Página Inicial / Artigos Padres da Arquidiocese / Liturgia 33º Domingo Comum

Liturgia 33º Domingo Comum

LITURGIA – 33º. DOMINGO COMUM – 15.11.2015

“Meus pensamentos são de paz e não de aflição!”

1.Acolhida.
Irmãos e irmãs, somos peregrinos sobre a terra; nosso destino é a vida eterna na glória de Deus.  Está escrito: “O homem vive e morre uma única vez; depois vem o julgamento!” Hb 9,27). Ninguém sabe a hora de sua morte, mas sabe que ela não falha! E a Palavra de Deus fala da certeza do julgamento! Deus vai julgar imparcialmente a todos e de maneira inevitável! Caminhemos com dignidade ao encontro com o Senhor!

2.PALAVRA DE DEUS.
Dn 12,1-3 – Que o mundo vai acabar, até a Ciência sabe disso! A certeza do Julgamento é inevitável é Palavra de Deus. Feliz de quem acredita na Palavra de Deus e se prepara para ele!

Hb 10,11-18 – Jesus fez a sua parte: morreu por nós! Seu Sangue é a moeda do resgate! Agora, é viver como resgatados pelo Sangue de Jesus, como servos pertencentes ao Senhor!
Mc 13,24-32 – O mundo vai acabar!  Como e quando? Ninguém sabe, é segredo do Pai! A nós cabe vigiar e viver com a dignidade de filhos de Deus!

3.Reflexão.

Todos vamos morrer um dia! É o “Fim de nosso mundo pessoal!” E todos seremos julgados por Jesus! Na vida não há o “jeitinho brasileiro”; há somente o “jeito de Jesus!” Ele disse: “O céu e a terra passarão, mas minhas palavras não passarão!” Todos seremos chamados de volta: Quem para a vida eterna e quem para o opróbrio eterno! Certeza do fim de todos e de tudo e certeza do julgamento imparcial e definitivo: uns para a glória e outros para as trevas, para o opróbrio eterno!

A morte é certa e o julgamento também! E nada e ninguém tem poder para impedir o fim de todas as coisas e o fim de nossa vida temporal e carnal (Sl 49,8-9). Deus pagou um alto preço para salvar-nos; a moeda do resgate foi o Sangue de seu próprio Filho, Jesus. Somos salvos pelo Sangue do Filho de Deus! E, não raro, vivemos como se Jesus não tivesse morrido por nós! Quem adora “ídolos” se engana e quem, apenas, acredita na carne perde a própria vida!

O Apóstolo Paulo, pensando na morte de Jesus, afirma não ter mais direito pessoal algum a não ser viver por Ele e para Ele! Aparentemente vegetamos como a flor do jardim: quer brilhar hoje – viver intensamente – mas pela manhã será ceifada pela morte! Nossos valores não vão além da carne mortal e Deus pagou um alto preço para abrir nossos olhos e salvar-nos da morte eterna!

Deus tem paciência de esperar até que seus inimigos sejam postos debaixo de seus pés! (Sl 110). Deus é paciencioso, pois, quer a salvação de todos, mas o julgamento e a sentença para a vida eterna ou para a morte eterna é inevitável!

Que maravilha brilhar como os astros do firmamento, mas o preço é viver como sábios que acreditam e se deixam conduzir pela Palavra de Deus.

“Quem escolhe o caminho da sabedoria,brilha como estrela por toda a eternidade!”

Frei Carlos Zagonel
Fonte: http://www.paroquiansacoxipo.com.br/conteudo.php?sid=44&cid=3492

Você pode Gostar de:

Liturgia do 13º Domingo do Tempo Comum 27.06.2021

“DEUS NÃO FEZ A MORTE E NEM TEM PRAZER COM A DESTRUIÇÃO DOS VIVOS!” 1.Acolhida …