Página Inicial / Animação Litúrgica / Domingo dia 18 de julho

Domingo dia 18 de julho

16º DOMINGO DO TEMPO COMUM – O SENHOR NOS ACOLHE E NOS ALIMENTA COM A SUA PALAVRA
 Queridos irmãos e irmãs, é com carinho que os acolhemos para celebrar a nossa fé no Ressuscitado e a nossa vida de comunidade. Nesta celebração, o Senhor nos acolhe como hóspedes em sua casa e nos oferece a melhor parte: “sua Palavra e o Pão da Vida”.

01. ACOLHIDA E RECORDAÇÃO DA VIDA
Preparar o espaço celebrativo levando em consideração o mês do dízimo: em local de destaque arrumar um bonito coração, flores, o livro dos dizimistas, envelopes e outros materiais relacionados ao dízimo. Antes de iniciar a celebração, cantar o refrão abaixo.
PROCURO ABRIGO NOS CORAÇÕES, DE PORTA EM PORTA DESEJO ENTRAR. SE ALGUÉM ME ACOLHE COM GRATIDÃO, FAREMOS JUNTOS A REFEIÇÃO.
Animador(a) – Queridos irmãos e irmãs, é com carinho que os acolhemos para celebrar a nossa fé no Ressuscitado e a nossa vida de comunidade. Nesta celebração, o Senhor nos acolhe como hóspedes em sua casa e nos oferece a melhor parte: “sua Palavra e o Pão da Vida”.
Animador(a) – Ofertar o dízimo é uma forma de aprender que Deus ocupa o primeiro lugar em nossa vida. Neste mês dedicado ao dízimo, rezemos por todos nós, dizimistas, para que com a nossa oferta possamos fazer crescer a evangelização e a solidariedade em nossas comunidades. Felizes por sermos acolhidos na casa do Pai, cantemos.
Procissão de entrada como de costume.
02. CANTO INICIAL
É DEUS QUEM ME ABRIGA, O SENHOR, QUEM SUSTENTA A MINHA VIDA! DE TODO O MEU CORAÇÃO, PORQUE ÉS BOM, VOU FAZER-TE A OBLAÇÃO.
1. Alegrai-vos no Senhor! Quem é bom, venha louvar! Peguem logo o violão e o pandeiro pra tocar. Para Ele um canto novo vamos, gente, improvisar.
2. Ele cumpre o que promete: podem Nele confiar! Ele ama o que é direito e Ele sabe bem julgar. Sua palavra fez o céu, fez a terra e fez o mar.
3. Ele faz do mar um açude e governa os oceanos. Toda a terra a Ele teme, mesmo os corações humanos. Tudo aquilo que Ele diz, não nos causa desenganos.
4. Põe abaixo os planos todos desses povos poderosos. E derruba os pensamentos dos malvados orgulhosos. Mas os planos que Ele faz vão sair vitoriosos.
Presidente – Reunidos em nome da Trindade Santa para celebrar o Mistério Pascal de Cristo, façamos o sinal de nossa fé. EM NOME DO PAI…
Presidente – A graça do Filho, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam convosco.
BENDITO SEJA DEUS…
03. DEUS NOS PERDOA
Presidente – Reconheçamos nossa condição de pecadores e imploremos a misericórdia do Pai. (pausa) Confessemos os nossos pecados. Confesso a Deus todo-poderoso e a vós, irmãos e irmãs, que pequei muitas vezes, por pensamentos e palavras, atos e omissões, por minha culpa, minha tão grande culpa, e peço à Virgem Maria, aos anjos e santos, e a vós, irmãos e irmãs, que rogueis por mim a Deus nosso Senhor.
Presidente – Deus de bondade e amor, tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. AMÉM.
– Senhor, tende piedade de nós. Senhor…
– Cristo, tende piedade de nós. Cristo…
– Senhor, tende piedade de nós. Senhor…
04. ORAÇÃO
Presidente – Ó Deus, sede generoso para com os vossos filhos e filhas e multiplicai em nós os dons da vossa graça, para que, repletos de fé, esperança e caridade, guardemos fielmente os vossos mandamentos. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. AMÉM.
 
