Natal do Senhor Jesus

O evangelista Lucas no seu sacrossanto livro escreve: “Eis que vos anuncio uma grande alegria: hoje, na cidade de Davi, nasceu para vós um salvador, que é o Cristo Senhor (Lc,210)”. Estas jubilosas palavras foram dirigidas aos humildes pastores de Belém, pessoas humildes, simples e pouco valorizadas, mas abertas à revelação Divina. Foram os primeiros adoradores de Jesus. Encarna-se no mundo Aquele que é a alegria dos homens! Qualquer ser humano que nasce causa admiração e alegria. Porém, mais admirável quando admirável é aquele que nasce: a adorável pessoa de Jesus Cristo, o Filho amado de Deus!

Ele é a maior dádiva do Pai à humanidade. Hoje, também, ecoa em nossos corações esta alegre e contagiante mensagem natalina: “nasceu para vós um salvador”. Fomos agraciados por mais um natal! É por isso que, com a mais viva gratidão, celebramos, mais uma vez, esta grande solenidade litúrgica, geradora de incontida alegria, confraternizações, congraçamento, encontros fraternos, ceia de natal, troca de presentes entre as pessoas e, o que é mais importante, o espírito de adoração.

O mistério do natal nos recorda que a salvação prometida por Deus aos homens, em sua mensagem aos patriarcas e profetas, torna-se realidade concreta com a vinda do messias esperado e desejado por todos. A revelação bíblica, nas palavras do profeta Isaias, nos apresenta Jesus como o “Emanuel”(Is 7,14), o que significa: o “Deus-conosco”. O natal de Jesus é, portanto, a plena inserção de Deus no contexto histórico e vivencial humano. O rei dos reis se torna um de nós! Ele de tão grande se fez tão pequeno para tornar grandes os pequenos deste mundo. Mateus e Lucas, através da narrativa da genealogia de Jesus, exaltam a humanidade de Jesus e sua descendência humana, reforçando sua historicidade. O seu nascimento histórico em Belém, através da sagrada família, é sinal de nosso misterioso nascimento à vida divina. A encarnação do verbo Divino é a divinização do homem. Porquanto, Jesus é o rosto humano de Deus e o rosto Divino do homem.

Natal é a grande festa da luz e da solidariedade universal, que se reveste de uma certa ternura e magia, despertando nas pessoas sentimentos cristãos, muitas vezes adormecidos, como: o reavivamento da amizade, da solidariedade, da caridade, dos gestos de bondade e reconciliação com o próximo. Estes sentimentos são frutos maravilhosos do natal que enfeitam e enobrecem a alma humana. A celebração anual do natal nos recorda que Filho de Deus continua batendo as portas da humanidade e do coração humano para fixar sua morada e sua habitação. Porquanto, o mistério da existência humana só se explica e se esclarece no mistério de Jesus Cristo, Filho de Deus, única fonte de verdadeira paz, alegria, serenidade pessoal e sentido para vida.

Finalmente, o natal do Senhor é convite aos homens de boa vontade para retomarem a trilha da retidão, do amor ao próximo, da concórdia e da compreensão entre os homens. Que o Menino-Deus conforte e derrame, ricamente, suas graças e suas bênçãos, sobretudo para as famílias machucadas pelas perdas de seus entes queridos neste ano de pandemia. Feliz Natal e um Ano Novo abençoado pelo providente e bondoso Deus altíssimo!

Deusdédit M. de Almeida é Padre da Catedral Basílica do Senhor Bom Jesus de Cuiabá.

Você pode Gostar de:

Falecimento compositor católico Reginaldo Veloso

Faleceu, na noite de quinta-feira, 19 de maio, o compositor católico Reginaldo Veloso, aos 84 …