Página Inicial / Animação Litúrgica / Solenidade da Epifania do Senhor (03.01)

Solenidade da Epifania do Senhor (03.01)

Ano B – cor branca ou dourada – 03/01/2021

1. Saudação
Presidente – A Solenidade da Epifania celebra a manifestação do Senhor em nossa realidade e de Sua luz que ilumina todos os povos do universo. Hoje, somos convidados a uma comunhão universal com todas as nações e culturas, com os diferentes jeitos de adorar a Deus e buscar a salvação. Unidos a todos os povos, façamos o sinal que nos identifica como cristãos. Em nome do Pai…
Presidente – O Deus da esperança que nos cumula de toda alegria e paz em nossa fé, pela ação do Espírito Santo, esteja convosco. Bendito seja Deus…
Animador(a) – Irmãos e irmãs, é com muito carinho que encontramo-nos hoje para celebrar o Mistério Pascal, nossa fé e nossa vida de comunidade com suas realizações e dificuldades, nesta Solenidade da Epifania do Senhor. Cheios das alegrias natalinas, vamos recordar fatos e/ ou acontecimentos de nossa comunidade, nossa paróquia, nossa diocese… (recordação da vida).
2. Deus nos perdoa Presidente – No início desta celebração, peçamos a conversão do coração, fonte de reconciliação e comunhão com Deus e com os irmãos(as) (silêncio). Confessemos os nossos pecados. Confesso a Deus…
Presidente – Deus de bondade, tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. Amém.
3. Hino do Glória
Presidente – Glorifiquemos o Senhor que manifesta a Sua salvação, em Seu Filho Jesus, a todos os povos e nações.
4. Oração (Missal) Presidente – Oremos – (silêncio)
– Ó Deus, que hoje revelastes Vosso Filho às nações, guiando-as pela estrela, concedei aos Vossos servos que já Vos conhecem pela fé, contemplar-Vos um dia face a face no céu. Por nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.
Deus nos fala
5. Leitura do Livro do Profeta Isaías (60, 1-6)
6. Salmo Responsorial (71) (CD Cantando Salmos – Ano B) As nações de toda a terra hão de adorar-vos, ó Senhor! (bis)
7. Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios (3, 2-3a.5-6)
8. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus (2, 1-12)
9. Partilha da Palavra
Nossa resposta
10. Profissão de fé Presidente – Professemos nossa fé no Deus que envia Seu Filho Jesus como Luz para todas as nações. Creio em Deus Pai…
11. Preces da Comunidade Presidente – Confiantes, elevemos nossas preces ao Senhor de todos os povos, cantando: Ouvi, Deus de amor, nosso clamor. (Ofício Divino das Comunidades)
12. Apresentação dos Dons
Animador(a) – Viver a Epifania é assumir o Evangelho de Jesus Cristo, Luz que ilumina toda a nossa vida. Apresentemos ao altar do Senhor os frutos que surgiram a partir da experiência de fé no tempo do Natal e que queremos vivenciar durante este ano que se inicia.
Coleta Fraterna
Ação de Graças
13. Louvação
Presidente – Louvemos a Deus que vem ao nosso encontro e se torna Ele mesmo luz, estrela a nos guiar.
Deus nos faz irmãos
14. Pai Nosso
Presidente – Elevando nossas mãos e nossos corações, como família de Deus, rezemos com amor e confiança, a oração que Jesus nos ensinou. Pai Nosso…
15. Momento da Paz
Animador(a) – A luz da salvação brilha para todos os povos, por isso somos todos irmãos e irmãs em Cristo. Como filhos e filhas do Deus da paz rezemos em silêncio pela paz no mundo.
16. Oração
Presidente – Oremos – (silêncio) – Ó Deus, guiai-nos sempre e por toda a parte com a Vossa luz, para que possamos acolher com fé e viver com amor o mistério de que nos destes participar. Por Cristo, nosso Senhor. Amém
Deus nos envia
17. Breves Avisos
18. Refletindo sobre a Epifania do Senhor
Belém, em hebraico bêt-lehem, significa “casa do Pão”. Todas as nossas igrejas são Beléns, mas ainda mais especiais, porque especial é o Pão que nelas se abriga. O mistério da encarnação do Senhor é real e atual em cada tabernáculo, e, assim, visitamos aquele Menino Salvador a cada vez que adentramos o espaço sagrado de uma igreja. Às vezes perdemos a consciência dessa sublime possibilidade, às vezes a correria do dia a dia nos impede de contemplar aquele silêncio que reproduz o mesmo que envolvia a noite do nascimento de Jesus. Às vezes nossa falta de fraternidade impede que as Beléns de nossas Paróquias façam resplandecer a luz de Deus, e é isso o mais grave. A Comunhão Eucarística faz de cada um Belém, e o que deve estar sobre nós, como indicativo da presença do Messias, é a estrela do amor de Deus. Assim, pode-se valorizar neste dia o silêncio após a distribuição da comunhão. Quem preside a celebração pode conduzir a assembleia a um momento de reflexão e adoração do Senhor, que se abriga agora em cada pessoa.