Animador(a) – Na liturgia de hoje somos chamados a viver a hospitalidade, a acolhida e a partilha. Ouçamos atentos.
05. LEITURA DO LIVRO DOS GÊNESIS (18,1-10a)
06. SALMO RESPONSORIAL (14)
SENHOR, QUEM MORARÁ EM VOSSA CASA? (bis)
– É aquele que caminha sem pecado e pratica a justiça fielmente; que pensa a verdade no seu íntimo e não solta em calúnias sua língua.
– Que em nada prejudica o seu irmão, nem cobre de insultos seu vizinho; que não dá valor algum ao homem ímpio, mas honra os que respeitam o Senhor.
– Não empresta o seu dinheiro com usura, nem se deixa subornar contra o inocente. Jamais vacilará quem vive assim!
07. LEITURA DA CARTA DE SÃO PAULO AOS COLOSSENSES (1,24-28)
08. CANTO DE ACLAMAÇÃO
ALELUIA, ALELUIA, ALELUIA, ALELUIA.
1. Felizes os que observam a Palavra do Senhor de reto coração, e que produzem muitos frutos, até o fim perseverantes!
09. PROCLAMAÇÃO DO EVANGELHO DE JESUS CRISTO SEGUNDO SÃO LUCAS (10,38-42)
10. PARTILHA DA PALAVRA
 
11. PROFISSÃO DE FÉ
Presidente – Professemos nossa fé no Deus que acolhe seus filhos com amor. CREIO EM DEUS PAI…
12. PRECES DA COMUNIDADE
Presidente – Ao Pai que sempre nos acolhe e nos chama à felicidade eterna, elevemos as preces de nossa comunidade, respondendo: OUVI-NOS, SENHOR!
– Senhor, encorajai todas as lideranças de nossa comunidade para que possam compreender que o serviço a vós e ao próximo deve ser fundamentado em vossa Palavra. Nós vos pedimos.
– Senhor, acompanhai os grupos de jovens para que não se fechem em si mesmos, mas sejam abertos ao diálogo com os adultos, à família e à comunidade. Nós vos pedimos.
– Senhor, iluminai todos os que vivem na solidão para que possam encontrar pessoas abertas e hospitaleiras que doam generosamente seu tempo e seu auxílio. Nós vos pedimos.
– Senhor, despertai muitas e santas vocações em nossas comunidades, pois sabemos que a vossa messe é grande e os operários são poucos. Nós vos pedimos.
Presidente – Rezemos juntos a Oração do Dizimista.
Aceitai, Senhor, com meu dízimo, a minha gratidão. Quero ser membro ativo da Igreja. O Senhor me dá tantos dons, a começar pela própria vida. Eu quero devolver em forma de serviço, em forma de oferta. Aceitai, Senhor, o meu desejo de participar na missão da Igreja de santificar, ser anúncio da Boa Nova de Jesus, de transformar o mundo que é Vosso e de todos nós. Aceitai, Senhor, a minha oferta, fruto do meu trabalho e do sacrifício de cada dia. Não quero me omitir e nem somente dar uma esmola. Maria, Mãe de Jesus e nossa, dai-me força de perseverar e de animar outras pessoas a serem dizimistas, e a comprometerem-se com o Reino de Deus. Amém.
13. APRESENTAÇÃO DOS DONS
Animador(a) – Abraão acolheu os visitantes percebendo neles a presença de Deus. Marta e Maria acolheram Jesus e o escutaram. Contribuir com o dízimo é uma forma de acolher o ensinamento de Jesus que nos pede compromisso com a edificação de sua Igreja.
Animador(a) – Apresentemos ao Senhor a nossa gratidão, manifestada na contribuição com o dízimo que ajuda na manutenção de nossa Igreja para a edificação do Reino de Deus.
Membros da equipe do dízimo apresentam uma faixa (ou cartaz) com os dizeres: “Dimensão Religiosa do Dízimo”, e também folhetos litúrgicos, objetos litúrgicos, materiais de catequese e círculos bíblicos, enquanto se canta.
É O DIZIMO SENHOR QUE NOS MOSTRA COM CERTEZA GRATIDÃO AO CRIADOR, COMPROMISSO NA IGREJA. (bis)
14. CANTO DAS OFERENDAS
DÍZIMO É PARTILHA, AMOR, FÉ E DOAÇÃO, QUANDO DOU MEU DÍZIMO, DOU TAMBÉM MEU CORAÇÃO. (bis)
1. Dízimo é partilhar um pouco dos bens, ajudar sem-terra, sem-teto também. Com certeza é matar a fome de alguém. (bis)
2. Dízimo é ajudar minha comunidade a evangelizar campos e cidades. Revelar Jesus nas palavras da verdade. (bis)
3. Dízimo é um dever de todo cristão, é gesto concreto de estar em comunhão. Com caminhada de
todos os irmãos. (bis) 
4. Ao ser dizimista sim, posso dizer que tenho a graça de dar e receber. É este o milagre de dizimista ser. (bis)
15. MOMENTO DE LOUVOR
Presidente – Louvemos ao Senhor por todas as pessoas, grupos, entidades e comunidades que acolhem os irmãos com ternura e alegria.
Este canto é somente para a Celebração da Palavra.
1. Vou cantar, entoar um canto novo, vou sair chamar o povo pra louvar, Aleluia! Assim toda criatura, nossa terra, sol e lua vão louvar e cantar.
SE ALGUÉM TE LOUVA EM SILÊNCIO, TU ACOLHES, Ó SENHOR, SUA ORAÇÃO. SE ALGUÉM ENTOA UM CANTO NOVO, TU ACOLHES, Ó SENHOR, SUA CANÇÃO! ALELUIA!
2. É feliz, quem em ti fez a morada, vida nova, outra casa pra ficar, aleluia! Tu preparas mesa farta e alimentas pra jornada dando amor, luz e paz.
3. O nascer de uma aurora radiante vai dourando a cada instante os trigais, aleluia! E os pequenos e sofridos, nos teus braços acolhidos vão louvar e cantar.
 
