Página Inicial / Notícias / Nomeações de Bispos

Nomeações de Bispos

O papa Bento XVI nomeou nesta quarta-feira, 30, três bispos para assumirem dioceses vacantes no Brasil. São eles: dom Vicente Costa, que está sendo transferido da diocese de Umuarama (PR) para a vacante diocese de Jundiaí (SP); dom Pedro Luiz Stringhini, que atualmente é bispo auxiliar da arquidiocese de São Paulo (SP) e agora passa a assumir a diocese de Franca (SP); e o arcebispo de Palmas (TO), dom Alberto Taveira Corrêa, que está sendo transferido para a vacante arquidiocese de Belém (PA).

Dom Vicente Costa

Natural de Birkirkara, em Malta, dom Vicente tem 62 anos. Sua ordenação episcopal aconteceu em 19 de setembro de 1998, me Maringá (PR). A filosofia ele estudou na Universidade de Malta [1964 -1968], e a teologia no Studium Theologicum, de Curitiba (PR) [1969 – 1971] e no Instituto Teológico de Curitiba [1971 – 1972] e o doutorado na Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma.

Entre suas atividades episcopais, ele foi bispo auxiliar de Londrina (PR) [1998 – 2002] e atualmente é bispo da diocese de Umuarama. Ele está no cargo desde 09 de outubro de 2002. Seu lema episcopal é “Fazei tudo o que Ele vos disser (Jo2, 5)”.

Dom Pedro Luiz Stringhini

Nascido em 17 de agosto de 1953, dom Pedro Stringhini é filho de Laranjal Paulista, município do interior de São Paulo. Ele é bispo auxiliar de São Paulo [Região Episcopal Belém] desde 18 de março de 2001. Sua ordenação episcopal aconteceu em São Paulo (SP), no dia 10 de março de 2001. Seus estudos teológicos foram feitos na Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção, em São Paulo (SP) [1977 – 1980]; com mestrado em Bíblia pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma [1986 – 1990] e doutorado em Teologia Bíblica [1994 – 1995] na Universidade Gregoriana de Roma, além de ter se formado em Letras, pela Faculdade Anchieta de São Paulo [1972 – 1974]. Seu lema é “Em tua palavra (Lc 5, 5)”.

Dom Alberto Taveira Corrêa

O atual arcebispo de Palmas (TO) é mineiro de Nova Lima. Ele nasceu em 26 de maio de 1950. Seus estudos filosóficos e teológicos foram feitos no Seminário Coração Eucarístico de Jesus e PUC-MINAS, em Belo Horizonte (MG). Além desses, ele estudou Espiritualidade Sacerdotal, no Instituto Mystici Corporis – Fascati, em Roma. Sua ordenação episcopal aconteceu em sua terra natal, no dia 06 de julho de 1991. Ele está à frente da arquidiocese de Palmas desde 31 de maio de 1996. Como bispo, ele já foi auxiliar da arquidiocese de Brasília (DF) [1991 – 1996]; vice-presidente do Conselho Administrativo da Fundação Popularum Progressio; assistente nacional da Renovação Carismática Católica [1994 – 2000]; membor da Comissão Episcopal do DEVYM/Celam [1995 – 1999]; presidente do Regional Centro-Oeste [2003 – 2007]; e delegado da V Conferência Geral do Episcopado da América Latina e Caribe, em 2007. Seu lema episcopal é “Para a Vida do Mundo.

Nesta quarta-feira, 30, o papa Bento XVI nomeou dois novos bispos para o Brasil. O pontífice acolheu a solicitação de dom Washington Cruz, CP, de poder contar com a colaboração de um bispo auxiliar na arquidiocese de Goiânia (GO). Para essa missão, foi nomeado o padre Waldemar Passini Dalbello, do clero da arquidiocese de Brasília (DF), atualmente reitor do Seminário Interdiocesano São João Maria Vianney de Goiânia.

Da mesma forma, o sumo pontífice acolheu ao pedido do arcebispo de São Paulo (SP), o cardeal dom Odilo Pedro Scherer que deseja contar com um novo bispo auxiliar, já que dom Luiz Pedro Stringhini foi transferido para Franca (SP). Para assumir a Região Episcopal de Belém,  Bento XVI nomeou o padre Edmar Perón, atualmente reitor do Seminário de Teologia de Maringá (PR).

Monsenhor Waldemar Passini Dalbello

Nascido em Anápolis (GO), em 6 de junho de 1966, monsenhor Waldemar Passini Dalbello, pertence ao clero de Brasília (DF). Sua ordenação sacerdotal ocorreu em 3 de dezembro de 1994. A filosofia e teologia ele estudou no Seminário Maior Arquidiocesano de Brasília, Nossa Senhora de Fátima. Na Universidade Federal de Goiás (UFG), ele se formou em Engenharia Elétrica. Seu mestrado em Ciências Bíblicas foi feito no Pontifício Instituto Bíblico de Roma. Além desses, ele fez cursos complementares em Línguas Modernas [leitura e comunicação: Inglês, Francês e Italiano.

Em suas atividades pastorais ele foi vigário paroquial da paróquia Nossa Senhora do Rosário de Fátima, em Brasília; formador e professor de Sagrada Escritura no Seminário Maior Arquidiocesano de Nossa Senhora de Fátima e do curso superior de Teologia para Leigos, da arquidiocese de Brasília; diretor espiritual da Comissão Arquidiocesana da Nova Evangelização [arquidiocese de Brasília]; ecônomo do Seminário Maior de Brasília; vigário paroquial da Paróquia Santíssima Trindade e colaborador junto à Nunciatura Apostólica no Brasil. Na arquidiocese de Goiânia, ele é atualmente reitor do Seminário Interdiocesano São João Maria Vianney e professor de Sagrada Escritura no Instituto de Filosofia e Teologia Santa Cruz. Desde 2008, ele é presidente da Organização dos Seminários e Institutos Filosófico -Teológicos do Brasil (OSIB) no Regional Centro – Oeste e reitor do Seminário Santa Cruz – Ano Propedêutico da arquidiocese de Goiânia.

Monsenhor Edmar Perón

O primeiro dos quatro filhos de Leonildo Perón e Aparecida Besagio Perón, o monsenhor Edmar Perón é natural de Maringá (PR), nascido em 04 de março de 1965. Ele cursou filosofia no Seminário Maior Arquidiocesano Nossa Senhora da Glória – Instituto de Filosofia de Maringá [1983 -1985] e teologia no Seminário Paulo VI – Instituto Teológico Paulo VI de Londrina (PR) entre os anos de 1986 a 1989.

Monsenhor Edmar foi ordenado sacerdote em 21 de janeiro de 1990. Desde então serviu à arquidiocese de Maringá como diretor espiritual dos filósofos [1991 a 1997]. Ele também foi vigário paroquial e pároco em diversas paróquias; membro do Conselho Presbiteral e do Colégio de Consultores; assessor de Liturgia e Canto arquidiocesano por nove anos. Após seus estudos em Roma, entre os anos 2000 e 2002, onde fez o mestrado em teologia dogmática, especialização em teologia dos sacramentos, foi professor de teologia dogmática e liturgia, inicialmente no Instituto Teológico Paulo VI e, ultimamente, na PUC – PR – campus Londrina.

Durante os últimos três anos foi reitor do Seminário de Teologia Santíssima Trindade, da arquidiocese de Maringá, situado em Londrina.

Você pode Gostar de:

Papa: ser cristão é superar discriminações. O batismo confere igual dignidade a todos

“As diferenças e os contrastes que criam separação não deveriam existir entre os fiéis em …