Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Liturgia do 16º Domingo Comum 17.07.2022

Liturgia do 16º Domingo Comum 17.07.2022

“MARTA, MARTA TU TE PREOCUPAS E ANDAS AGITADA POR MUITAS COISAS!”
1.Acolhida
Jesus hospedou-se na Casa de Marta e Maria. Marta quer servi-lo bem e Maria não quer perder um única Palavra que sai da boca do Mestre. Marta preocupa-se com a comida e Maria com a sabedoria do Mestre! E Jesus exalta Maria e repreende docemente a Marta! Jesus não precisa de boa comida, mas de boa ouvinte!

2.Palavra de Deus
Gn 18,1-10ª – Abraão recebe uma visita de Deus. Acolhe-o com generosidade, mas o escuta com atenção e recebe a Boa Notícia do filho prometido!
Cl 1,24-28 – Paulo Apóstolo recebe a maravilhosa revelação do segredo de Deus: A Salvação, também é destinada aos pagãos, eles também são filhos de Deus! Cristo está em seu meio e os torna participantes de sua glória!
Lc 10,38-42 – Duas mulheres, igualmente, acolhedoras, mas uma pensa numa boa refeição (almoço) e a outra senta-se silenciosa aos pés do Mestre para escutá-lo. Jesus aprecia ser ouvido, pois é portador da sabedoria divina, das Palavras de vida eterna: “Maria escolheu a melhor parte e esta não lhe será tirada!”

3.Reflexão
Mesmo as pessoas de boa vontade, somos tentadas pelo material e por aquilo que é visto e apreciado, mas Jesus prefere o espiritual: Marta arregaça as mangas para preparar muitas coisas para Jesus, que prefere a escuta silenciosa de Maria: “Ela escolheu a melhor parte, que não lhe será tirada!” A comida termina virando pó mal cheiroso, mas a Palavra de Jesus torna-se sabedoria salvífica. Em nossa Pastoral podemos privilegiar o material (belas e amplas igrejas e rendosas construções) e descurar a escuta da Palavra de Deus (catequese, caridade, evangelização e a santidade do povo).
O Apóstolo Paulo não se limita à pregação da Palavra, mas sofre pelos seus “paroquianos”, carrega em seu próprio corpo o sofrimento que “falta” às tribulações de Cristo com a solidariedade e com o seu corpo, isto é, a Igreja! Será que falta alguma coisa nos sofrimentos de Cristo? Falta, sim, nossa solidariedade no processo de salvação do rebanho, confiado a nós, os pastores! Vivemos num mundo pobre de generosidade e necessitado de pastores santos como o Apóstolo Paulo! Os pastores são canais da graça divina, mas se os canais não estão abertos, a graça não chega ao rebanho… falta completar em nossa carne o que falta nas tribulações de Cristo!
O Mistério da Salvação universal é rico e maravilhoso, ou seja: A presença de Cristo no coração do Povo e a esperança da glória eterna. Nós o anunciamos admoestando a todos e ensinando a todos, com tomda a sabedoria, para em todos tornar perfeita sua união com Cristo. Portanto, o dever principal dos pastores é fazer do povo cristão um povo de santos! O Santo Cura D’Ars dizia: “Deixem uma paróquia se sacerdote por 10 anos e o povo adorará os animais!” Em muitas paróquias não se procura o Cristo crucificado, mas o prazer do corpo material e perecível.
FREI CARLOS ZAGONEL.

Você pode Gostar de:

Papa: a fé verdadeira é um fogo aceso para nos manter despertos e laboriosos

“Nas nossas comunidades arde o fogo do Espírito, a paixão pela oração e pela caridade, …