16. PAI NOSSO
Presidente – Iluminados pela Palavra de Jesus e guiados por seu espírito acolhedor, rezemos a oração da fraternidade. PAI NOSSO…
17. ABRAÇO DA PAZ
Animador(a) – Acolher com amor é revelar a ternura, a misericórdia e a bondade do nosso Deus. É cultivar os mesmos sentimentos de Jesus em relação ao próximo. Saudemos nosso irmão com um gesto de acolhida e de paz. (à escolha)
18. CANTO DE COMUNHÃO (se houver)
1. Ninguém pode calar a voz, ninguém pode forjar a razão, ninguém pode conter de novo o grito do povo faminto de pão.
SE ENTRE NÓS JÁ EXISTE A PARTILHA ENTREMOS NA FILA DO AMOR COMUNHÃO. (bis)
2. Ó Senhor tantos braços fechados poderiam se abrir, dar as mãos! Quantos lábios tão mudos, cerrados não querem falar, defender o irmão.
3. Ó Senhor tantos trabalhadores e outros tantos sem ocupação esperando trabalho e salário, o pobre e operário a viver de ilusão.
4. Ó meu Deus, há mulheres sofrendo, há crianças na rua, sem pão e a Igreja se faz solidária na prece diária, convida à ação.
19. ORAÇÃO
Presidente – Senhor, Deus de bondade, nosso coração está transbordando de alegria porque nos sentimos acolhidos e amados por vós, que é nosso querido Pai. Que a vossa Palavra (e a vossa Comunhão) nos torne mais acolhedores e capazes de amar cada vez mais o nosso irmão. Por Cristo, nosso Senhor. AMÉM.
 
