Página Inicial / Animação Litúrgica / 18º Domingo do Tempo Comum (01.08)

18º Domingo do Tempo Comum (01.08)

Ano B – cor verde – 01/08/2021

1. Saudação
Presidente – Irmãos e irmãs, sejam todos bem-vindos! É com alegria que nos reunimos para celebrar o mistério de nossa fé e nossa vida de comunidade. Hoje iniciamos o mês das vocações e neste dia lembramos com carinho os ministérios ordenados: bispos, padres e diáconos que com amor e dedicação levam o Pão da Palavra e de Eucaristia às nossas comunidades. Na certeza de que Jesus é o Pão Vivo descido do Céu e abre o caminho da santidade para aqueles que Dele se alimentam, façamos o sinal que nos identifica como seguidores de Cristo. Em nome do Pai… Presidente – A graça de Deus nosso Pai, o amor de Jesus, o Pão da Vida e a força transformadora do Espírito Santo, estejam convosco. Bendito seja Deus…
Animador(a) – Reunidos em comunidade neste 18º Domingo do Tempo Comum, somos convidados a realizar a partilha solidária dos nossos bens e nossos dons, e, reunidos para celebrar o Dia do Senhor, trazemos presente os fatos e acontecimentos que marcaram a semana que passou na família, na comunidade e na sociedade (recordação da vida).
2. Deus nos perdoa
Presidente – “Despojai-vos do homem velho e revesti-vos do homem novo, criado à imagem de Deus, em verdadeira justiça e santidade”. Reconhecendo-nos necessitados da misericórdia do Pai, peçamos perdão pelas nossas faltas e omissões na realização do seu plano de amor e salvação (silêncio). Confessemos os nossos pecados.
3. Hino do Glória
Presidente – Glorifiquemos ao Deus da vida que em Jesus nos conduz no caminho da santidade, cantando o Hino do Glória. (Fr. Sandro Duda) Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens por Ele amados. (bis)
4. Oração
Presidente – Oremos – (silêncio) – Ó Deus, Vosso Filho Jesus é o Pão da Vida. Que Vossa Palavra nos alimente e sacie a fome que temos de Vós. Dai-nos o Vosso amor para multiplicarmos o pão e sabermos reparti-lo. Por nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.
Deus nos fala
5. Leitura do Livro do Êxodo (16,2-4.12-15)
6. Salmo Responsorial (77) (CD Cantando os Salmos – Vol II – Ano B) O Senhor deu a comer o pão do céu. (bis)
7. Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios (4,17.20-24)
8. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João (6,24-35)
Partilha da Palavra
Nossa resposta
9. Profissão de Fé Presidente – No Deus que em Seu Filho Jesus, sacia a nossa fome e sede de vida e salvação, professemos a nossa fé. Creio em Deus Pai…
10. Preces da Comunidade
Presidente – Confiantes, elevemos ao Pai os nossos pedidos e a cada prece cantemos: “Tua Igreja eleva o clamor, escutai nossa prece Senhor”. (DR)
Presidente –
Oração pela Vocações. Jesus, Mestre divino, que chamastes apóstolos a vos seguirem, continuai a passar pelos nossos caminhos, pelas nossas famílias, pelas nossas escolas, e continuai a repetir o convite a muitos dos nossos jovens. Dai coragem às pessoas convidadas. Dai força para que vos sejam fiéis na missão de apóstolos leigos, sacerdotes, diáconos, religiosos e religiosas, para o bem do povo de Deus e de toda a humanidade. Amém. (Paulo VI)
11. Apresentação dos Dons
Animador(a) – A Igreja é “sacramento” da íntima união com Deus e da unidade de todo gênero humano. É o Reino de Cristo que, já presente em mistério, se expande por todo o mundo pelo poder de Deus. “Pelo Sacramento da Ordem, a Igreja é governada e multiplicada espiritualmente”. Apresentemos ao Altar do Senhor a vida de nossos bispos, padres, diáconos, Associação Amigos do Seminário e todas as pessoas que contribuem para a formação do Clero e a edificação da nossa Igreja.
Coleta Fraterna
Ação de Graças
12. Louvação
Presidente – Louvemos ao Senhor nosso Deus, por todos os ministros ordenados e pelas pessoas, grupos, ONG’s, movimentos e associações que lutam por uma sociedade justa e fraterna.