19. Bênção Presidente – Deus, que vos chamou das trevas à Sua luz admirável, derrame sobre vós as Suas bênçãos e vos confirme na fé, na esperança e na caridade. Amém.
– Porque seguis confiantes o Cristo, que hoje se manifestou ao mundo como luz entre as trevas, Deus vos torne também uma luz para os vossos irmãos. Amém.
– Terminada a vossa peregrinação, possais chegar ao Cristo Senhor, luz da luz que os magos procuravam guiados pela estrela e com grande alegria encontraram. Amém.
– A bênção de Deus Todo-Poderoso, Pai e Filho e Espírito Santo, desça sobre vós e permaneça para sempre. Amém.
– Ide em paz e o Senhor vos acompanhe. Graças a Deus.

Meditando a Palavra de Deus
Natal e Epifania celebram “a manifestação do Salvador, em nossa realidade humana.” Enquanto no Natal celebramos a Encarnação do Filho de Deus e Seu nascimento no meio do povo, a Epifania realça a caminhada dos magos guiados pela estrela e a manifestação de Jesus Salvador a todos os povos e nações. A festa da Epifania faz-nos sentir peregrinos na fé, junto com toda a humanidade que enfrenta o cansaço do caminho; que vive a busca contínua de um sentido para a vida e para as suas contradições. A estrela indica um caminho alternativo, um caminho que não passa pelo conhecimento dos grandes, mas pelo discernimento dos pequenos e fracos, o caminho que nos leva ao Menino de Belém. A primeira leitura é um belo poema de consolo à comunidade que retorna do cativeiro. O profeta anuncia uma palavra de esperança de que Jerusalém será iluminada de maneira definitiva. Por causa do amor fiel que Deus tem para com Jerusalém, esta será transformada em ponto de convergência da caminhada das nações. A segunda leitura apresenta o projeto salvador de Deus como uma realidade que vai atingir toda a humanidade, juntando judeus e pagãos em uma mesma comunidade de irmãos – a comunidade de Jesus. Paulo, que era judeu, soube incluir povos diferentes na Igreja cristã, soube entender que, havendo unidade no essencial, a diversidade enriquece a missão. O evangelho de hoje é a visita dos magos do Oriente ao Menino Deus e sua mãe que chegam a Jerusalém perguntando pelo rei dos judeus recém-nascido, pois viram sua estrela e vieram homenageá-lo. Herodes tremeu e com ele toda a Jerusalém ligada ao poder. Ele conhecia a esperança do povo e temia como ameaça ao seu poder político. Os magos viram uma estrela. Mais do que ver, identificaram o recado que a estrela trazia. Outras pessoas podem ter visto a estrela e não ter entendido ou não ter se importado. Uma estrela, mesmo muito brilhante, só se torna estrela guia para quem sabe interpretá-la e está disposto a se pôr a caminho. Em nossa vida podem estar brilhando algumas estrelas, chamados de Deus, que não estamos vendo direito. O que atrapalha a clareza da nossa visão? Muitos obstáculos podem nos impedir de ver: preconceitos, acomodação, projetos egoístas, vaidades pessoais… Vale a pena limpar o olhar e buscar inspiração no menino de Belém e no evangelho que ele pregou depois de crescido. Sem olhar para o céu não se veem estrelas, sem buscar um projeto de mundo melhor, na Bíblia, na vida, na voz da Igreja e da própria consciência, não se acha um modo de cumprir a missão para a qual Deus nos chama. O caminho pode ser longo, mas Deus só chama para aquilo que realmente vale a pena, para o que faz de nós pessoas melhores e mais completas. Portanto: ser Povo de Deus é tarefa e missão. Para servi-Lo temos que assumir o evangelho como regra de vida e atender às necessidades de nossos irmãos.

Leituras da Semana
2ª feira: 1Jo 3,22-4,6; Sl 2; Mt 4,12-17.23-25
3ª feira: 1Jo 4,7-10; Sl 71; Mc 6,34-44
4ª feira: 1Jo 4,11-18; Sl 71; Mc 6,45-52
5ª feira: 1Jo 4,19-5,4; Sl 71; Lc 4,14-22a
6ª feira: 1Jo 5,5-13; Sl 147; Lc 5,12-16
Sábado: 1Jo 5,14-21; Sl 149; Jo 3,22-30
Domingo: Is 42,1-4.6-7; Sl 28; At 10,34-38; Mc 1,7-11

Você pode Gostar de:

1º Domingo do Advento (29.11)

1º Domingo do Advento Ano B – cor roxa – 29/11/2020 1. Saudação Presidente – …