Página Inicial / Animação Litúrgica / Domingo dia 14 de novembro

Domingo dia 14 de novembro

33º DOMINGO DO TEMPO COMUM – É PERMANECENDO FIRMES QUE IREIS GANHAR A VIDA (Lucas 21,19)
Celebrando a Páscoa  de Jesus e nossa, o Senhor nos convida a levantar a cabeça diante das perseguições e a não ter medo.  Por isso somos chamados a retomar o ânimo, servir com alegria, vivendo à luz de sua presença amorosa.No próximo dia 20 fazemos memória a Zumbi dos Palmares, grande líder da luta contra o preconceito racial e, por todas as pessoas discriminadas em sua raça e cultura, na família,  na comunidade e sociedade. 

02. CANTO INICIAL
1. Mestre, bom é estarmos aqui, reunidos bem perto de ti, no silêncio e na paz. Mestre, reunidos no amor, nós viemos ao Monte Tabor para em Ti repousar.
E NÓS CANTAREMOS A MESMA CANÇÃO, UNIDOS NO MESMO CORAÇÃO (bis).
2. Mestre, ao sairmos daqui nós iremos teus passos seguir com sementes nas mãos. Mestre, nós queremos plantar o teu Reino em todo lugar e crescer como irmãos.
Presidente – Irmãos e irmãs, reunidos em nome da Trindade Santa, iniciemos esta celebração com o sinal da nossa fé. EM NOME DO PAI…
Presidente – O Senhor que encaminha os nossos corações para o amor de Deus e a constância de Cristo esteja convosco. BENDITO SEJA DEUS…
03. DEUS NOS PERDOA
Presidente – No início desta celebração peçamos a conversão do coração, fonte de reconciliação e comunhão com Deus e com os irmãos. (pausa) Confiantes na misericórdia do Pai, peçamos perdão por nossas faltas e omissões, cantando.
1. Perdão, Senhor, tantos erros cometi. Perdão Senhor, tantas vezes me omiti. Perdão Senhor, pelos males que causei, pelas coisas que falei, pelo irmão que eu julguei (bis).
PIEDADE, SENHOR, TEM PIEDADE SENHOR. MEU PECADO VEM LAVAR COM TEU AMOR. PIEDADE, SENHOR, TEM PIEDADE SENHOR. E LIBERTA MINHA ALMA PARA O AMOR.
2. Perdão Senhor, porque sou tão pecador. Perdão Senhor, sou pequeno e sem valor. Mas esmo assim Tu me amas, quero então, te entregar meu coração, suplicar o teu perdão (bis).
Presidente – Deus rico em misericórdia, tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. AMÉM.
-Senhor, tende piedade de nós! Senhor…
-Cristo, tende piedade de nós! Cristo…
-Senhor, tende piedade de nós! Senhor…
04. ORAÇÃO
Presidente – Ó Deus, princípio e fim de todas as coisas, vós reunis a humanidade no templo vivo que é Cristo Jesus. Concedei-nos a força de dar testemunho do vosso Filho e que os acontecimentos alegres e tristes, não nos façam perder a esperança no Vosso Reino. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. AMÉM.
Animador(a) – A Palavra de Deus faz-nos pensar sobre a história do mundo e da salvação. Ouçamos atentos.
05. LEITURA DA PROFECIA DE MALAQUIAS (3,19-20a)
06. SALMO RESPONSORIAL (97)
O SENHOR VIRÁ JULGAR A TERRA INTEIRA; COM JUSTIÇA JULGARÁ. (bis)
– Cantai salmos ao Senhor ao som da harpa e da cítara suave! Aclamai, com os clarins e as trombetas, ao Senhor, o nosso Rei!
– Aplauda o mar com todo ser que nele vive, o mundo inteiro e toda gente! As montanhas e os  rios batam palmas e exultem de alegria.
– Exultem na presença do Senhor, pois ele vem, vem julgar a terra inteira. Julgará o universo com justiça e as nações com equidade.
