Dia de Finados

COMEMORAÇÃO DE TODOS OS FIÉIS FALECIDOS
TODO AQUELE QUE VIVE E CRÊ EM MIM NÃO MORRERÁ PARA SEMPRE (Jo 11,26)
2 de novembro de 2017
ANO A
Cor Litúrgica: Roxo ou Preto
A.: Meus irmãos, neste dia de silêncio, saudades, esperança e preces, nós recordamos todos os nossos
parentes falecidos e reforçamos a nossa fé na ressurreição da carne e na vida eterna, pois Cristo, que é rico
em amor e misericórdia, é o Senhor da vida. Com esperança, iniciemos a nossa celebração.
RITOS INICIAIS
1. CANTO DE ENTRADA – 1. A vida pra quem acredita, / não é passageira ilusão, / e a morte se torna
bendita/, porque é nossa libertação. / REFR.:NÓS CREMOS NA VIDA ETERNA, E NA FELIZ RESSURREIÇÃO,
QUANDO, DE VOLTA À CASA PATERNA, COM O PAI OS FILHOS SE ENCONTRARÃO. / 2. No céu não haverá
tristeza, /doença, nem sombra de dor,/e o prêmio da fé é a certeza, / de viver feliz com o Senhor.
2. SAUDAÇÃO DO CELEBRANTE – P.: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. TODOS:AMÉM. P.: A
graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam convosco.
TODOS:BENDITO SEJA DEUS, QUE NOS REUNIU NO AMOR DE CRISTO.
3. ATO PENITENCIAL -P.: No início desta celebração eucarística, peçamos a conversão do coração, fonte de
reconciliação e comunhão com Deus e com os irmãos e irmãs. (Pausa.) Confessemos os nossos pecados:
TODOS: Confesso a Deus todo-poderoso e a vós, irmãos e irmãs, que pequei muitas vezes por
pensamentos e palavras, atos e omissões, por minha culpa, minha tão grande culpa. E peço à Virgem
Maria, aos anjos e santos e a vós, irmãos e irmãs, que rogueis por mim a Deus nosso Senhor. P.: Deus todopoderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. TODOS:
AMÉM. P.: Senhor, tende piedade de nós. TODOS: SENHOR, TENDE PIEDADE DE NÓS. P.: Cristo, tende
piedade de nós. TODOS: CRISTO, TENDE PIEDADE DE NÓS. P.: Senhor, tende piedade de nós. TODOS:
SENHOR, TENDE PIEDADE DE NÓS.
4. ORAÇÃO DO DIA – MR (p.693) – P.: OREMOS: (Pausa) – Ó Deus, escutai com bondade as nossas preces e
aumentai a nossa fé no Cristo ressuscitado, para que seja mais viva a nossa esperança na ressurreição dos
vossos filhos e filhas. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. TODOS:
AMÉM.
LITURGIA DA PALAVRA
A.: Irmãos, ouçamos a Palavra de Deus e alimentemos a nossa fé, que fortalece nossa esperança na
ressurreição.
5. 1ª LEITURA (Jó 19, 1.23-27a) – Leitura do Livro de Jó.
1Jó tomou a palavra e disse: 23“Gostaria que minhas palavras fossem escritas e gravadas numa inscrição
24com ponteiro de ferro e com chumbo, cravadas na rocha para sempre! 25Eu sei que o meu redentor está
vivo e que, por último, se levantará sobre o pó; 26e depois que tiverem destruído esta minha pele, na
minha carne, verei a Deus. 27aEu mesmo o verei, meus olhos o contemplarão, e não os olhos dos outros”.
Palavra do Senhor. TODOS: GRAÇAS A DEUS.
6. SALMO RESPONSORIAL – (Do Salmo 26/27)
R.:SEI QUE A BONDADE DO SENHOR EU HEI DE VER NA TERRA DOS VIVENTES! / 1. O Senhor é minha luz e
salvação; de quem eu terei medo? O Senhor é a proteção da minha vida: perante quem eu tremerei?/ 2.
Ao Senhor eu peço apenas uma coisa, e é só isto que eu desejo: habitar no santuário do Senhor por toda a
minha vida; saborear a suavidade do Senhor e contemplá-Lo no seu templo./ 3. Ó Senhor, ouvi a voz do
meu apelo, atendei por compaixão! É vossa face que eu procuro. Não afasteis com ira o vosso servo, sois
vós o meu auxilio!/ 4. Sei que a bondade do Senhor eu hei de ver na terra dos viventes. Espera no Senhor e
tem coragem, espera no Senhor!
2ª LEITURA (1Jo 3, 1-2) – Leitura da Primeira Carta de São João.
Caríssimos: 1Vede que grande presente de amor o Pai nos deu: de sermos chamados filhos de Deus! E nós
o somos! Se o mundo não nos conhece, é porque não conheceu o Pai. 2Caríssimos, desde já somos filhos