20. NOTÍCIAS E AVISOS
21. BÊNÇÃO
Presidente – Que o Deus da vida vos fortaleça em vossas fragilidades. AMÉM.
– Que Jesus Cristo vos ensine a serdes fiéis ao seu projeto. AMÉM.
– Que o Espírito Santo vos dê o discernimento necessário para evangelizar. AMÉM.
– Abençoe-vos o Deus todo-poderoso: PAI E FILHO E ESPÍRITO SANTO. AMÉM.
– Ide em paz e o Senhor vos acompanhe. GRAÇAS A DEUS.
22. CANTO FINAL
É O DIZIMO SENHOR QUE NOS MOSTRA COM CERTEZA GRATIDÃO AO CRIADOR, COMPROMISSO NA IGREJA. (bis)
1. Nada me falta em meu caminhar, o Senhor abençoa a quem aprendeu a partilhar. (bis)
2. Vem ser dizimista na comunidade, caminho seguro de verdadeira fraternidade. (bis)
PREPARANDO A PARTILHA DA PALAVRA
Somos acolhidos por Deus e aprendemos dele o sentido de acolher com o coração aberto. Depois oferecemos a Ele a nossa hospitalidade, estendendo-a por todas as pessoas. Acolher é sinal de fidelidade ao mandamento novo, sem fronteiras. Hospedar o outro é hospedar Cristo. A 1ª leitura nos mostra o sentido da hospitalidade na figura de Abraão, recompensado por Deus – que foi seu hóspede – com a promessa de um filho. A 2ª leitura descreve a alegria de Paulo por contemplar em sua própria carne o que falta às tribulações de Cristo em favor da Igreja, como ministro do mistério escondido – “a presença de Cristo em vós, a esperança da glória”. (v. 27) O salmo nos remete à ação de Marta e à ação de Abraão, pois nos aponta os princípios do bem agir, em consonância com os ensinamentos do Senhor: “Senhor, quem morará em vossa casa?” A observação que Jesus faz a Maria no Evangelho – que ela anda ocupada com muitas coisas, mas que uma só é necessária – não é uma recusa do empenho da hospitalidade, mas indica uma escala de valores. Maria escolheu a melhor parte. O que Maria fez é fundamental: escutar. Jesus censura Marta, não porque ela cuida da cozinha, mas porque quer tirar Maria do escutar, para fazê-la entrar no ritmo das suas próprias ocupações. Marta não conhecia a escala de valores de Jesus. Importa acolher em primeiro lugar no coração. Só então a hospitalidade material e as demais ocupações terão sentido. Isso vale na vida pessoal e também na vida comunitária. Comunidades que giram exclusivamente em torno de preocupações e reivindicações materiais acabam esvaziando-se, caem em brigas de personalismo e ambição. Mas comunidades que primeiro acolhem com carinho a Palavra de Deus, saberão desenvolver os projetos materiais certos para pôr a Palavra de Jesus em prática. Procurem primeiro o Reino de Deus, e o resto vem por si!
DIMENSÃO RELIGIOSA DO DÍZIMO
O dízimo deve ser uma opção que liberta. O dízimo deve me ajudar no processo de salvação. Deve me ajudar na minha caminhada para Deus. Tudo o que me leva ao encontro do Pai está dentro da dimensão religiosa. Quando eu contribuo generosamente com minha comunidade e ela me dá condições de caminhar na fé, minha contribuição assume uma importância fundamental na dimensão de salvação pessoal. E para que isto aconteça, não basta o templo: há necessidade de folhetos para acompanhar as liturgias, folhas de cânticos, velas, vinho, hóstias e instrumentos adequados de comunicação para que a palavra seja bem transmitida e bem assimilada. Deve ainda pagar a conta de água, luz, telefone, despesas e sustento do padre e outras pessoas que trabalham nos serviços específicos da Igreja, nas pastorais e na evangelização. No próximo domingo falaremos sobre a Dimensão Missionária do Dízimo.
