Página Inicial / Animação Litúrgica / SOLENIDADE DO SANTÍSSIMO CORPO E SANGUE DE CRISTO

SOLENIDADE DO SANTÍSSIMO CORPO E SANGUE DE CRISTO

SOLENIDADE DO SANTÍSSIMO CORPO E SANGUE DE CRISTO
EUCARISTIA FONTE DE COMUNHÃO E DE VIDA
 04 de junho de 2015
SOLENIDADE DO SANTÍSSIMO CORPO E SANGUE DE CRISTO
Cor Litúrgica: Branco
Animador: Meus irmãos, nesta Solenidade de Corpus Christi, nós somos convidados a adorar, louvar e agradecer publicamente ao Cristo que no Sacramento eucarístico continua a nos amar sem reservas. Nesta Liturgia, renovemos nossa fé no mistério da presença do Senhor Ressuscitado, que, vivo, caminha conosco, aquecendo nossos corações. Fiquemos de pé e iniciemos, com alegria, a celebração da Santa Missa

RITOS INICIAIS
1- CANTO DE ENTRADA – 1) O povo de Deus no deserto andava,/ mas à sua frente alguém caminhava./ O povo de Deus era rico de nada,/ só tinha esperança e o pó da estrada./ REFR.: TAMBÉM SOU TEU POVO, SENHOR/ E ESTOU NESTA ESTRADA,/ SOMENTE A TUA GRAÇA ME BASTA E MAIS NADA. 2) O povo de Deus também vacilava,/ às vezes custava a crer no amor./ O povo de Deus chorando rezava,/ pedia perdão e recomeçava. 3) O povo de Deus também teve fome,/ e Tu lhe mandaste o pão lá do céu./ O povo de Deus cantando deu graças,/ provou teu amor, amor que não passa. 4) O povo de Deus ao longe avistou/ a terra querida que o amor preparou./ O povo de Deus corria e cantava,/ e nos seus louvores teu poder proclamava.
2. SAUDAÇÃO DO CELEBRANTE – P.: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. TODOS: AMÉM. P.: O Deus da esperança, que nos cumula de toda alegria e paz em nossa fé, pela ação do Espírito Santo, esteja convosco. TODOS: BENDITO SEJA DEUS, QUE NOS REUNIU NO AMOR DE CRISTO!
3. ATO PENITENCIAL – P.: Irmãos e irmãs, reconheçamos as nossas culpas para celebrarmos dignamente os santos mistérios. (Pausa). Senhor, que viestes salvar os corações arrependidos, tende piedade de nós. TODOS: SENHOR, TENDE PIEDADE DE NÓS. P.: Cristo, que viestes chamar os pecadores humilhados, tende piedade de nós. TODOS: CRISTO, TENDE PIEDADE DE NÓS. P.: Senhor, que intercedeis por nós, junto a Deus Pai que nos perdoa, tende piedade de nós. TODOS: SENHOR, TENDE PIEDADE DE NÓS. P.: Deus de bondade e misericórdia, tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. TODOS: AMÉM.
4- HINO DE LOUVOR – Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens por Ele amados! Senhor Deus, Rei dos céus, Deus Pai todo-poderoso: nós Vos louvamos, nós Vos bendizemos, nós Vos adoramos, nós Vos glorificamos, nós Vos damos graças por Vossa imensa glória! Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito, Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai. Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós! Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica! Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de nós! Só Vós sois o Santo, só Vós o Senhor, só Vós o Altíssimo, Jesus Cristo, com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai. Amém.
5- ORAÇÃO DO DIA – P.: OREMOS: (Pausa) – Senhor Jesus Cristo, neste admirável sacramento, nos deixastes o memorial da vossa Paixão. Dai-nos venerar com tão grande amor o mistério do vosso corpo e
do vosso sangue, que possamos colher continuamente os frutos da vossa redenção. Vós, que sois Deus com o Pai, na unidade do Espírito Santo. TODOS: AMÉM.
LITURGIA DA PALAVRA
Anim.: Irmãos, para que o fiel cristão possa nutrir-se, Cristo nos oferece Sua Palavra também como alimento. Ouçamos com atenção o que Deus tem a nos dizer.
6- 1ª LEITURA (Ex 24, 3-8) – Leitura do livro do Êxodo.
Naqueles dias: 3Moisés veio e transmitiu ao povo todas as palavras do Senhor e todos os decretos. O povo respondeu em coro: ‘Faremos tudo o que o Senhor nos disse’. 4Então Moisés escreveu todas as palavras do Senhor. Levantando-se na manhã seguinte, ergueu ao pé da montanha um altar e doze marcos de pedra pelas doze tribos de Israel. 5Em seguida, mandou alguns jovens israelitas oferecer holocaustos e imolar novilhos como sacrifícios pacíficos ao Senhor. 6Moisés tomou metade do sangue e o pôs em vasilhas, e derramou a outra metade sobre o altar. 7Tomou depois o livro da aliança e o leu em voz alta ao povo, que respondeu: ‘Faremos tudo o que o Senhor disse e lhe obedeceremos’. 8Moisés, então, com o sangue separado, aspergiu o povo, dizendo: ‘Este é o sangue da aliança, que o Senhor fez convosco, segundo todas estas palavras’. Palavra do Senhor. TODOS: GRAÇAS A DEUS