07. LEITURA DA SEGUNDA CARTA DE SÃO PAULO AOS TESSALONICENSES (3,7-12)
08. CANTO DE ACLAMAÇÃO
ALELUIA, ALELUIA! ALELUIA, ALELUIA! (bis)
1. É preciso vigiar e ficar de prontidão, em que dia o Senhor há de vir, não sabem, não!
09. PROC. DO EVANGELHO DE JESUS CRISTO SEGUNDO SÃO LUCAS (21,5-19)
10. PARTILHA DA PALAVRA
11. PROFISSÃO DE FÉ
Presidente – No Deus justo e verdadeiro, que nos oferece seu projeto de vida e salvação, professemos nossa fé. CREIO EM DEUS PAI…
12. PRECES DA COMUNIDADE
Presidente – No Deus que nos liberta do medo e do desânimo, elevemos nossos pedidos.
– Senhor, abençoai vossa Igreja, para que ela seja no mundo sinal do vosso Reino, anunciando a esperança de uma vida plena. Nós vos pedimos.
– Senhor, fortalecei com vosso Espírito todos aqueles que na Igreja e no mundo continuam dando testemunho de Vós; ajudai-os nos momentos de perseguição e sofrimento para que sejam perseverantes. Nós vos pedimos.
– Senhor, iluminai nossos irmãos negros e todas as vítimas de preconceitos para que continuem perseverando na busca de seus direitos. Nós vos pedimos.
(preces espontâneas)
Presidente – Rezemos juntos pelas vocações. Senhor, que a messe não se perca por falta de operários. Desperta nossas comunidades para a missão, ensina nossa vida a ser serviço, fortalece os querem dedicar-se ao Reino na vida consagrada e religiosa. AMÉM.
13. APRESENTAÇÃO DOS DONS
Animador(a) – Jesus sempre alimentou a esperança de seus discípulos, principalmente nos momentos de dificuldades. No passado e ainda hoje, existem pessoas que nos animam em nossa caminhada de fé. Apresentemos ao Senhor a vida de todas essas pessoas que com seu testemunho motivam nossas comunidades a sermos perseverantes em nossa missão.
O presidente motiva a assembleia a lembrar nomes de pessoas que ajudam a manter nossa esperança em construir um mundo melhor (Ex.: nossos avós, pais, catequistas, padres, religiosos e religiosas, professores, etc). Concluir cantando.
SOMOS UM POVO QUE ALEGRE VAI, MARCHANDO DIA A DIA AO ENCONTRO DO PAI. AQUI REUNIDOS NÓS PARTICIPAMOS DESTA IGREJA SANTA QUE PRO CÉU VAI CAMINHANDO.
1. Todos peregrinos pela terra passamos. Nossa fé ardente vai o mundo iluminando.
14. CANTO DE OFERENDAS
(onde houver Celebração da Palavra)
A VIDA DOS JUSTOS ESTÁ NAS MÃOS DE DEUS, NENHUM TORMENTO OS ATINGIRÁ. AOS OLHOS DOS INSENSATOS PARECERAM MORRER; MAS ELES ESTÃO EM PAZ! ALELUIA, ALELUIA!
1. “Senhor, quem morará em vossa casa e em vosso Monte Santo, habitará?” É aquele que caminha sem pecado e pratica a justiça fielmente.
2. “Senhor, quem morará em vossa casa e em vosso Monte Santo, habitará?” Que pensa a verdade no seu íntimo e não solta em calúnias sua língua.
(onde houver Celebração Eucarística)
1. Vou te oferecer a vida e tudo que eu já sei viver. Tempo e trabalho, amor que eu espalho, coisas que me fazem crer.
2. Vou te oferecer o pranto, aquilo que é meu sofrer. Paz que ainda não sei e tudo que errei são coisas que me fazem crer.
3. Pão e vinho são sinais de teu amor, nele eu vou saber viver. Alegria e dor eu vou te oferecer. São coisas que me fazem crer.
