega primeiro à fé!

Em nossas crises, quem chega primeiro? As dúvidas que temos sobre Deus ou a certeza de que Jesus está vivo e nos ama? Longe do amor, as dúvidas sempre se multiplicam e terminamos pensando que tudo está perdido: Roubaram o corpo e nem sabemos onde o colocaram! Pensamos na morte e no roubo, mas Ele está vivo!

A Igreja sobrevive a todas as crises, enfrentadas ao longo de mais de dois mil anos… Porque Ele é paciente com nossa ignorância e teima em nos mostrar que está vivo e n’Ele se cumprirão todas as promessas de Deus a nosso respeito. O sentido da vida está escondido no íntimo de nosso coração, mas ele será revelado na fé em Jesus ressuscitado! Ele está vivo e nós viveremos n’Ele e com Ele, brilhantes e luminosos como Ele ressuscitado – “Vós aparecereis também com Ele, revestidos de glória!”.

A Ressurreição de Jesus rompe o egoísmo da separação. Agora, todos os povos são objeto do amor de Deus e da proposta de salvação em Jesus Cristo. Pedro entra na casa de Cornélio e anuncia-lhe a “Boa Nova da Salvação”, agora, possível pela Ressurreição de Jesus. Ele é nosso Salvador! Não é Salvador apenas dos católicos, mas de todos aqueles que têm boa vontade e procuram a verdade de coração sincero. É lamentável que os “crentes”, muitas vezes, sejam mais zelosos que os católicos! Deus serve-se deles para anunciar Jesus ressuscitado e Salvador do mundo inteiro!

“Este é o dia que o Senhor fez para nós; alegremo-nos e n’Ele exultemos!”

Frei Carlos Zagonel, OFMCap.

Fonte:http://www.paroquiansacoxipo.com.br/conteudo.php?sid=44&cid=4471

Você pode Gostar de:

2.º Domingo da Páscoa – O discípulo que cura nossa falta de fé

Não foi por acaso o fato de São Tomé não estar com os outros discípulos …