Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Liturgia – 21º Domingo Comum

Liturgia – 21º Domingo Comum

“Tu és o Messias, o Filho de Deus vivo!”
1.ACOLHIDA.
Não é muito importante saber o que os outros (mesmo célebres) pensam a respeito de Jesus! Importante é dar uma resposta pessoal! Que pensa você a respeito de Jesus Cristo? Mas, tenhamos atenção: A resposta não pode ser “de ouvir dizer”!  Mas que diz o seu coração? (Jó 42,5-6).
A Eucaristia tem o momento da Palavra (somos ensinados) e o momento do pão (somos alimentados). Precisamos dos dois momentos. Pedro, iluminado, confessou a divindade de Jesus e foi recompensado com o Ministério do Serviço à Igreja.  Não confessemos o Jesus de nossos sentimentos, mas o Jesus da fé que nos foi revelado pelo Pai: “Tu és o Cristo, Filho de Deus vivo!”.

2.PALAVRA DE DEUS
Is 22,19-23 – O ministério é dom de Deus, concedido para servir à Igreja e não para proveito próprio! “Ele será um pai para os habitantes de Jerusalém!”.

Rm 11,33-36 – Louvemos a sabedoria de Deus, que tudo organizou com sabedoria e amor: “Na verdade, tudo é d’Ele, para Ele e por Ele!”.

Mt 16,13-20 – Os caminhos de Deus são a sabedoria do Pai. Os caminhos de Jesus são caminhos revelados pelo Pai: “Pedro, quem te revelou isso foi o meu Pai que está nos céus!”.

3. Reflexão.
Na primeira leitura encontramos a descrição do Ministro ideal: “Ele será um pai para os habitantes de Jerusalém e para a casa de Judá!” Ministério é serviço; não é enriquecimento pessoal e, na maioria das vezes, com dinheiro mal adquirido! Jesus enviado pelo Pai veio para servir e não para ser servido! Aqui temos a descrição perfeita de como servir a Deus no exercício de qualquer ministério. Deus não nos enriquece com o ministério por Ele confiado; pelo contrário, compromete-nos com um serviço! Jesus, Ministro do Pai, veio para servir!

Pedro é feliz por ter sido escolhido para o serviço da verdade em favor do Povo de Deus. Simão, filho de Jonas tem até o nome trocado – deixa de ser Simão e torna-se Pedro/Rocha para sustentar a Igreja de Jesus (a minha Igreja). É maravilhoso estar na Igreja de Jesus! Mas, Pedro precisou ser consolidado no ofício pela oração de Jesus em seu favor: “Eu, porém, orei por ti, para que a tua fé não desfaleça. E tu, uma vez convertido, confirma os teus irmãos!” (Lc 22,31-32). Nossa alegria é saber que a oração de Jesus garante o ministério de Pedro; pois, a oração de Jesus é, evidentemente, eficaz.

Se o Ministério de Pedro é confirmar a fé dos discípulos de Jesus, qual é nosso dever? Seria viver de acordo com nossos sentimentos e desejos ou procurar o ensinamento verdadeiro da Igreja, conduzida pelo Ministério de Pedro?  Muitas vezes podemos aplicar para a nossa fé, o provérbio bíblico: “Damos grandes passos, mas fora do caminho da verdade!” Como é constrangedor seguir um caminho que não leva para a verdade e, no fim, dar-se conta que o Caminho estamos perdidos!

Jesus disse: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida!” Andemos sempre pelos caminhos do Senhor. Eles são caminhos de paz, de serenidade e de luz.

“Pedro, Eu orei por ti para que tua fé não desfaleça”.

Frei Carlos Zagonel, OFMCap.

 

Você pode Gostar de:

Papa: A Igreja deve ser como Deus, sempre em saída. Do contrário, adoece

Aos fiéis reunidos na Praça São Pedro, Francisco exorta a sentir todos os dias “a …