7- SALMO RESPONSORIAL – (DO SALMO 115 (116B) – REFR.: ELEVO O CÁLICE DA MINHA SALVAÇÃO, / INVOCANDO O NOME SANTO DO SENHOR. / 1. Que poderei retribuir ao Senhor Deus / por tudo aquilo que ele fez em meu favor? / Elevo o cálice da minha salvação, / invocando o nome santo do Senhor. / 2. É sentida por demais pelo Senhor / a morte de seus santos, seus amigos. / Eis que sou o vosso servo, ó Senhor, / que nasceu de vossa serva;/mas me quebrastes os grilhões da escravidão! / 3. Por isso oferto um sacrifício de louvor, / invocando o nome santo do Senhor. / Vou cumprir minhas promessas ao Senhor / na presença de seu povo reunido.
8. 2ª LEITURA (Hb 9,11-15) – Leitura da Carta aos Hebreus.
Irmãos e Irmãs: 11Cristo veio como sumo sacerdote dos bens futuros. Através de uma tenda maior e mais perfeita, que não é obra de mãos humanas, isto é, que não faz parte desta criação, 12e não com o sangue de bodes e bezerros, mas com o seu próprio sangue, ele entrou no Santuário uma vez por todas, obtendo uma redenção eterna. 13De fato, se o sangue de bodes e touros, e a cinza de novilhas espalhada sobre os seres impuros os santifica e realiza a pureza ritual dos corpos, 14quanto mais o sangue de Cristo, purificará a nossa consciência das obras mortas, para servirmos ao Deus vivo, pois, em virtude do espírito eterno, Cristo se ofereceu a si mesmo a Deus como vítima sem mancha. 15Por isso, ele é mediador de uma nova aliança. Pela sua morte, ele reparou as transgressões cometidas no decorrer da primeira aliança. E, assim, aqueles que são chamados recebem a promessa da herança eterna. Palavra do Senhor. TODOS: GRAÇAS A DEUS.
9. CANTO DE ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO – REFR.: ALELUIA, ALELUIA, ALELUIA. Eu sou o pão vivo descido do céu; quem deste pão come, sempre, há de viver!
10. PROCLAMAÇÃO DO EVANGELHO (Mc 14, 12-16. 22-26) – P.: O Senhor esteja convosco. TODOS: ELE ESTÁ NO MEIO DE NÓS. P.: Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos. TODOS: GLÓRIA A VÓS, SENHOR!
P.: 12No primeiro dia dos Ázimos, quando se imolava o cordeiro pascal, os discípulos disseram a Jesus: “Onde queres que façamos os preparativos para comeres a Páscoa?” 13Jesus enviou então dois dos seus discípulos e lhes disse: “Ide à cidade. Um homem carregando um jarro de água virá ao vosso encontro. Segui-o 14e dizei ao dono da casa em que ele entrar: ‘O Mestre manda dizer: onde está a sala em que vou comer a Páscoa com os meus discípulos? 15Então ele vos mostrará, no andar de cima, uma grande sala, arrumada com almofadas. Ali fareis os preparativos para nós!” 16Os discípulos saíram e foram à cidade. 22Encontraram tudo como Jesus havia dito, e prepararam a Páscoa. Enquanto comiam, Jesus tomou o pão e, tendo pronunciado a bênção, partiu-o e entregou-lhes, dizendo: “Tomai, isto é o meu corpo”. 23Em seguida, tomou o cálice, deu graças, entregou-lhes e todos beberam dele. 24Jesus lhes disse: “Isto é o meu sangue, o sangue da aliança, que é derramado em favor de muitos. 25Em verdade vos digo, não beberei mais do fruto da videira, até o dia em que beberei o vinho novo no Reino de Deus”. 26Depois de terem cantado o hino, foram para o monte das Oliveiras. Palavra da salvação. TODOS: GLÓRIA A VÓS, SENHOR.
11- HOMILIA
12- PROFISSÃO DE FÉ – Creio em Deus Pai, todo-poderoso, Criador do céu e da terra, e em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor, que foi concebido pelo poder do Espírito Santo, nasceu da Virgem Maria, padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; desceu à mansão dos mortos, ressuscitou ao terceiro dia, subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, donde há de vir a julgar os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo, na Santa Igreja Católica, na comunhão dos Santos, na remissão dos pecados, na ressurreição da carne, na vida eterna. Amém.
13- ORAÇÃO UNIVERSAL: P.: Caríssimos irmãos, antes de celebrar a Ceia do Senhor, à qual todos somos convidados, peçamos a Deus que dê uma fé viva a todos os que se aproximam do Mistério eucarístico. Digamos com toda confiança: Cristo, Pão do céu, ouvi a nossa prece!
TODOS: CRISTO, PÃO DO CÉU, OUVI A NOSSA PRECE!
1) Pelo Santo Padre, o Papa Francisco, pelos Bispos e sacerdotes que na Igreja presidem à celebração da Eucaristia, para que se empenhem sempre mais no zelo pela liturgia, rezemos ao Senhor.