15. MOMENTO DE LOUVOR
Presidente – Louvemos ao Senhor que nos concede a graça de sermos comprometidos e perseverantes no anúncio do seu Reino, rezando o hino do Glória.
Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens por ele amados. Senhor Deus, rei dos céus, Deus Pai todo-poderoso: nós vos louvamos, nós vos bendizemos, nós vos adoramos, nós vos glorificamos, nós vos damos graças por vossa imensa glória. Senhor Jesus Cristo, Filho unigênito, Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai. Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica. Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de nós. Só vós sois o Santo, só vós, o Senhor, só vós, o Altíssimo, Jesus Cristo, com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai. AMÉM.
16. PAI NOSSO
Presidente – Com amor e confiança, rezemos a oração que Jesus nos ensinou. PAI NOSSO…
17. ABRAÇO DA PAZ
Animador(a) – Cheios de Esperança e fé saudemo-nos, desejando a paz de Cristo.
1. Cristo, quero ser instrumento de tua paz e do teu infinito amor. Onde houver ódio e rancor que eu leve a concórdia, que eu leve o amor.
ONDE HÁ OFENSA QUE DÓI, QUE EU LEVE O PERDÃO ONDE HOUVER A DISCÓRDIA QUE EU LEVE A UNIÃO E TUA PAZ.
2. Mesmo que haja um só coração que duvide do bem, do amor e da fé, quero com firmeza anunciar a palavra que traz a grandeza da fé.
18. CANTO DE COMUNHÃO (se houver)
1. Jesus, o pão da vida, nasceu pra ser um Rei, mas veio pequenino, sujeito a uma lei. Convive com os pobres, se torna nosso igual e ensina os valores de um reino ideal:
NA FESTA DA PARTILHA, JESUS, ÉS NOSSO PÃO, PRESENÇA QUE ANUNCIA A MESA DOS IRMÃOS! SE HOUVER ACESSO IGUAL AOS BENS DO NOSSO CHÃO, “JUSTIÇA E PAZ”, NA TERRA, ENTÃO, “SE ABRAÇARÃO”!
2. Não vim pra ser servido; eu vim pra lhes servir. E dou o pão dos fortes a quem quer me seguir.  Lavei os pés de todos, e sou o seu Senhor, quem tem autoridade, se faça servidor!
3. Pra colaboradores, Jesus não escolheu os grandes e doutores que o mando corrompeu. Mas pobres, que a verdade do Reino fascinou, lhes deu autoridade, e neles confiou.
4. E diante de Pilatos, Jesus vai afirmar: o Reino da verdade, eu vim testemunhar. Se tens autoridade, foi Deus que concedeu, não vás fazer mau uso de um dom que não é teu!
5. Com Cristo e os irmãos nós viemos comungar e a força desta Ceia nos há de transformar. Queremos ser um povo, formar feliz nação, em que justiça e paz, no amor se abraçarão.
19. ORAÇÃO
Presidente – Senhor, nosso Pai, alimentados pela vossa Palavra (e pela Comunhão) nós vos pedimos a graça de perseverarmos no vosso caminho e vivermos plenamente como filhos da luz, hoje e sempre. Por Cristo, nosso Senhor. AMÉM.
20. NOTÍCIAS E AVISOS
21. BENÇÃO
Presidente – O Senhor vos abençoe e vos guarde. AMÉM.
– O Senhor faça brilhar sobre vós a sua face e vos seja favorável. AMÉM.
– O Senhor dirija para vós o seu rosto e vos dê a paz. AMÉM.
– Abençoe-vos o Deus todo-poderoso: PAI E FILHO E ESPÍRITO SANTO. AMÉM.
– Ide em paz e que o Senhor vos acompanhe. GRAÇAS A DEUS.
22. CANTO FINAL
POVOS TODOS, TODA GENTE, LÍNGUAS, RAÇAS, RELIGIÕES: NOVA HISTÓRIA E HORIZONTE, NOVO CHÃO SEM EXCLUSÕES!