LEITURAS DA SEMANA:
2ª feira: Mq 6,1-4.6-8; Sl 49; Mt 12,38-42
3ª feira: Mq 7,14-15.18-20; Sl 84; Mt 12,46-50
4ª feira: Jr 1,1.4-10; Sl 70; Mt 13,1-9
5ª feira: Ct 3,1-4a; Sl 62; Jo 20,1-2.11-18
6ª feira: Jr 3,14-17; Jr 31,10-13; Mt 13,18-23
Sábado: Jr 7,1-11; Sl 83; Mt 13,24-30
Domingo: Gn 18,20-32; Sl 137; Cl 2,12-14; Lc 11,1-13
XVI DOMINGO DO TEMPO COMUM  COR VERDE            CICLO C        ANO IMPAR   18 de Julho de 2010. 
 “JESUS VISITA MARTA E MARIA”
Irmãos e irmãs, bem-vindos para a sagrada reunião dominical da Eucaristia. Deixemo-nos visitar por Jesus e acolhamos, com Maria, irmã de Marta, a Palavra da salvação. Assim seremos mais autenticamente discípulos do Bom Mestre e missionários do seu Evangelho. Iniciemos nossa celebração, cantando.  
Ato Penitencial:  Peçamos que o Senhor converta nossas corações, para que tenhamos um olhar igual ao dele, capaz de ver as necessidades do povo com os olhos do Bom Pastor. Cantando.
Glória: Glorificado seja nosso Deus e Senhor pelo olhar compassivo que tem para com seu povo. Cantemos sua glorificação.
Entrada da Bíblia: Alegres e felizes como o Pastor que encontra sua ovelhas, acolhamos a palavra de Deus e seus ensinamentos.  Cantando.
Liturgia da Palavra:  1ª Leitura: (Gn 18,1-10)   Abraão partilha tudo que tem com o irmão que atravessa seu caminho. É a figura do próprio Deus.   (in Dehonianos)   
Salmo: Sl  15(14)  “Senhor, quem morará em vossa casa?”  
2ª Leitura:(Cl 1, 24-28)  Para Paulo, o que é necessário é “acolher Cristo” e construir toda a vida à volta dos seus valores. É isso que é preponderante na experiência cristã. 
Evangelho:(Lc 10, 38-42)  No Evangelho, apresenta-se um outro quadro de hospitalidade e de acolhimento de Deus.
Aclamação ao Evangelho: Aclamemos a boa nova cantando….  
Preces da Comunidade:
Ofertório: – Abraão acolheu os visitantes percebendo neles a presença de Deus. Marta e Maria acolheram Jesus e o escutaram. Apresentemos ao Senhor a nossa gratidão, manifestada na contribuição com o dízimo que ajuda na manutenção de nossa Igreja para a edificação do Reino de Deus.   (motivar a oferta) Cantando….
Comunhão:  Acolher com amor é revelar a ternura, a misericórdia e a bondade do nosso Deus. É cultivar os mesmos sentimentos de Jesus em relação ao próximo.  Cantemos.
Mensagem Final:   O que Maria fez é fundamental: escutar. Jesus censura Marta, não porque ela cuida da cozinha, mas porque quer tirar Maria do escutar, para fazê-la entrar no ritmo das suas próprias ocupações. Marta não conhecia a escala de valores de Jesus. Importa acolher em primeiro lugar no coração. Só então a hospitalidade material e as demais ocupações terão sentido. Isso vale na vida pessoal e também na vida comunitária. Comunidades que giram exclusivamente em torno de preocupações e reivindicações materiais acabam esvaziando-se, caem em brigas de personalismo e ambição. Mas comunidades que primeiro acolhem com carinho a Palavra de Deus, saberão desenvolver os projetos materiais certos para pôr a Palavra de Jesus em prática. Procurem primeiro o Reino de Deus, e o resto vem por si!

Você pode Gostar de:

17º Domingo do Tempo Comum (24.07)

Ano C – cor verde – 24/07/2022 1. Saudação Presidente – Irmãos e irmãs, sejam …