Página Inicial / Animação Litúrgica / Domingo dia 22 de novembro

Domingo dia 22 de novembro

Confira as sugestões litúrgicas para a Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo – 22 de novembro de 2009 – Dia dos Cristãos Leigos  – DEUS É REI E SE VESTIU DE MAJESTADE, GLÓRIA AO SENHOR!”

Sugestões Litúrgicas:
Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo – 22 de novembro de 2009
Dia dos Cristãos Leigos   
”DEUS É REI E SE VESTIU DE MAJESTADE, GLÓRIA AO SENHOR!”
Leituras:
1a. Leitura –Dn 7,13-14
Salmo – :  92(93)
2a. Leitura – Ap 1,5-8
Evangelho: Jo 18,33b-37 (“Eu sou Rei”)
Sugestões Litúrgicas –
Neste domingo da Festa de Cristo Rei e do Dia Nacional dos Leigos, a equipe de liturgia, como um serviço importante para a comunidade de fé, prepara a celebração dando particular atenção às seguintes partes e gestos da celebração:
• espaço celebrativo: destacar o Círio Pascal ou a cruz ornada com um pano branco e com uma palma, que simboliza a vitória; destacar também as mesas da Palavra e da eucaristia;
•acolhida: leigos e leigas que, animados pelo Espírito Santo, deixam suas atividades e suas casas para constituírem a comunidade que tem Cristo como Senhor e Rei;
•procissão de entrada: solenizar a procissão de entrada com a cruz ornamentada com um pano branco e a palma da vitória, acompanhada com o refrão: “Jesus Cristo, ontem, hoje, sempre; ontem, hoje, sempre. Aleluia” ou “Vitória, tu reinarás”, ou ainda “Cristo hoje, Cristo ontem, Cristo para sempre. Amém!” Pode-se acender o Círio Pascal, enquanto a assembléia aclama cantando;
•recordação da caminhada do Ano Litúrgico: após o sinal-da-cruz e a saudação do ministro que preside a celebração, convidar a comunidade a recordar os acontecimentos significativos do Ano Litúrgico que está por findar, evidenciando-se sua vinculação com Cristo, Servo e Rei, como sinal do Reino de Deus presente no meio da comunidade;
•ato penitencial: realizar a aspersão da água benta como recordação da caminhada e da participação na missão “real serviço” de Cristo;
•proclamação do Evangelho: pessoas com velas (leigos e leigas) se aproximam da mesa da Palavra. Enquanto a comunidade aclama cantando um refrão, o ministro incensa o Evangeliário. A proclamação do Evangelho pode ser dialogada;
•profissão de fé: convidar a comunidade a professar sua adesão de fé a Cristo Servo e Rei, tomando-se o modelo da Vigília Pascal e convidando os presentes a se expressarem, no ato da resposta, através de um gesto;
•oração dos fiéis: preparar as preces com a resposta: “Venha a nós o Teu Reino”! ;
•prefácio: cantar o prefácio próprio da Festa de Cristo Rei;
•oração eucarística: cantar as aclamações e o amém da doxologia;
•pai-nosso, oração dos seguidores de Jesus: quem preside deve lembrar que suplicamos “Venha a nós o vosso ( o “teu” – na versão ecumênica) Reino”. Se oportuno, que seja cantado por toda a assembléia;
•comunhão: onde for possível, realiza-la sob as duas sagradas espécies;
•envio e a bênção final: após lembrar que no domingo seguinte inicia-se o tempo do Advento, o ministro abençoa a assembléia (cf. formulário do Tempo Comum V, Missal Romano, pg. 526) e envia (particularmente) os leigos para a missão do anúncio e da construção do Reino.
COR LITÚRGICA: BRANCO
INTRODUÇÃO
C. Irmãos e irmãs, sejam bem-vindos! Celebramos, hoje, a realeza universal de Nosso Senhor Jesus  Cristo. Ele é rei porque é o único mediador da salvação de toda a criação. Sua realeza é universal e tem poder sobre tudo e sobre todos e nenhuma realeza criada escapa ao seu juízo. Ele adquiriu essa dignidade por sua morte na cruz para a remissão dos nossos pecados. Nosso Senhor e Rei é somente Jesus Cristo, o Senhor da vida. Iniciemos nossa celebração, cantando.
Músicas: CD LITURGIA VI;VII E IX – PAULUS; CANTOS E ORAÇÕES
1. ABERTURA
(CD XII faixa 17)
Tu és o rei dos reis! O Deus do céu deu-te reino, força e glória! E entregou nas tuas mãos a nossa história: Tu és rei e o amor é tua a lei!
1. Sou o primeiro e o derradeiro, fui ungido pelo amor. Vós sois meu povo, eu vosso rei, e o Senhor redentor!
2. Vos levarei às grandes fontes, dor e fome não tereis vós sois meu povo, eu vosso rei, junto a mim vivereis!

