Página Inicial / Notícias / Transmitir a fé

Transmitir a fé

Transmitir a fé e aprofundar no mistério cristão, pede Papa aos bispos do Gabão.

CIDADE DO VATICANO, sexta-feira, 26 de outubro de 2007 (ZENIT.org).- A transmissão da fé e o aprofundamento no mistério cristão são as tarefas mais urgentes que Bento XVI confiou aos bispos do Gabão.

Em seu discurso ao episcopado do país africano – cujos prelados foi recebendo nestes dias em audiências separadas –, o Papa desejou que a ocasião fosse para eles «um tempo forte de comunhão eclesial e de vida espiritual».

«Quanto maior for a comunhão entre vós e todos os católicos, mais forte e eficaz será a evangelização», confirmou-lhes.

Entre as tarefas mais urgentes da Igreja no país, o Papa sublinhou «a transmissão da fé e o aprofundamento do mistério cristão»; porque para enfrentar as situações da vida, os fiéis precisam ter «uma formação profunda que lhes dê a possibilidade de basear a vida cristã em princípios claros».

«Não temais preparar para esta tarefa os sacerdotes e leigos – indicou-lhes; assim, as comunidades eclesiais serão mais vivas e os fiéis tirarão da liturgia, da oração pessoal, familiar e comunitária, as forças para ser, em todos os setores da vida social, testemunhas da Boa Nova, artífices da reconciliação, da justiça e da paz, da qual nosso mundo tem mais necessidade que nunca.»

O Santo Padre é consciente de «um certo relaxamento na vida dos cristãos» do país devido às «seduções do mundo», pelo que expressou seu desejo de que estes levem cada vez mais «uma conduta exemplar em valores espirituais e morais».

E não hesitou em exortar os prelados a «dar uma atenção especial à juventude».

«Desejo que os jovens não tenham medo de ser também os primeiros evangelizadores de seus irmãos – expressou. É freqüentemente graças à amizade e ao fato de compartilhar que eles chegam a descobrir Cristo e unir-se a Ele.»

Quanto à escassez de vocações no Gabão, Bento XVI reconheceu que «sempre supõe um sofrimento para um pastor que faltem jovens que aceitem acolher o chamado do Senhor».

Por isso, também pediu «atenção especial» ao seminário de Libreville e a colaboração de sacerdotes, religiosos e famílias para favorecer a transmissão do chamado de Cristo.

Aludindo aos sacerdotes, o Papa afirmou que vivendo «constantemente em intimidade com Cristo, terão uma consciência mais viva da exigência da fidelidade aos compromissos adquiridos ante Deus e ante a Igreja, especialmente a obediência e a castidade no celibato».

«Dessa forma – acrescentou –, viverão seu ministério sacerdotal cada vez como um serviço aos fiéis.»

O Santo Padre dirigiu seu reconhecimento também a «todos os missionários, homens e mulheres, que permitiram» ao Gabão – que está em uma situação interna de estabilidade – contar com uma população de um milhão de habitantes, aproximadamente (50% de católicos). Foi o primeiro país da África subsaariana a assinar um acordo internacional com a Santa Sé.

Você pode Gostar de:

Papa: ser cristão é superar discriminações. O batismo confere igual dignidade a todos

“As diferenças e os contrastes que criam separação não deveriam existir entre os fiéis em …