Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Liturgia do Batismo de Jesus 09.01.2022

Liturgia do Batismo de Jesus 09.01.2022

JESUS DE NAZARÉ FOI UNGIDO POR DEUS COM O ESPÍRITO SANTO
1.Acolhida
Concluído o Tempo do Natal, reunimo-nos para celebrar o Batismo de Jesus. Recordemos o nosso batismo. Pelo Batismo tornamo-nos filhos de Deus vivo e a graça divina está em nosso corpo como semente e precisa germinar e crescer. É uma semente divina que precisa crescer. O cristão não nasce cristão; torna-se cristão por suas escolhas conscientes ao longo da vida.
O recém batizado precisa ser cultivado como uma semente pelos pais e pelos padrinhos. Ser convidado a ser padrinho de uma criança não é uma honra, mas é um compromisso e uma missão!

2.Palavra de Deus
Is 42,1-4.6-7 – O profeta Isaías descreve as qualidades do futuro Messias: Servo de Deus, ungido pelo Espírito, pregador paciente do Reino de Deus, não quebra a cana rachada e nem apaga o pavio fumegante… Ele será uma luz que ilumina os cegos, liberta os cativos arrancando-os da prisão!
At 10,34-38 – Jesus é o Messias que anuncia a verdade para todas as nações e com bondade de coração, ilumina a todos os que estavam dominados pelo demônio.
Lc 3,15-16.21-22 – João Batista preparou o caminho para o Messias, pois este é que tem o poder do Espírito e que batizará com o Espírito e com fogo: purifica pelo fogo e derrama o Espírito que ilumina, consola e faz crescer.

3.Reflexão
O Batismo não é uma inscrição numa igreja, mas é o nascimento para uma nova vida, agora, viva e divina. Jesus fala a Nicodemos de sua necessidade para abandonar a vida arruinada pelo pecado e para nascer para umA nova vida, agora, redimida pelo sacramento do Batismo. Importa renascer da água e do Espírito, abandonar o velho homem, animal e arruinado pelo pecado de nossos pais e assumir o homem novo, criado à imagem e semelhança do Criador. O Batismo nos faz filhos de Deus, criados e redimidos pelo Sangue de Jesus. Em cada Batizado há o milagre de uma nova criação! Somos recriados à imagem e semelhança do próprio Deus! Jesus, quando entrou na água do Rio Jordão, ouviu a voz poderosa do Pai que exclamou: “Este é meu Filho querido, meu predileto!” Esta divina proclamação é pronunciada por Deus sobre todos os batizados em nossas Igrejas. A rotina estraga os milagres de nosso Deus. Os nossos batizados se empobrecem pela rotina que esconde as maravilhas da graça divina. Na maioria dos batizados realizados em nossas igrejas esvaziamos o mistério do nascimento de um novo filho de Deus! É uma pena! Perdemos o gosto do milagre!
Na Batismo de Jesus, o Espírito Santo, sob a forma visível de uma pomba, fez ouvir a voz do Pai: “Este é o meu Filho amado, em ti ponho o meu benquerer!” Esta não é uma piedosa consideração crer que o mesmo fenômeno acontece em cada batismo celebrado em nossas igrejas! Os milagres de Deus não podem ser banalizados! Havia uma pequena paróquia em Minas Gerais, prestes a ser supressa. Foi nomeado um piedoso neo-sacerdote, decidido. Tomou posse do encargo e se retirou por 30 dias fazendo um retiro espiritual num mosteiro. Quando se apresentou ao povo, revelou seu programa de pastoral: celebrar o Batismo com participação de toda a paróquia, com orações e jejuns e com espaço de 6 meses para a celebração… Transformou a paróquia, não foi supressa e, pelo contrário, foi apresentada como modelo de paróquia.
Jesus, após o Batismo, foi ao deserto enfrentar o poder de satanás… e, depois, iniciou sua pregação! Precisamos de um tratamento de choque para despertar a vida divina, escondida na celebração de nossos sacramentos!
FREI CARLOS ZAGONEL.

Você pode Gostar de:

Papa: o olhar materno é o caminho para renascer. Ferir uma mulher é ultrajar a Deus

A homilia do Papa Francisco na missa na Solenidade de Maria Santíssima é uma homenagem …