2. SAUDAÇÃO
P. Em nome do Pai…
T. Amém.
P. O Deus da esperança, que nos cumula de toda alegria e paz em nossa fé, pela ação do Espírito Santo, esteja convosco.
T. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.
3. ATO PENITENCIAL
Irmãos e irmãs, em silêncio pensemos em nossas faltas e imploremos a misericórdia de Deus (pausa). Confiantes no amor do Pai, peçamos perdão.
1. Senhor, que viestes salvar os corações arrependidos.
PIEDADE, PIEDADE, PIEDADE DE NÓS (bis).
2. Cristo, que viestes chamar os pecadores humilhados.
3. Senhor, que intercedeis por nós, junto a Deus Pai que nos perdoa.
P – Deus, Senhor da vida e da história, tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. AMÉM.

4. HINO DE LOUVOR
Glorifiquemos a Deus, que enviou seu Filho Jesus Cristo para que todos tenham vida e vida em abundância, cantando o Hino do Glória.
(CO 938)
1. Glória a Deus no imenso azul do céu! Tão grande é teu amor por tudo que é teu! Paz na terra, ao homem e à mulher! Nós somos filhos teus, teu grande bem querer!
Glória, glória, glória, glória, glória te damos, Senhor! Glória, glória, glória, glória, venha o teu Reino de amor!
2. Glória a ti Jesus, Filho de Deus! Vieste das alturas, morar junto dos teus. Boa nova ao pobre anunciaste. Por nós deste tua vida, Senhor, ressuscitaste!
3. Glória ao Santo Espírito de Deus! Mandado por Jesus, sobre os amigos seus. Suavidade, és nossa comunhão! És força em nossa luta, és nossa animação!

5. ORAÇÃO
P. Oremos (silêncio): Deus eterno e todo-poderoso, que dispusestes restaurar todas as coisas no vosso amado Filho, Rei do universo, fazei que todas as criaturas, libertas da escravidão e servindo à vossa majestade, vos glorifiquem eternamente.  Por N.S.J.C.
T. Amém.
6. PRIMEIRA LEITURA
(DN 7,13-14)
C. O título de Filho do homem, usado em Daniel, é aplicado a Jesus pelos cristãos. É n’Ele que a realeza de Deus se manifesta plenamente.
Leitura da profecia de Daniel
13Continuei insistindo na visão noturna, e eis que, entre as nuvens do céu, vinha um como filho de homem, aproximando-se do Ancião de muitos dias, e foi conduzido à sua presença. 14Foram-lhe dados poder, glória e realeza, e todos os povos, nações e línguas o serviam: seu poder é um poder eterno que não lhe será tirado, e seu reino, um reino que não se dissolverá.
– Palavra do Senhor.
T. Graças a Deus.