de Deus, mas nem sequer se manifestou o que seremos! Sabemos que, quando Jesus se manifestar,
seremos semelhantes a Ele, porque o veremos tal como Ele é. Palavra do Senhor
TODOS: GRAÇAS A DEUS!
8. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO –ALELUIA, ALELUIA, ALELUIA!/É esta a vontade de quem me enviou:/
Que eu não perca nenhum dos que ele me deu,/ mas que eu os ressuscite no último dia.
9. EVANGELHO – (Jo6, 37-40) – P.: O Senhor esteja convosco. TODOS: ELE ESTÁ NO MEIO DE NÓS. P.:
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João. TODOS: GLÓRIA A VÓS, SENHOR!
P.: Naquele tempo, disse Jesus às multidões: 37“Todos os que o Pai me confia virão a mim, e quando
vierem, não os afastarei. 38 Pois eu desci do céu não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele
que me enviou. 39 E esta é a vontade daquele que me enviou: que eu não perca nenhum daqueles que ele
me deu, mas os ressuscite no último dia. 40 Pois esta é a vontade do meu Pai: que toda pessoa que vê o
Filho e nele crê tenha a vida eterna. E eu o ressuscitarei no último dia”. Palavra da Salvação. TODOS:
GLÓRIA A VÓS, SENHOR.
9. HOMILIA
10. ORAÇÃO UNIVERSAL – P.: Irmãos e irmãs, oremos a Deus Pai todo-poderoso, Senhor da vida e da
morte, pedindo-Lhe que dê o descanso eterno a todos os fiéis defuntos, dizendo, com humildade: Senhor,
escutai a nossa prece!
TODOS: SENHOR, ESCUTAI A NOSSA PRECE!
1) Pela Santa Igreja de Deus, para que anuncie a todas as nações a Boa Nova da Salvação e
testemunhe continuamente a esperança da ressurreição, rezemos ao Senhor.
TODOS: SENHOR, ESCUTAI A NOSSA PRECE!
2) Pelos fiéis falecidos de nossa comunidade, para que, justificados pela fé, participem da felicidade e
da recompensa prometidas por Cristo, rezemos ao Senhor.
TODOS: SENHOR, ESCUTAI A NOSSA PRECE!
3) Por todas as pessoas que choram a perda de um ente querido, para que a esperança na vida eterna
seja conforto nesta hora de dor e de saudades, rezemos ao Senhor!
TODOS: SENHOR, ESCUTAI A NOSSA PRECE!
4) Por todos nós aqui reunidos, para que, vivendo a plenitude da fé, participando da comunidade e
exercitando a caridade, mereçamos um dia participar da glória dos santos, rezemos ao Senhor.
TODOS: SENHOR, ESCUTAI A NOSSA PRECE!
(Preces Espontâneas)
P.: Deus nosso Pai, vós que nos enviastes o Vosso Filho não para condenar, mas para salvar todos os
homens, dai-nos a graça de reconhecê-Lo nos excluídos e desprezados deste mundo, para que, quando vier
em Sua glória, nos convide a tomar parte no Seu Reino. Pelo mesmo Jesus Cristo, nosso Senhor.
TODOS: AMÉM.
LITURGIA EUCARÍSTICA
11. CANTO DE OFERTAS –R.: OS OLHOS JAMAIS CONTEMPLARAM/ NINGUÉM PODE EXPLICAR/ O QUE
DEUS TEM PREPARADO / ÀQUELE QUE EM VIDA O AMAR! / 1. As lutas, a dor, o sofrer,/ tão próprios à
vida do ser/ ninguém poderá comparar com a glória sem fim do céu./ 2. Foi Cristo quem nos mereceu,/
com a morte, a vida e o céu/ e ainda se entrega por nós como oferta constante ao Pai.
12.P.:Orai, irmãos e irmãs…
13. ORAÇÃO SOBRE AS OFERENDAS – P.: Acolhei, ó Deus, as nossas oferendas por nossos irmãos e irmãs
que partiram, para que sejam introduzidos na glória com o Cristo, que une os mortos e os vivos no seu
mistério de amor. Por Cristo, nosso Senhor.TODOS: AMÉM.
14. ORAÇÃO EUCARÍSTICA II – MR (p. 478) – Prefácio dos Fiéis Defuntos IV–Do Vale de lágrimas à glória
celeste – MR (p. 465)
15. RITO DA COMUNHÃO
16. CANTO DE COMUNHÃO – 1. Antes da morte e ressurreição de Jesus, /Ele, na ceia, quis se entregar:/
deu-se em comida e bebida pra nos salvar. R.:E QUANDO AMANHECER /O DIA ETERNO, A PLENA VISÃO,/
RESSURGIREMOS POR CRER / NESTA VIDA ESCONDIDA NO PÃO! (BIS)/ 2.Para lembrarmos a morte, a cruz
do Senhor,/ nós repetimos, como Ele fez, /gestos, palavras, até que volte outra vez./ 3. Este banquete
