Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Liturgia – Solenidade de Cristo Rei do Universo – 21.11.2021

Liturgia – Solenidade de Cristo Rei do Universo – 21.11.2021

“SIM! EU SOU REI, MAS O MEU REINO NÃO É DESTE MUNDO!”
1.Acolhida
Festa de Cristo, rei do universo, e Liturgia dos Leigos e Leigas comprometidos com a Igreja. O Reino de Deus, construído com o zelo apostólico dos batizados: Jesus precisa reinar no universo e todo batizado precisa empenhar-se na sua construção. O Reino do Céu não desce do céu já pronto! Todos nós, batizados, somos operários deste Reino!
O Reino de Jesus Cristo e um reino eterno e não será dissolvido de jeito algum pelo poder do Mal; mas, nele entrarão apenas os operários zelosos que sacrificam a própria vida para a sua realização!

2.Palavra de Deus
Dn 7,13-14 – Jesus, na sua aparência humana, foi apresentado ao Pai que o revestiu de poder, de glória e realeza e todas as nações do universo o servem e adoram como o seu Rei!!
Ap 1,5-8 – Jesus, agora glorificado pelo Pai – “o Ancião de muitos dias” – é reconhecido pelo universo todo, inclusive, por aqueles que o “traspassaram” e todas as tribos do universo baterão no peito por causa de sua teimosia e rejeição!
Jo 18, 33b-37 – Jesus é Rei, mas o seu Reino não é deste mundo. De fato, Ele é Rei e veio para dar testemunho da verdade; escutemos a sua voz, pois Ele é Senhor e Rei de todo o universo!

3.Reflexão
A Festa de Cristo Rei foi introduzida na Liturgia da Igreja Católica pelo Papa Pio XI, justificando-a como ideal para a Juventude Católica (Ação Católica) que devia lutar e trabalhar para a instauração do Reino de Jesus Cristo sobre a terra. Não é uma festa de sabor político, mas de estímulo para a instauração do Reino de Deus. Jesus não quer honrarias políticas (mesmo, piedosas), mas que operários para a instauração do Reino de Deus sobre a terra.
Jesus nos ama e, para salvar-nos, derramou todo o seu Sangue no altar de sua Cruz. Esta festa deve ser para nós, batizados e discípulos de Jesus Cristo, a festa da gratidão: custamos caro para Ele: custamos o derramamento de todo o seu Sangue, Sangue do Filho de Deus! Felizes pelo amor de nosso Deus; paguemos amor com amor, embora, nosso amor seja pequeno e muitas vezes mesquinho! É um amor pobre, mas sincero. Ele nos amou antes de nossa conversão! Éramos pecadores e, por isso, devemos ama-lo muito mais agora que somos convertidos e descobrimos a riqueza de seu amor gratuito, doloroso e infinito.
Como deve ser doloroso para aqueles que o traspassaram e não o amaram! Não percamos tempo, ocupando-nos com as coisas passageiras deste mundo material. Não recusemos, ostensiva e orgulhosamente, a oferta de seu amor sangrento. Somos pecadores, sim, mas agradecidos pelo amor infinito e sangrento de nosso Deus.
O Reino de Jesus não é deste mundo, mas é do céu e para lá Ele quer conduzir-nos! Seu Reino não está baseado na ostentação do ouro e da glória temporal e passageira. O Reino de Jesus é humilde e revela-nos o amor infinito de nosso Deus; que Ele não quer perder a criatura humana por Ele amada! Eu sou Rei e vim ao mundo para dar testemunho da verdade e quem aprecia a verdade celebra a Festa de Cristo Rei e sente-se feliz por pertencer a este Reino!

“Eu nasci e vim ao mundo para dar testemunho da verdade”
FREI CARLOS ZAGONEL

Você pode Gostar de:

Ano Jubilar Missionário – CNBB

ANO JUBILAR MISSIONÁRIO SERÁ LANÇADO COM ABERTURA OFICIAL EM LIVE AMANHÃ, SÁBADO, 20 DE NOVEMBRO, …