TODOS: CRISTO, PÃO DO CÉU, OUVI A NOSSA PRECE!
2) Pelos governantes de todas as nações, para que, com responsabilidade, justiça e verdade, à luz da Sagrada Eucaristia, garantam ao povo o pleno direito da cidadania, rezemos ao Senhor.

TODOS: CRISTO, PÃO DO CÉU, OUVI A NOSSA PRECE!
3) Pelos Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão, para que saibam realizar seu ministério com humildade e zelo, principalmente nas visitas aos enfermos, rezemos ao Senhor.

TODOS: CRISTO, PÃO DO CÉU, OUVI A NOSSA PRECE!
4) Pela nossa comunidade, para que testemunhe sua adoração ao Cristo Eucarístico por meio da participação nas Santas Missas, nas Horas Santas e pelo engajamento no serviço caritativo da Igreja, rezemos ao Senhor.

TODOS: CRISTO, PÃO DO CÉU, OUVI A NOSSA PRECE!
(Preces Espontâneas)
P.: Atendei, Pai Santo, os pedidos que Vos fazemos com humildade e confiança. Por Cristo, nosso Senhor.
TODOS: AMÉM.
LITURGIA EUCARÍSTICA
14- OFERTAS – 1. Vou Te oferecer a vida e tudo que eu já sei viver. Tempo e trabalho, amor que eu espalho, coisas que me fazem crer. / 2. Vou te oferecer o pranto, aquilo que é meu sofrer. Paz que ainda não sei e tudo que errei, são coisas que me fazem crer. / REFR.: PÃO E VINHO SÃO SINAIS DO TEU AMOR, NELE EU VOU SABER VIVER. ALEGRIA E DOR EU VOU TE OFERECER SÃO COISAS QUE ME FAZEM CRER. ALEGRIA E DOR EU VOU TE OFERECER SÃO COISAS QUE ME FAZEM CRER.
15- P.: Orai, irmãos e irmãs…
16- ORAÇÃO SOBRE AS OFERENDAS – P.: Concedei, ó Deus, à vossa Igreja os dons da unidade e da paz, simbolizados pelo Pão e Vinho que oferecemos na sagrada Eucaristia. Por Cristo, nosso Senhor. TODOS: AMÉM.
17- ORAÇÃO EUCARÍSTICA III – MR (p. 482) – Prefácio da Santíssima Eucaristia II – (MR p. 440) P.: O Senhor esteja convosco. TODOS: ELE ESTÁ NO MEIO DE NÓS. P.: Corações ao alto. TODOS: O NOSSO CORAÇÃO ESTÁ EM DEUS. P.: Demos graças ao Senhor nosso Deus. TODOS: É NOSSO DEVER E NOSSA SALVAÇÃO. P.: Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos graças, sempre e em todo o lugar, Senhor Pai santo, Deus eterno e todo-poderoso, por Cristo Senhor nosso. Reunido com os Apóstolos na última Ceia, para que a memória da Cruz salvadora permanecesse para sempre, Ele se ofereceu a Vós como cordeiro sem mancha e foi aceito como sacrifício de perfeito louvor. Pela comunhão neste sublime sacramento, a todos nutris e santificais. Fazeis de todos um só coração, iluminais os povos com a luz da mesma fé e congregais os cristãos na mesma caridade. Aproximamo-nos da mesa de tão grande mistério, para encontrar por Vossa graça a garantia da vida eterna. Por essa razão, com os anjos e todos os santos, entoamos um cântico novo para proclamar a Vossa bondade, cantando a uma só voz.
TODOS: SANTO, SANTO, SANTO…
P.: Na verdade, vós sois santo, ó Deus do universo, e tudo o que criastes proclama o vosso louvor, porque, por Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, e pela força do Espírito Santo, dais vida e santidade a todas as coisas e não cessais de reunir o vosso povo, para que vos ofereça em toda parte, do nascer ao pôr do sol, um sacrifício perfeito.
TODOS: SANTIFICAI E REUNI O VOSSO POVO!
