Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Liturgia do 13º Domingo do Tempo Comum 27.06.2021

Liturgia do 13º Domingo do Tempo Comum 27.06.2021

“DEUS NÃO FEZ A MORTE E NEM TEM PRAZER COM A DESTRUIÇÃO DOS VIVOS!”
1.Acolhida
Deus não fez a morte e nem o sofrimento! Foi o diabo, inimigo do ser humano e que luta para prejudicar a obra de Deus. Estamos sofrendo com a pandemia e muitos se perguntam: “Por que Deus permitiu este desastre?” Esta pandemia é obra de satanás! São as linhas tortas escritas pelos homens, servos de satanás!
Deus escreve direito nas linhas tortas dos homens mal intencionados! Pensemos no bem que Deus quer tirar nestas linhas tortas destes mal intencionados. As igrejas são fechadas, os homens vivem apavorado com a fragilidade de nossa vida temporal! Mas, para quem tem fé no poder e no amor de nosso Deus, pensa na brevidade da vida e no destino do ser humano: Este é filho de Deus e destinado a participar da vida eterna prometida pelo próprio Deus…

2.Palavra de Deus
Sb 1,13-15;2,23-24 – Deus fez o homem à sua imagem e semelhança e em Deus não existe nada de mal. O mal é obra de satanás e entrou no mundo pela inveja do diabo. É o pecado causador da morte e do sofrimento!
2Co 8,7.9.13-15 – Os cristãos de Corinto, em melhor situação econômica, devem repartir seus bens materiais com a comunidade dos pobres, recebendo, em troca, a partilha dos bens espirituais. Quem faz esmola não sai perdendo; pelo contrário é enriquecido de bens espirituais.
Mc 5,21-43 – Jesus realiza duas curas em mulheres – uma senhora que sofria de hemorragia á 12 anos, e ressuscitou uma menina de 12 anos, filha do administrador da sinagoga. Duas mulheres mereceram a atenção do Senhor Jesus, não suporta o sofrimento do ser humano! O sofrimento é obra de satanás, mas a cura é carinho de Deus.

3.Reflexão
Segundo a definição do próprio Jesus, Deus é bom e, por isso, não podia ter criado a morte e nem o sofrimento para fazer o ser humano, obra de suas mãos, sofrer a morte e suportar o sofrimento em seu corpo. Mas as dores do corpo humano e a angústia da morte, Deus transforma em merecimento para a vida eterna. Jesus padeceu no corpo e viveu a angústia pela da morte que, no pensamento de satanás, são instrumentos de sofrimento, tornam-se fontes e instrumentos de salvação. Isto porque Deus Pai aceitou carregou o sofrimento nas costas de seu divino Filho para nossa salvação.
Jesus carrega em seu corpo o sofrimento da morte e da enfermidade, da angústia e da tristeza como moeda de resgate para a vida eterna do ser humano. Satanás não ganha uma em sua luta para prejudicar o ser humano. Ele semeia a dor e a morte, mas Jesus transforma o sofrimento e a morte em moedas preciosas de resgate! Não fujamos do sofrimento, pelo contrário, lutemos contra ele (Pois o sofrimento não vem de Deus… e muito menos esta pandemia diabólica). Façamos deste limão um material para uma boa limonada! O sofrimento é material que nos torna parceiros de Jesus na salvação eterna. Lute contra a dor, procure vencê-la, mas não se revolte contra ela, pois, ela torna você parceiro de Jesus no processo de nossa redenção.
Tenhamos fé no poder e no amor de Deus, ele pode salvar-nos e garantir-nos a cura de nossas enfermidades, pois, Ele garante a cura de todos aqueles que o procuram com fé.
“Filha, a tua fé te curou. Vai em paz e fica curada de tua doença!” e ao chefe da sinagoga, Jesus disse: “Não tenhas medo. Basta ter fé”. E a fé foi suficiente para a menina levantar-se, com plena saúde. Como vai nossa fé no poder e no amor de Jesus?
“Eu vos exalto, ó senhor, pois me livrastes, e preservastes minha vida da morte”.

FREI CARLOS ZAGONEL

Você pode Gostar de:

12ª edição do Mutirão de Comunicação

Tem início na próxima sexta-feira, 23, a 12ª edição do Mutirão de Comunicação. Pela primeira …