Deus nos faz irmãos
13. Pai Nosso Presidente – A vontade do nosso Pai que está nos céus é que sigamos o exemplo do seu Filho Jesus para alcançarmos a vida eterna. Rezemos confiantes. Pai Nosso…
14. Momento da Paz
Animador(a) – A paz é fruto dos nossos gestos de acolhida, perdão, doação de si, partilha dos bens e dos dons. No compromisso de sermos pessoas de paz, rezemos em silêncio.
15. Oração
Presidente – Oremos – (silêncio) – Ó Pai de amor, Vós enviastes Vosso Filho para saciar a nossa fome, concedei que, alimentados pela Vossa Palavra (e pela Comunhão), possamos também saciar a fome de felicidade e paz de tantos irmãos e irmãs sofredores. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.
Deus nos envia
16. Breves Avisos
17. Bênção
Presidente – O Senhor vos abençoe e vos guarde. Amém. – O Senhor faça brilhar sobre vós a Sua face e vos seja favorável. Amém. – Abençoe-vos o Deus Todo-Poderoso: Pai e Filho e Espírito Santo. Amém. – “Esforçai-vos pelo alimento que permanece até a vida eterna”. Ide em paz e o Senhor vos acompanhe. Graças a Deus.

Meditando a Palavra de Deus
Jesus apresenta-Se como o “pão” da vida que desceu do céu para dar vida ao mundo. Aos que O seguem, Jesus pede que aceitem esse “pão” – isto é, que escutem as palavras que Ele diz, que as acolham no seu coração, que aceitem os seus valores. E deve partir de uma profunda convicção de que Só Jesus é o “Pão” que nos dá vida. É preciso aderir a Jesus, o “pão” que o Pai enviou ao mundo para saciar a fome dos homens. A adesão a Jesus implica o deixar de ser homem velho e o passar a ser homem novo. Aquele que aceita Jesus como o “pão” que dá vida, passa a ser uma nova pessoa. O homem velho é o homem dominado pelo egoísmo, pelo orgulho, que vive de coração fechado a Deus e aos irmãos. O homem novo é o homem atento às propostas de Deus, que procura viver na verdade, no amor, na justiça, na partilha, que pratica obras de bondade, de misericórdia e dá testemunho dos valores de Deus. O caminho que percorremos nesta terra é sempre marcado pela procura da nossa realização, da nossa felicidade, da vida plena e verdadeira. Temos fome de vida, de amor, de felicidade, de justiça, de paz, de esperança e procuramos, de mil formas, saciar essa fome. A ideia de que Deus dá ao seu povo o pão necessário para a subsistência (proibindo “juntar” mais do que o necessário para cada dia) é um convite a não nos deixarmos dominar pelo desejo descontrolado de posse dos bens, da ganância que nos torna escravos das coisas materiais. Só Deus é a nossa segurança, só n’Ele devemos confiar, pois só Ele nos liberta e nos leva ao encontro da vida definitiva. Na fala sobre o “Pão da Vida”, Jesus aponta para uma realidade bem maior, ou seja, a partilha, tarefa que Ele não fará sozinho, mas com todos os seus seguidores. É por meio da partilha que acontece o milagre da multiplicação. “A fome de tantas pessoas é sinal de que o projeto de Deus não foi respeitado e que seu Reino ainda não se completou”. A indiferença ao sofrimento e às necessidades das pessoas indica uma fé sem compromisso com a mensagem de Jesus. Poderemos então aproximar-nos para receber o Pão Eucarístico se não estivermos dispostos a partilhar com os irmãos o pão material? Qual é a nossa atitude diante de tantos irmãos e irmãs sofredores?

Leituras da Semana 2ª feira: Nm 11,4b-15; Sl 80; Mt 14,13-21 3ª feira: Nm 12,1-13; Sl 50; Mt 14,22-36 4ª feira: Nm 13,1-3a.25b-14,1.26-30.34-35; Sl 105; Mt 15,21-28; Mt 9,35-10,1 5ª feira: Nm 20,1-13; Sl 94; Mt 16,13-23 6ª feira: Dn 7,9-10.13-14; Sl 96; 2Pd 1,16-19; Mc 9,2-10 Sábado: Dt 6,4-13; Sl 17; Mt 17,14-20 Domingo: 1Rs 19,4-8; Sl 33; Ef 4,30; 5,2; Jo 6,41-51

Você pode Gostar de:

24º Domingo do Tempo Comum (12.09)

24º Domingo do Tempo Comum Ano B – XXXI – cor verde – 12/09/2021 1. …