P.: Por isso, nós vos suplicamos: santificai pelo Espírito Santo as oferendas que vos apresentamos para serem consagradas, a fim de que se tornem o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, que nos mandou celebrar este mistério.
TODOS: SANTIFICAI NOSSA OFERENDA, Ó SENHOR!
P.: Na noite em que ia ser entregue, ele tomou o pão, deu graças e o partiu, e deu a seus discípulos, dizendo: TOMAI, TODOS, E COMEI: ISTO É O MEU CORPO, QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS. Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele tomou o cálice em suas mãos, deu graças novamente e o deu a seus discípulos,
dizendo: TOMAI, TODOS, E BEBEI: ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO POR VÓS E POR TODOS PARA A REMISSÃO DOS PECADOS. FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM. Eis o mistério da fé!
TODOS: ANUNCIAMOS SENHOR A VOSSA MORTE E PROCLAMAMOS A VOSSA RESSURREIÇÃO. VINDE SENHOR JESUS!
P.: Celebrando agora, ó Pai, a memória do vosso Filho, da sua paixão que nos salva, da sua gloriosa ressurreição e da sua ascensão ao céu, e enquanto esperamos a sua nova vinda, nós vos oferecemos em ação de graças este sacrifício de vida e santidade.
TODOS: RECEBEI, Ó SENHOR, A NOSSA OFERTA!
P.: Olhai com bondade a oferenda da vossa Igreja, reconhecei o sacrifício que nos reconcilia convosco e concedei que, alimentando-nos com o Corpo e o Sangue do vosso Filho, sejamos repletos do Espírito Santo e nos tornemos em Cristo um só corpo e um só espírito.
TODOS: FAZEI DE NÓS UM SÓ CORPO E UM SÓ ESPÍRITO!
P.: Que ele faça de nós uma oferenda perfeita para alcançarmos a vida eterna com os vossos santos: a Virgem Maria, Mãe de Deus, São José, seu esposo, os vossos Apóstolos e Mártires, e todos os santos, que não cessam de interceder por nós na vossa presença.
TODOS: FAZEI DE NÓS UMA PERFEITA OFERENDA!
P.: E agora, nós vos suplicamos, ó Pai, que este sacrifício da nossa reconciliação estenda a paz e a salvação ao mundo inteiro. Confirmai na fé e na caridade a vossa Igreja, enquanto caminha neste mundo: o vosso servo o papa Francisco, o nosso bispo Sergio, seus auxiliares, com os bispos do mundo inteiro, o clero e todo o povo que conquistastes.
TODOS: LEMBRAI-VOS, Ó PAI, DA VOSSA IGREJA!
P.: Atendei às preces da vossa família, que está aqui, na vossa presença. Reuni em vós, Pai de misericórdia, todos os vossos filhos e filhas dispersos pelo mundo inteiro.
TODOS: LEMBRAI-VOS, Ó PAI, DOS VOSSOS FILHOS!
P.: Acolhei com bondade no vosso reino os nossos irmãos e irmãs que partiram desta vida e todos os que morreram na vossa amizade. Unidos a eles, esperamos também nós saciar-nos eternamente da vossa glória, por Cristo, Senhor nosso.
TODOS: A TODOS SACIAI COM VOSSA GLÓRIA!
P.: Por ele dais ao mundo todo bem e toda graça. Por Cristo, com Cristo e em Cristo, a vós Deus Pão todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo toda honra e toda a glória, agora e para sempre.
TODOS: AMÉM.
18- RITO DA COMUNHÃO
19- CANTO DE COMUNHÃO – 1) Na comunhão Jesus se dá no pão o cordeiro imolado é refeição. Nosso alimento de amor e salvação. Em torno deste altar somos irmãos./ – REFR.: O PÃO DA VIDA ÉS TU, JESUS, O PÃO DO CÉU,/ O CAMINHO, A VERDADE, VIA DE AMOR,/ DOM DE DEUS, NOSSO REDENTOR. (Bis) / 2)