1. Caminhamos para a terra onde corre leite e mel. Dignidade nós veremos: “Nova terra e novo
céu”!
2. Solidários, irmanados na justiça e no perdão, romperemos as cadeias da miséria e opressão.
3. Nossos lábios cantem sempre quem da vida é o Senhor. Os direitos respeitados são também nosso louvor! 
PREPARANDO A PARTILHA DA PALAVRA
Em cada ano, ao concluir o ciclo litúrgico, a Igreja nos propõe a celebração sobre as últimas realidades da história. A linguagem simbólica, com uma série de imagens apocalípticas, evoca o caos do fim dos tempos e reflete o atual momento de nossa história cheio de contradições. Com estes fatos apocalípticos, Ele quer que os discípulos se mantenham firmes na esperança,
perseverantes no testemunho e confiantes na sabedoria de sua palavra salvadora. Ao longo dos tempos e em face de toda espécie de provações, eles deverão oferecer uma inteligente e esperançosa resistência. Esperança e resistência que podem ser comprovadas, hoje, por pessoas, grupos e organizações do povo que, apesar das adversidades, oferecem criativamente à sociedade novas alternativas de vida. Olhando para o atual momento da humanidade, dá a impressão de que este “fim dos tempos” esteja muito próximo de acontecer. Os conflitos entre nações se multiplicam. O domínio dos poderosos sobre os pobres se acentua, empurrando grandes massas humanas à miséria. A violência urbana e o menosprezo da vida parecem incontroláveis. Diante de tudo isto, a gente se pergunta: não será o fim? Jesus nada responde. Limita-se a recomendar a prudência, vigilância e a firme perseverança na prática do bem. A tentação de querer saber sobre o fim dos tempos e a instauração definitiva do Reino de Deus, faz com que as pessoas corram atrás de seitas, grupos, falsas promessas que resolvam seus problemas de forma imediata. Repetidas vezes, em nossos dias, é anunciado o fim do mundo. Houve até quem determinasse a data e a hora. E nada aconteceu! Ocorre que quem determina a data e a hora do fim não são os acontecimentos humanos, mas é Deus, como Senhor da história. Será ele quem proferirá a última palavra, e não o caos das realidades históricas e materiais. Jesus alerta para que as pessoas não se deixem iludir por vãs promessas e reafirmem que um mundo melhor depende principalmente da nossa colaboração. Diante do caos da história e da realidade humana, há quem descarte qualquer possibilidade de mudança. A toda hora se queixam, dizendo: “O mundo não tem mais jeito”, “Não adianta mais lutar”. Esse modo derrotista de pensar não faz parte da comunidade de fé que, cotidianamente, nutre sua esperança de que “um outro mundo é possível”. Notemos que a preocupação é sempre com o amanhã. Quando acontecerá o fim do mundo? Quando virá uma nova sociedade? O Evangelho não responde com datas, mas alerta para a vigilância. Diante disso, o único tempo certo é o da conversão perseverante. Mergulhados nas realidades contraditórias que compõem a história e em face das provações e da demora da instalação definitiva do Reino, o Senhor nos convida à atitude da paciência ativa, da firmeza e da confiança na sua fiel atuação. Paciência não é sinônimo de resignação ou de acomodação. É antes sinal de indignação contra tudo o que submete a vida aos determinismos humanos. É expressão de quem resiste na expectativa do novo céu e da nova terra que Deus vai criar. É a atitude de quem sempre encontra uma alternativa positiva, a favor da qual investe suas energias. Demos graças a Deus Pai pelo dom do Espírito que não deixa esmorecer a coragem de todos quantos doam o melhor de si na promoção da dignidade da pessoa, na renovação da comunidade eclesial e na construção da sociedade justa e fraterna.

