Página Inicial / Animação Litúrgica / 31º Domingo do Tempo Comum (30.10)

31º Domingo do Tempo Comum (30.10)

Ano C- cor verde – 30/10/2022

1. Saudação Presidente – Amados irmãos e irmãs, sejam bem-vindos. É com grande alegria que estamos reunidos para celebrar a Páscoa de Cristo e nossa vida de comunidade. Neste último domingo do mês missionário, a liturgia nos fala do encontro de Deus com cada ser humano. O Senhor continua passando em nossas comunidades e chamando mulheres e homens para estar com Ele, sentar se à sua mesa e partilhar de sua intimidade. Confiantes que todos somos chamados a acolher a salvação que nos é oferecida em Jesus Cristo, façamos o sinal de nossa fé. Em nome do Pai…
Presidente – O amor do Pai que enviou Seu Filho para nos salvar, a fidelidade de Jesus Cristo ao projeto de Deus e a força do Espírito Santo, estejam sempre convosco. Bendito seja Deus…
Presidente – Hoje comemoramos o Dia Nacional da Juventude (DNJ). Os jovens representam a esperança de uma nova sociedade, na luta por políticas públicas condizentes com o bem-estar de todos, na preservação do Planeta Terra e na missão evangelizadora. Vamos trazer presente os fatos e acontecimentos da semana que passou. (Recordação da vida).
2. Deus nos perdoa Presidente – O Deus da misericórdia sempre espera de volta os pecadores arrependidos. Cabe a nós, reconhecermos as nossas fraquezas e recorrer à Sua infinita bondade (silêncio) Confiantes, peçamos perdão de nossos pecados. Rezemos.
3. Hino do Glória Presidente – Glorifiquemos a Deus por todos os missionários que exercem sua missão aqui e além fronteiras e por todos os jovens de nossa comunidade, cantando o Hino do Glória.
4. Oração Presidente – Oremos – (silêncio) – Senhor nosso Deus, Jesus chamou para os caminhos da Salvação aqueles que estavam perdidos. Tornai-nos capazes de ouvir a Sua voz e de realizar o bem que desejamos praticar. Fazei-nos partilhar os bens que nos concedeis e receber a Vossa salvação em nossa casa. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.
Deus nos fala
5. Leitura do Livro da Sabedoria (11, 22- 12,2)
6. Salmo Responsorial (144) (CD Cantando os Salmos – Ano C) Bendirei eternamente vosso nome; para sempre, ó Senhor, o louvarei! (bis)
7. Leitura da Segunda Carta de São Paulo aos Tessalonicenses (1, 11-2,2)
8. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas (19, 1-10)
9. Partilha da Palavra
Nossa resposta
10. Profissão de Fé Presidente – No Deus bom e justo que em Jesus Cristo nos liberta e salva, professemos a nossa fé. Creio em Deus Pai…
11. Preces da Comunidade Presidente – Ao Pai que nos ama, nos acolhe e se mostra sempre cheio de misericórdia, elevemos nossas preces, confiantes, digamos: Ouvi-nos e atendei-nos, Senhor!
12. Apresentação dos Dons
Presidente – O amor de Deus não é um feito do passado, mas uma força atual que continua a agir sobre todas as realidades criadas, mantendo-as na existência. Apresentemos ao Altar do Senhor a caminhada dos jovens que sentiram a ação de Jesus e passaram a segui-Lo e testemunhá-Lo na vida e no cuidado com o Planeta Terra.
Coleta Fraterna
Ação de Graças
13. Louvação
Presidente – Louvemos ao Pai pelo dinamismo, pela alegria, pela busca e participação de todos os jovens que unidos anunciam o Evangelho e denunciam os males que afetam outros jovens em nossas comunidades. Cantemos.
Deus nos faz irmãos
14. Pai Nosso Presidente – Atentos ao modelo de oração dado por Cristo, nosso Senhor, rezemos: Pai Nosso…
15. Momento da Paz Presidente – Com o coração repleto do amor de Deus, rezemos em silêncio pela paz.
16. Oração Presidente – Oremos -(silêncio) – Ó Deus, alimentados pela Vossa Palavra (e pela Comunhão) frutifique em nós a Vossa graça, a fim de que, preparados por vossos sacramentos, possamos receber o que prometeis. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.
Deus nos envia
17. Breves Avisos
18. Bênção
Presidente – Deus vos abençoe na sua bondade e infunda em vós a sabedoria da salvação. Amém.
– Sempre vos alimente com os ensinamentos da fé e vos faça perseverar nas boas obras. Amém.
– Oriente para Ele os vossos passos e vos mostre o caminho da caridade e da paz. Amém.
– Abençoe-vos o Deus misericordioso: Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.
– Ide em paz e o Senhor vos acompanhe. Graças a Deus.