alimenta o amor dos irmãos/ e nos prepara a glória do céu./ Ele é a força na caminhada pra Deus!/ 4. Eis o
pão vivo mandado a nós por Deus Pai!/ Quem o recebe, não morrerá;/ no último dia vai ressurgir, viverá./
5. Cristo está vivo, ressuscitou para nós!/ Esta verdade vai anunciar/a toda terra, com alegria, a cantar.
17. ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO – P.: OREMOS: (Pausa) Fazei, ó Pai, que os vossos filhos e filhas,
pelos quais celebramos este sacramento pascal, cheguem à luz e à paz da vossa casa. Por Cristo, nosso
Senhor.TODOS: AMÉM.
Preparando a Partilha da Palavra
No dia em que celebramos os mortos, tudo fala de vida, de modo que podemos afirmar, com toda certeza e alegria, que morrer é viver. A razão disso tudo é a pessoa de Jesus Cristo, morto e ressuscitado, primeiro fruto dentre os que
ressuscitam dos mortos, nosso irmão mais velho e vencedor da morte. A liturgia de hoje convida-nos a descobrir que o Projeto de Deus para o ser humano é um Projeto de vida. No horizonte final do ser humano não está a morte, o fracasso, o nada, mas está a comunhão com Deus, a realização plena do ser humano, a felicidade definitiva, a vida eterna. Essa liturgia nos convida também a pensarmos, com carinho, este momento de nossas vidas. Estamos preparados para experimentar e  viver o momento da nossa morte? O cristão é aquele que compreende, aprende e vive a morte em uma perspectiva diferente da perspectiva do mundo, porque a vive como participação e certeza
da ressurreição, pela confiança na bondade e  misericórdia do Pai, revelada a nós por Jesus. O cristão vive a morte sem o medo comumente presente nas experiências atuais, porque sua força e esperança estão em Deus, pois em Cristo e por causa de Cristo, a morte não tem mais poder sobre nós. Como afirma o salmista, também nós somos chamados a afirmar: “O Senhor é minha luz e minha salvação; de quem terei medo? O Senhor é quem defende a minha vida; a quem temerei? (Sl 27(26),1). A nossa participação no mistério da ressurreição de Cristo e por isso, da
vida eterna, não é algo automático. Em primeiro lugar está a ação de Deus que, em seu Filho, como dom, nos deu a possibilidade de acesso à vida eterna e à ressurreição, mistério acolhido por nós no Batismo. E em segundo lugar estão a misericórdia e a bondade de Deus, que nos trata diferentemente, não usando as nossas medidas para julgar-nos. As nossas opções de vida diante do projeto que Deus nos oferece em seu Filho Jesus Cristo, contudo, contribuem também para a nossa salvação ou condenação. Daí esta celebração também ser uma oportunidade
para fazermos uma revisão de vida. Que opções temos feito? Como temos nos preparado para acolher de Deus a vida eterna? É pela certeza da ressurreição que a Igreja se acerca aos féis defuntos. Confiamos em Deus e a Deus os nossos entes queridos, na certeza de sua ação divina de transformar suas vidas mortais em vida eterna, participando de sua eternidade e, por isso, de sua divindade, em Jesus Cristo, o vencedor da morte.

RITOS FINAIS
18. BREVES AVISOS
19. BÊNÇÃO FINAL – MR (p. 530)
P.: O Senhor esteja convosco.
TODOS: ELE ESTÁ NO MEIO DE NÓS.
P.: O Deus de toda consolação vos dê a sua bênção, ele que na sua bondade criou o ser humano e deu aos
que creem em seu Filho ressuscitado a esperança da ressurreição.
TODOS: AMÉM.
P.: Deus nos conceda o perdão dos pecados, e a todos os que morreram, a paz e a luz eterna.
TODOS: AMÉM.
P.: E todos nós, crendo que Cristo ressuscitou dentre os mortos, vivamos eternamente com ele.
TODOS: AMÉM.
P.: Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai e Filho e Espírito Santo.
TODOS: AMÉM.
P.: Ide em paz e o Senhor vos acompanhe.
TODOS: GRAÇAS A DEUS.

Você pode Gostar de:

23º Domingo do Tempo Comum(10.09)

JESUS NOS ENSINA A PRÁTICA DA CORREÇÃO FRATERNA 10 de setembro de 2017 Cor Litúrgica: …