Toma e come, isto é o meu corpo, que do trigo se faz pão e refeição./ Na Eucaristia o vinho se torna Sangue, verdadeira bebida, nossa alegria.
20- ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO – P.: OREMOS: (Pausa) Dai-nos, Senhor Jesus, possuir o gozo eterno da vossa divindade, que já começamos a saborear na terra, pela comunhão do vosso Corpo e do vosso Sangue. Vós, que viveis e renais para sempre. TODOS: AMÉM.
RITOS FINAIS
*Onde não houver procissão nem bênção com o Santíssimo Sacramento, faz-se os Ritos finais como de costume.
21- BÊNÇÃO DO SANTÍSSIMO – Tão sublime Sacramento/ adoremos neste altar. / Pois o Antigo Testamento/ deu ao Novo o seu lugar./ Venha à fé, por suplemento,/ os sentidos completar./ Ao Eterno Pai cantemos/ e a Jesus o Salvador./ Ao Espírito exaltemos,/ na Trindade eterno amor./ Ao Deus uno e trino demos/ a alegria do louvor./ Amém!/ – CEL.: Do céu lhe deste o pão. – TODOS: QUE CONTÉM TODO O SABOR. – CEL.: OREMOS, SENHOR JESUS CRISTO, QUE NESTE ADMIRÁVEL SACRAMENTO, NOS DEIXASTE O MEMORIAL DE VOSSA PAIXÃO, DAI-NOS VENERAR COM TÃO GRANDE AMOR OS SAGRADOS MISTÉRIOS DE VOSSO CORPO E SANGUE, QUE SEMPRE EXPERIMENTEMOS EM NÓS SUA EFICÁCIA REDENTORA. VÓS QUE VIVEIS E REINAIS COM O PAI, NA UNIDADE DO ESPÍRITO SANTO. AMÉM.
22- FÓRMULA DE LOUVORES EM REPARAÇÃO DAS BLASFÊMIAS – Bendito seja Deus. Bendito seja o seu Santo Nome. Bendito seja Jesus Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro Homem. – Bendito seja o nome de Jesus. – Bendito seja o seu Sacratíssimo Coração. – Bendito seja o seu preciosíssimo Sangue. Bendito seja Jesus no Santíssimo Sacramento do Altar. – Bendito seja o Espírito Santo Paráclito. – Bendita seja a grande Mãe de Deus, Maria Santíssima. – Bendita seja sua santa e Imaculada Conceição. – Bendita seja sua gloriosa Assunção. – Bendito seja o nome de Maria, Virgem Mãe. – Bendito seja São José, seu castíssimo Esposo. – Bendito seja Deus nos seus Anjos e nos seus Santos.
23 – ORAÇÃO PELA IGREJA E PELA PÁTRIA – Deus e Senhor nosso,/ protegei a vossa Igreja./ Dai-lhe Santos Pastores e dignos Ministros./ Derramai vossa bênção sobre o nosso Santo Padre, o Papa,/ sobre o nosso Arcebispo e seu Bispo Auxiliar, sobre o nosso Pároco e todo o Clero. Sobre o Chefe da Nação e a do Distrito Federal/ e sobre todas as pessoas constituídas em dignidade,/ para que governem com justiça, para o bem comum./ Dai ao povo brasileiro paz constante e prosperidade completa./ Favorecei com os efeitos contínuos da vossa bondade/ o Brasil,/ esta Arquidiocese,/ a Paróquia em que habitamos,/ as comunidades de religiosos e de religiosas, os movimentos de leigos e nossa pastoral arquidiocesana,/ o Seminário e as vocações sacerdotais,/ nossas famílias e cada um de nós em particular,/ enfim, todas as pessoas por quem devemos orar/ ou que se recomendaram às nossas orações./ Tende misericórdia das almas dos fiéis que padecem no purgatório./ Dai-lhes, Senhor, o descanso e a vida eterna. (Pai Nosso, Ave Maria, Glória ao Pai).
(Em silêncio, dá-se a bênção com o Santíssimo Sacramento.)