Meditando a Palavra de Deus
A Pastoral da acolhida encontra seu fundamento na Palavra de Jesus, o Evangelho. A hospitalidade e o acolhimento são muito fortes neste domingo. Precisamos estar muito atentos a uma verdade de nossa fé: fomos acolhidos por Deus, em primeiro lugar. Desde a criação do mundo e a nossa, como imagem e semelhança divinas, dá-se o acolhimento divino, que alcança seu ápice em Jesus, a ponto de nos dizer que foi Ele quem nos escolheu. Jesus está na casa de Marta e de Maria. Uma está ocupada com seus afazeres. A outra está sentada aos pés de Jesus. Uma está preocupada porque não recebe ajuda. A outra permanece em silêncio, nada diz, põe-se em atitude de escuta. É grande a catequese de Lucas. Pode fazer alguma coisa quem se põe a escutar. Quem não escuta também não aprende, não caminha melhor. Por isso Jesus vai dizer: “Marta, Marta! Tu te preocupas e andas agitada por muitas coisas”. Claro que temos sempre nossas preocupações, mas é importante perguntar a nós mesmos se estamos vivendo o essencial em nossa fé. Maria, aos pés de Jesus, indica o discipulado em torno dele. Estar aos pés do Mestre é estar disposto a segui-Lo realmente. A existência cristã é acolhimento de Deus, é acolher seu ensinamento e suas propostas. E, uma vez dado nosso sim, Deus se põe a nosso lado, assim como fez com Abraão, que acolheu aqueles peregrinos e teve uma grande surpresa de Deus: a notícia do nascimento de Isaac. Jesus é acolhido naquela casa, mas também acolhe a Marta e Maria especialmente, que está atenta a seu ensinamento. Para acolher não podemos estar em um superativismo, como sugere a atitude de Marta, da qual Jesus chama atenção. Não se trata também de somente ficar esperando que tudo aconteça, sem ação, sem decisão. Maria se põe a aprender de Jesus, pois tornar-se-á discípula dele. Por isso não podemos nos pôr nem tanto ao mar, nem tanto à terra. Precisamos ter equilíbrio e discernimento. A contemplação hoje é tão necessária, quanto importante para cada cristão. Devemos aprender a contemplar a presença de Deus entre nós, principalmente nas pessoas, como os peregrinos acolhidos por Abraão. Ele bem sabia que acolher o peregrino é acolher o próprio Deus, e fez isso com toda a sua fé. Certamente podemos melhorar muito nosso acolhimento tanto pessoal quanto comunitário. Há um caminho a ser feito, e assim poderemos ouvir amanhã a mesma palavra de Jesus: “Maria escolheu a melhor parte e esta não lhe será tirada”. Acolhendo aos irmãos, acolhemos ao próprio Deus. Deus Conosco – Reflexões e Sugestões Litúrgicas – 202

 

Leituras da Semana
2ª feira: Fl 2,1-4; Sl 130; Lc 14,12-14
3ª feira: Fl 2,5-11; Sl 21; Lc 14,15-24
4ª feira: Sb 3,1-9; Sl 41; Ap 21,1-5a.6b-7; Mt 5,1-12
5ª feira: Fl 3,3-8a; Sl 104; Lc 15,1-10
6ª feira: Fl 3,17-4,1; Sl 121; Lc 16,1-8
Sábado: Fl 4,10-19; Sl 111; Lc 16,9-15
Domingo: Ap 7,2-4.9-14; Sl 23; 1Jo 3,1-3; Mt 5,1-12a

Você pode Gostar de:

26º Domingo do Tempo Comum (25.09)

1. Saudação Presidente – Queridos irmãos e irmãs, sejam todos bem-vindos! É com muito carinho …