7. RESPONSÓRIO     92 (93)
(CD IX Fx 15)
Deus é Rei e se vestiu de majestade, (Glória ao Senhor).
1. Deus é Rei e se vestiu de majestade, * revestiu-se de poder e de esplendor! * Poderoso é o Senhor nos altos céus!
2. Vós firmastes o universo inabalável, * vós firmastes vosso trono,  * desde a origem, * desde sempre, ó Senhor,  * vós existis.
3. Verdadeiros são os vossos testemunhos, * refulge a santidade em vossa casa, * pelos séculos dos séculos, Senhor!
 
8. SEGUNDA LEITURA 
 (Ap 1,5-8)
C. Jesus Cristo é a palavra eficaz do Pai, o primogênito dos mortos. Por seu sangue Ele nos libertou dos pecados e nos fez um povo real e sacerdotal.
Leitura do Livro do Apocalipse.
5Jesus Cristo é a testemunha fiel, o primeiro a ressuscitar dentre os mortos, o soberano dos reis da terra. A Jesus, que nos ama, que por seu sangue nos libertou dos nossos pecados 6e que fez de nós um reino, sacerdotes para seu Deus e Pai, a ele a glória e o poder, em eternidade. Amém. 7Olhai! Ele vem com as nuvens, e todos os olhos o verão – também aqueles que o traspassaram. Todas as tribos da terra baterão no peito por causa dele. Sim. Amém! 8 “Eu sou o Alfa e o Ômega”, diz o Senhor Deus, “aquele que é, que era e que vem, o Todo-poderoso”.
-Palavra do Senhor.
T. Graças a Deus.
9. ACLAMAÇÃO
(CD XII fx 19)
C. Jesus Cristo e somente ele é verdadeiramente o Rei e Senhor do universo. Aclamemos o Evangelho, cantando.
Aleluia, aleluia, aleluia! (bis) Aleluia, aleluia, aleluia! (bis)
É bendito Aquele que vem vindo, que vem vindo em nome do Senhor! * E o Reino que vem, seja bendito, ao que vem e a seu Reino, o louvor!

10. EVANGELHO
(Jo 18,33-37)
P. O Senhor esteja convosco.
T. Ele está no meio de nós.
P. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João.
T. Glória a vós, Senhor.
P. Naquele tempo, 33Pilatos chamou Jesus e perguntou-lhe: “Tu és o rei dos judeus?” 34Jesus respondeu: “Estás dizendo isto por ti mesmo, ou outros te disseram isto de mim?” 35Pilatos falou: “Por acaso, sou judeu? O teu povo e os sumos sacerdotes te entregaram a mim. Que fizeste?” 36Jesus respondeu: “O meu reino não é deste mundo. Se o meu reino fosse deste mundo, os meus guardas lutariam  para que eu não fosse entregue aos judeus. Mas o meu reino não é daqui”. 37Pilatos disse a Jesus: “Então tu és rei?” Jesus respondeu: “Tu o dizes: eu sou rei. Eu nasci e vim ao mundo para isto: para dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade escuta a minha voz”.
– Palavra da Salvação.
T. Glória a vós, Senhor.
Após a proclamação do Evangelho, repetir o canto de aclamação.

