Página Inicial / Animação Litúrgica / 24º Domingo do Tempo Comum (11.09)

24º Domingo do Tempo Comum (11.09)

1. Saudação Presidente – Irmãos e irmãs, sejam bem-vindos a celebração do Mistério Pascal de Cristo, nosso Senhor e Salvador. A liturgia deste domingo nos apresenta Deus, que ama todos os seus filhos e filhas, infinita e incondicionalmente; e nem o pecado e o isolamento nos afasta desse amor. Nesta certeza, iniciemos esta celebração com o sinal de nossa fé. Em nome do Pai…
Presidente – A vós, irmãos e irmãs, paz e fé da parte de Deus, o Pai, e do Senhor Jesus Cristo (Ef. 6,23). Bendito seja Deus…
Presidente – É o amor misericordioso de Deus, que em Jesus Cristo recupera nossa dignidade de filhos e filhas, e nos convida a convivermos como irmãos e irmãs na fé. Neste momento, queremos trazer presente as alegrias, esperanças e dificuldades vividas em nossa caminhada eclesial e nossa vida diária, (recordação da vida)
2. Deus nos perdoa Presidente – O Senhor Jesus nos chama à conversão. Reconheçamos ser pecadores e invoquemos com confiança a misericórdia do Pai (silêncio).
3. Hino do Glória Presidente – Glorifiquemos ao Pai que acolhe a todos em Jesus Cristo com seu abraço misericordioso. Jubilosos, rezemos o Hino do Glória.
Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens por Ele amados. Senhor Deus, Rei dos céus, Deus Pai todo-poderoso: nós vos louvamos, nós vos bendizemos, nós vos adoramos, nós vos glorificamos, nós vos damos graças por vossa imensa glória. Senhor Jesus Cristo, Filho unigênito, Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai. Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós. Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica. Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de nós. Só vós sois o Santo, só vós, o Senhor, só vós, o Altíssimo, Jesus Cristo, com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai. Amém.
4. Oração Presidente – Oremos – (silêncio) – Ó Deus, que acolheis com misericórdia o pecador arrependido, concedei que a nossa comunidade sempre se alegre com a volta dos que estavam longe de vossa casa. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.
Deus nos fala
5. Leitura do Livro do Êxodo (32, 7-11. 13-14)
6. Salmo Responsorial (50)(CD Cantando os Salmos) Vou agora, levantar-me, volto à casa do meu pai. (bis)
7. Leitura da Primeira Carta de São Paulo a Timóteo (1, 12-17)
8. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas (15, 1-32)
9. Partilha da Palavra
Nossa resposta
10. Profissão de Fé Presidente – Guiados pela Palavra do Pai de misericórdia, professemos a nossa fé. Creio em Deus Pai…
11. Preces da Comunidade Presidente – Irmãos e irmãs tendo ouvido a Palavra de Deus, elevemos nossas preces, cantando: Ouvi Deus de amor, nosso clamor! (bis)
Presidente – Rezemos a oração de compromisso com a Palavra de Deus.
Senhor, creio que a Tua Palavra é vida e que é ela que gera a tua vida em mim. Por isso, quero agora me comprometer a ler a Tua Palavra, meditá-la e vivê-la todos os dias. Dá-me, Senhor, a luz do Teu Espírito para que ela revele em mim a Tua verdade e transforme o meu coração. Maria, Mãe de Jesus e minha Mãe, ajuda-me a viver este compromisso que agora faço na presença de Jesus. Amém.
12. Apresentação dos Dons
Coleta Fraterna
Ação de Graças
13. Louvação Presidente – Na alegria do acolhimento de Deus a todos os seus filhos e filhas, louvemos ao Pai que nos oferece o seu amor misericordioso.
Deus nos faz irmãos
14. Pai Nosso Presidente – Guiados pelo Espírito de Jesus e iluminados pela sabedoria do Evangelho, ousamos dizer. Pai Nosso…
15. Momento da Paz Presidente – A paz se faz presente quando acolhemos, a exemplo do Pai misericordioso, todos os nossos irmãos e irmãs. Rezemos em silêncio pela paz.
16. Oração Presidente – Oremos – (silêncio) – Ó Deus, que vossa Palavra santifique o corpo e a alma, a vontade e o coração de todos os que a ouvimos e dela nos alimentamos. Assim, vossos servos estarão agindo no mundo, não guiados pelo instinto, mas pela vossa graça. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.
Deus nos envia
17. Breves Avisos

18. Bênção
Presidente – Que Deus vos acolha e vos dê o seu amor. Amém.
– Abençoe-vos o Deus: Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.
– É na prática do perdão e do acolhimento que participamos da festa e da alegria do Pai. Ide em paz e o Senhor vos acompanhe. Graças a Deus.