Preparando a Partilha da Palavra
As três leituras de hoje nos conduzem a refletir sobre o significado da Eucaristia e nos ensinam que ela é um alimento. Não é um remédio que produz resultados automaticamente, é preciso tomá-la com fé, isto é, assumindo o compromisso que o gesto de comer o Corpo e beber o Sangue de Cristo envolve. As três leituras insistem na estreita ligação que existe entre a Eucaristia e a vida, entre o Pão que é Cristo e o pão que alimenta o corpo. Não é possível entrar em comunhão com o Corpo do Senhor sem partilhar com os irmãos o pão material. Este aspecto é apresentado com evidência na primeira leitura e no evangelho. A segunda leitura destaca sobretudo a incompatibilidade entre o “partir o pão” e as discórdias na comunidade. A Eucaristia é Ação de Graças e o maior louvor ao Pai, porque nela todos nós nos comprometemos com a solidariedade, a partilha, a comunhão, fazendo a memória do que fez Jesus em toda a sua vida: entregou-se como servo, sobretudo na Páscoa, em que o Pai o exaltou, ressuscitando-o. Somos convidados a ser pessoas e comunidades pascais e eucarísticas, capazes de dar a vida, de partilhar, de criar comunhão, de ser agradecidas, de ser presença e testemunhas do Ressuscitado no dia a dia. A Igreja é chamada a ser sempre a casa aberta do Pai. Um dos sinais concretos desta abertura é ter, por todo o lado, igrejas com as portas abertas. Assim, se alguém quiser seguir uma moção do Espírito e se aproximar à procura de Deus, não esbarrará com a frieza de uma porta fechada. Mas há outras portas que também não se devem fechar: todos podem participar de alguma forma na vida eclesial, todos podem fazer parte da comunidade, e nem sequer as portas dos sacramentos se deveriam fechar por uma razão qualquer. Isto vale, sobretudo, quando se trata daquele sacramento que é a “porta”: o Batismo. A Eucaristia, embora constitua a plenitude da vida sacramental, não é um premio para os perfeitos, mas um remédio generoso e um alimento para os fracos. Estas convicções têm também consequências pastorais, que somos chamados a considerar com prudência e audácia. Muitas vezes agimos como controladores da graça e não como facilitadores. Mas a Igreja não é uma alfândega; é a casa paterna, onde há lugar para todos com a sua vida fadigosa. Se a Igreja inteira assume este dinamismo missionário, há de chegar a todos, sem exceção. Mas a quem deveria privilegiar? Quando se lê o Evangelho, encontramos uma orientação muito clara: não tanto aos amigos e vizinhos ricos, mas sobretudo aos pobres e aos doentes, àqueles que muitas vezes são desprezados e esquecidos, “àqueles que não têm com que te retribuir” (Lc 14, 14). Não devem subsistir dúvidas nem explicações que debilitem esta mensagem claríssima. Hoje e sempre, “os pobres são os destinatários privilegiados do Evangelho”, e a evangelização dirigida gratuitamente a eles é sinal do Reino que Jesus veio trazer. Há que afirmar sem rodeios que existe um vínculo indissolúvel entre a nossa fé e os pobres. Não os deixemos jamais sozinhos! Saiamos, saiamos para oferecer a todos a vida de Jesus Cristo! Repito aqui, para toda a Igreja, aquilo que muitas vezes disse aos sacerdotes e aos leigos de Buenos Aires: prefiro uma Igreja acidentada, ferida e enlameada por ter saído pelas estradas, a uma Igreja enferma pelo fechamento e a comodidade de se agarrar às próprias seguranças. Não quero uma Igreja preocupada com ser o centro, e que acaba presa num emaranhado de obsessões e procedimentos. Se alguma coisa nos deve santamente inquietar e preocupar a nossa consciência é que haja tantos irmãos nossos que vivem sem a força, a luz e a consolação da amizade com Jesus Cristo, sem uma comunidade de fé que os acolha, sem um horizonte de sentido e de vida. Mais do que o temor de falhar, espero que nos mova o medo de nos encerrarmos nas estruturas que nos dão uma falsa proteção, nas normas que nos transformam em juízes implacáveis, nos hábitos em que nos sentimos tranquilos, enquanto lá fora há uma multidão faminta e Jesus repete-nos sem cessar: “Dai-lhes vós mesmos de comer” (Mc 6, 37).
Papa Francisco

Você pode Gostar de:

2ºDomingo do Advento (09.12)

SOMOS CHAMADOS A PREPARAR O CAMINHO DO SENHOR 9 de dezembro de 2018 SEGUNDO DOMINGO …