PARTILHA DA PALAVRA OU HOMILIA
PREPARANDO A PARTILHA DA PALAVRA
O Evangelho da solenidade de Cristo Rei do Ano B é segundo João. Perguntado por Pilatos, Jesus responde que seu reino não é deste mundo. Pilatos insiste: "Então, tu és rei?" Respondeu Jesus: "Tu o dizes: eu sou rei. Para isto nasci e para isto vim ao mundo: para dar testemunho da verdade. Quem é da verdade, escuta a minha voz". Jesus é rei, mas não como os reis deste mundo. Existe um reino diferente que se realiza em Cristo neste mundo, sem ser deste mundo. Isto significa que Jesus veio instaurar um reino diferente, chamado Reino dos céus. O Filho de Deus feito homem é Senhor do céu e da terra. Nele todas as coisas foram criadas e para Ele tudo existe. Este reinado não se restringe a alguma parte da terra, nem a uma porção de pessoas. A Ele estão sujeitos todos os senhores da terra, os corações de todos os seres humanos. Isso na ordem da criação e na ordem da redenção. Por isso, o Apocalipse pode dizer: "Jesus Cristo é a testemunha fiel, o Primogênito dos mortos, o Príncipe dos reis da terra". Todos hão de reconhecê-lo. Jesus, o Alfa e o Omega, o Senhor da História, instaurou um novo tipo de reinado: "Fez de nós um reino de sacerdotes para Deus, seu Pai, a ele pertence a glória e o domínio pelos séculos dos séculos". Trata-se, pois, de um reinado de ordem espiritual a que devem sujeitar-se e servir todas as instituições terrenas. É um reinado transformado em sacerdócio, em que o dom sagrado tenha a primazia em tudo. Todas as coisas sejam acolhidas e reconhecidas como dom de Deus e todas as realidades sejam orientadas para Deus, por Cristo, com Cristo e em Cristo Jesus. Todas as realidades n’Ele e por Ele adquirem sentido. Jesus não veio fazer concorrência com os reis e senhores desta terra. Ele está acima de todos e todos lhe devem estar sujeitos, queiram ou não. "A Ele foi dado poder, majestade e império, e todos os povos, nações e línguas o serviram. Seu poder é um poder eterno que nunca passará e seu reino jamais será destruído". No fim, "Ele entregará à infinita majestade divina este reino eterno e universal: reino de verdade e de vida, reino da santidade e da graça, reino da justiça, do amor e da paz". Este reino tem início neste mundo e permanecerá para sempre. O Apocalipse nos convida a dizer: "A Ele pertence a glória e o domínio pelos séculos dos séculos. Amém".

11. PROFISSÃO DE FÉ
No Deus e Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo, professemos nossa fé.
P. Creio em Deus Pai todo-poderoso,
T. Criador do céu e da terra; e em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor; que foi concebido pelo poder do Espírito Santo; nasceu da Virgem Maria, padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; desceu à mansão dos mortos; ressuscitou ao terceiro dia; subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, donde há de vir a julgar os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo, na Santa Igreja Católica; na comunhão dos santos; na remissão dos pecados; na ressurreição da carne; na vida eterna. Amém.

12. PRECES DOS FIÉIS
P. Elevemos ao Pai nossas súplicas. Após cada prece, digamos: SENHOR, VENHA A NÓS O VOSSO REINO.
– Senhor, olhai pelo nosso bispo Dom ……, por todos os padres e diáconos, religiosos e religiosas, para que sejam fortalecidos na missão de edificar o Reino de Cristo, anunciando a paz, a justiça e a solidariedade. Nós vos pedimos.
– Senhor, protegei todos os cristãos leigos e leigas engajados nos diversos serviços e ministérios, na Igreja e na sociedade, para que continuem firmes, dando testemunho de fé e esperança, edificando o vosso Reino de amor, justiça e paz. Nós vos pedimos.
– Senhor, despertai os batizados que ainda não se dispuseram ao serviço fraterno em nossas comunidades, para que se sintam motivados a realizar sua missão. Nós vos pedimos.
– Senhor, abençoai as comunidades da nossa Paróquia ….., para que sejam fortalecidas na fé e na missão e estejam sempre a serviço dos mais necessitados. Nós vos pedimos.
(preces espontâneas)
P – Acolhei, Pai Santo, as súplicas de vossa Igreja aqui reunida. Por Cristo, nosso Senhor. AMÉM.