LEITURAS DA SEMANA:
2ª feira: Ap 1,1-4, 2,1-5a; Sl 1; Lc 18,35-43
3ª feira: Ap 3,1-6.14-22; Sl 14; Lc 19,1-10
4ª feira: Ap 4,1-11; Sl 150; Lc 19,11-28
5ª feira: Ap 5,1-10; Sl 149; Lc 19,41-44
6ª feira: Ap 10,8-11; Sl 118; Lc 19,45-48
Sábado: Ap 11,4-12; Sl 143; Lc 20,27-40
Domingo: 2Sm 5,1-3; Sl 121; Cl 1,12-20; Lc 23,35-43
“JESUS FALA DA DESTRUIÇÃO DO TEMPLO”
Irmãos e irmãs, a Igreja se reúne para celebrar o dia do Senhor. Na perspectiva do encerramento iminente do Ano Litúrgico, propõe o tema da vigilância e da oração. Devemos estar vigilantes na oração e na busca contínua de adequar a realidade presente ao projeto do Reino que Jesus inaugurou na terra com o seu Mistério Pascal.
Ato Penitencial:  O Senhor Jesus, que nos convida à mesa da Palavra e da Eucaristia, nos chama à conversão. Reconheçamos ser pecadores e invoquemos com confiança a misericórdia do Pai. (pausa) cantando.
Glória:Louvemos ao Senhor que nos concede a graça de sermos comprometidos e perseverantes no anúncio do seu Reino, Cantemos o Hino do Glória.
Entrada da Bíblia: 
Liturgia da Palavra:  1ª Leitura: O importante é que os justos permaneçam fiéis, porque é através deles que Deus vencerá a injustiça.  (in Dehonianos)   
Salmo:  Sl 98(97)  “O Senhor virá julgar a terra inteira; com justiça julgará.”                                       
2ª Leitura:  (2ª Ts  3, 7-12)  Com seu exemplo, o Apóstolo insiste que o pregador sobreviva do seu trabalho.   
Evangelho:(Lc 21, 5-19)  Jesus adverte, haverá perseguição e resistência mas o importante é a coragem de permanecer firmes até o fim.  
Aclamação ao Evangelho: Aclamemos a boa nova cantando….  
Preces da Comunidade:
Ofertório: – Jesus sempre alimentou a esperança de seus discípulos, principalmente nos momentos de dificuldades. Apresentemos ao Senhor a vida de todas essas pessoas que com seu testemunho motivam nossas comunidades a sermos perseverantes em nossa missão.      (motivar a oferta) Cantando….
Comunhão:   Jesus, o pão da vida, nasceu pra ser um Rei, mas veio pequenino, sujeito a uma lei. Convive com os pobres, se torna nosso igual e ensina os valores de um reino ideal:
Mensagem Final: Em cada ano, ao concluir o ciclo litúrgico, a Igreja nos propõe a celebração sobre as últimas realidades da história. A linguagem simbólica, com uma série de imagens apocalípticas, evoca o caos do fim dos tempos e reflete o atual momento de nossa história cheio de contradições. Com estes fatos apocalípticos, Ele quer que os discípulos se mantenham firmes na esperança, perseverantes no testemunho e confiantes na sabedoria de sua palavra salvadora. Ao longo dos tempos e em face de toda espécie de provações, eles deverão oferecer uma inteligente e esperançosa resistência. Esperança e resistência que podem ser comprovadas, hoje, por pessoas, grupos e organizações do povo que, apesar das adversidades, oferecem criativamente à sociedade novas alternativas de vida. Olhando para o atual momento da humanidade, dá a impressão de que este “fim dos tempos” esteja muito próximo de acontecer. Os conflitos entre nações se multiplicam. O domínio dos poderosos sobre os pobres se acentua, empurrando grandes massas humanas à miséria. A violência urbana e o menosprezo da vida parecem incontroláveis.

Você pode Gostar de:

16º Domingo do Tempo Comum (18.07)

16º Domingo do Tempo Comum Ano B – cor verde – 18/07/2021 1. Saudação Presidente …