Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Liturgia 10º Domingo do Tempo Comum 06.06.2021

Liturgia 10º Domingo do Tempo Comum 06.06.2021

“Quem é minha Mãe e quem são os meus irmãos?”
1.Acolhida
A Liturgia do Tempo Comum deste domingo introduz na Igreja a tristeza e o medo: Tristeza do pecado e o medo de Deus; “Ouvi tua voz no jardim e fiquei com medo porque eu estava nu e me escondi!”
Deus vem em socorro de sua criatura humana e nos promete “uma nova tenda que não é obra de mãos humanas, mas eterna.

2.Palavra de Deus
Gn 3,9,15 – O pecado causa medo no homem e é uma aventura humana que revela nossa miséria: “Eu estava nu e me escondi”
2Co 4,13-5,1 – Deus ama sua criatura humana e promete ressuscitá-la para tela-la a seu lado na eternidade. Mas, para isso é necessário voltar-se para as coisas invisíveis.
Mc 3,20-35 – Satanás é invejoso e inimigo da criatura humana; não quer a sua salvação, chega a difamar-se a si mesmo, para afastar o homem do caminho da salvação eterna e tenta induzi-
lo para o abismo da perdição irremediável no inferno.

3. Reflexão
O pecado é uma aventura humana, alimentada pelo orgulho humano, mas que dá na desgraça: Vergonha de si mesmo e medo de Deus! A tentação da serpente (Mentira; o diabo é mentiroso desde o início (Jo 8,44); é inteligente e tenta a criatura humana pelo lado mais fraco: apela para o orgulho e o desejo de poder. Tudo o que era paz, ternura, e amor, transformou-se em acusação (Foi a mulher que você me deu!); perda da paz (Vergonha dom próprio corpo) e medo de Deus (Eu me escondi). O pecado é mesmo a destruição da obra de Deus!
Mas Deus conhece a maldade de satanás e transforma o sofrimento causado pelo pecado em material para a glorificação final: (… certos de que aquele que ressuscitou o Senhor Jesus nos ressuscitará, também, com Jesus e nos colocará ao seu lado, juntamente convosco… mesmo se o nosso homem exterior vai se arruinando, o nosso homem interior, pelo contrário, vai se renovando a cada dia”. Mas, para que isso aconteça devemos voltar nossos olhares para as coisas invisíveis e não para as coisas visíveis, pois o visível acaba e o invisível é eterno.
A tenda em que morramos vai ser destruída, mas Deus nos dá uma outra moradia no céu, que não é obra de mãos humanas, mas é eterna. Mas para direcionar nosso olhar para o invisível precisamos renascer pela graça do Espírito Santo. Ele é alma da Igreja deixado por Jesus para reconstruir a sua Igreja (Igreja de Jesus).
Satanás e seus exércitos pecam contra o Espírito Santo piorando com isso a sua própria condição. Tentam colocar a culpa no próprio Jesus que teria feito um acordo com as forças do mal. Jesus sentencia: “Digo-vos que quem blasfema contra o Espírito Santo jamais será perdoado, pois será culpado de um pecado eterno” O ser humano poderá ser perdoado de qualquer pecado que cometer, menos o cometido contra o Espírito Santo. Satanás terá sua culpa e castigo aumentados sempre que induzir um ser humano ao pecado! O pecado é uma aventura infeliz, mas o pecador não cansa de andar pelos caminhos do mal.
“Tua mãe e teus irmãos estão lá fora à tua procura… E Jesus olhando ao seu redor diz: “Quem é minha mãe e quem são os meus irmãos? E acrescenta: “Aqui estão a minha mãe e meus irmãos Quem faz a vontade de Deus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe. Jesus acaba de instituir a Grande Família de Deus!
FREI CARLOS Zagonel.

Você pode Gostar de:

O Papa ao Conselho Ecumênico: trabalhar pela reconciliação das diferenças

“Que os Santos Cirilo e Metódio, «precursores do ecumenismo» nos ajudem a trabalhar pela reconciliação …