 

Meditando a Palavra de Deus
Sem dúvida, a parábola mais cativante de Jesus é a do “Pai bom”, mal chamada de “parábola do filho pródigo”. Precisamente este “filho mais moço” atraiu quase sempre a atenção de comentaristas e pregadores. Seu retorno ao lar e a acolhida incrível do pai comoveram todas as gerações cristãs. No entanto, a parábola fala também do “filho mais velho”, um homem que permanece junto ao pai sem imitar a vida desordenada de seu irmão longe do lar. Quando o informam da festa organizada pelo pai para acolher o filho perdido, fica desconcertado. O retorno do irmão não lhe causa alegria, como a seu pai, mas raiva: “Indigna-se a nega-se a entrar” na festa. Nunca abandonou a casa, mas agora se sente como um estranho entre os seus. O pai sai para convidálo com o mesmo carinho com que acolheu seu irmão. Não grita com ele nem lhe dá ordens. Com amor humilde “procura persuadi-lo” a entrar na festa da acolhida. É então que o filho explode, deixando a descoberto todo o seu ressentimento. Passou toda a sua vida cumprindo ordens do pai, mas não aprendeu a amar como ele ama. Só sabe exigir seus direitos e denegrir o irmão. É esta a tragédia do filho mais velho. Nunca abandonou a casa, mas seu coração esteve sempre longe. Sabe cumprir mandamentos, mas não sabe amar. Não entende o amor de seu pai para com aquele filho perdido. Não acolhe nem perdoa, não quer saber nada de seu irmão. Jesus conclui sua parábola sem satisfazer nossa curiosidade: ele entrou na festa ou ficou de fora? Envoltos na crise religiosa da sociedade moderna, habituando-nos a falar de crentes e não crentes, de praticantes e afastados da Igreja, de matrimônios abençoados pela Igreja e casais em situação irregular… Enquanto nós continuamos classificando seus filhos e filhas, Deus continua nos esperando a todos, pois não é propriedade apenas dos bons, nem dos praticantes. Ele é Pai de todos. O “filho mais velho” interpela a nós que acreditamos viver junto do Pai. O que estamos fazendo nós que não abandonamos a Igreja? Assegurar nossa sobrevivência religiosa observando da melhor maneira possível o que está prescrito ou ser testemunhas do amor imenso de Deus para com todos os seus filhos e filhas? Estamos construindo comunidades abertas que sabem compreender, acolher e acompanhar os que buscam a Deus entre dúvidas e interrogações? Levantamos barreiras ou lançamos pontes? Oferecemos-lhes amizade ou olhamos com receio? (O caminho aberto por Jesus; José Antonio Pagola)

Leituras da Semana
2ª feira: 1Cor 11,17-26.33; Sl 39; Lc 7,1-10
3ª feira: 1Cor 12,12-14.27-31a; Sl 99; Lc 7,11-17
4ª feira: Nm 21,4b-9; Sl 77; Fl 2,6-11; Jo 3,13-17
5ª feira: Hb 5,7-9; Sl 30; Jo 19,25-27; Lc 2,33-35
6ª feira: 1Cor 15,12-20; Sl 16; Lc 8,1-3
Sábado: 1Cor 15,35-37.42-49; Sl 55; Lc 8,4-15
Domingo: Am 8,4-7; Sl 112; 1Tm 2,1-8; Lc 16,1-13.

Você pode Gostar de:

Solenidade e São Pedro e São Paulo

Dia do Papa Ano C – cor vermelha – 03/07/2022 1. Saudação Presidente – Queridos …