APRESENTAÇÃO DOS DONS
C – A comunidade que reúne os que crêem em Cristo é a comunidade cujo reinado não é dominar o mundo, mas servir a todos a exemplo de Cristo Rei. Reúne-se para reconhecer em Cristo como deve ser sua luta e une-se à sua morte para reinar com Ele.
C – Apresentemos ao altar do Senhor nossa alegria por tantas pessoas que em nossas comunidades, nos diversos segmentos da Igreja e da sociedade, lutam incansavelmente em prol da vida, fazendo o Reino de Cristo acontecer.
 13. CANTO DAS OFERENDAS
SABES, SENHOR, O QUE TEMOS É TÃO POUCO PRA DAR, MAS ESTE POUCO NÓS QUEREMOS COM OS IRMÃOS COMPARTILHAR.
1. Queremos nesta hora, diante dos irmãos, comprometer a vida, buscando a união.
2. Sabemos que é difícil os bens compartilhar, mas com a tua graça, Senhor, queremos dar.
3. Olhando o teu exemplo, Senhor, vamos seguir, fazendo o bem a todos sem nada exigir.

MOMENTO DE LOUVOR
Dir. 2 – Pelos gestos de doação e partilha neste Ano Litúrgico que passou, sinal da presença de Deus entre nós, cantemos agradecidos.
1. Obrigado, Senhor, porque és meu amigo, porque sempre comigo Tu estás a falar, no perfume das flores, na harmonia das cores e no mar que murmura o teu nome a rezar.
ESCONDIDO TU ESTÁS NO VERDE DA FLORESTA, NAS AVES EM FESTA, NO SOL A BRILHAR. NA SOMBRA QUE ABRIGA, NA BRISA AMIGA, NA FONTE QUE CORRE LIGEIRA A CANTAR.
2. Te agradeço ainda porque, na alegria, ou na dor de cada dia posso Te encontrar. Quando a dor me consome murmuro o Teu nome, e mesmo sofrendo eu posso cantar.
3. Obrigado Senhor, obrigado Senhor.

14. ORAÇÃO EUCARÍSTICA  III
(Pref. MR, p. 384)
15. CANTO DA COMUNHÃO
CD VII Fx 22
O Filho do homem virá, virá, na sua glória virá, virá, para julgar virá, virá, todos os povos e reinará!
1. Falou Deus, o Senhor, chamou a terra, do nascente ao poente a convocou. /: Deus refulge em Sião, beleza plena, não se cala ante nós, que ele chamou.:/
2. “Reuni, na minha frente os meus eleitos, que a aliança selaram, ante o altar”. /: testemunho será o próprio céu, porque Deus, ele mesmo, vai julgar.:/
O Filho do homem virá, virá, na sua glória virá, virá, para julgar virá, virá, todos os povos e reinará!
3. Eu não vim criticar teus sacrifícios, estão diante de mim teus holocaustos. /: Não preciso do gado de teus campos, nem dos muito carneiros de teus pastos.:/
4. Faze a Deus sacrifício de louvor, cumpre os votos que a ele tu fizeste. /: Vem, me invoca na hora das angústias, eu virei te livrar do que sofreste.:/
5. Se tu vês um ladrão, foges com ele e com os grupos de adúlteros  te juntas. /: Tua boca utilizas para o mal, trama os lábios as fraudes que são muitas.:/

16. ORAÇÃO PÓS-COMUNHÃO
P. Oremos (silêncio): Senhor, Deus dos pequeninos, dai-nos o vosso Espírito para que possamos reconhecer-vos nos marginalizados e sofredores. Enchei nossos corações com o mesmo amor que levou Jesus a doar sua vida como servidor fiel no vosso Reino. Por Cristo, nosso Senhor. AMÉM.
17. BÊNÇÃO
P – Que o Deus de toda consolação disponha na sua paz os vossos dias e vos conceda as suas bênçãos. AMÉM.
– Sempre vos liberte de todos os perigos e confirme os vossos corações em seu amor. AMÉM.
– E assim, ricos em esperança, fé e caridade, possais viver praticando o bem e chegar felizes à vida eterna. AMÉM.
– Abençoe-vos o Deus todo-poderoso: PAI E FILHO E ESPÍRITO SANTO. AMÉM.
P ou D – Ide em paz e o Senhor vos acompanhe. GRAÇAS A DEUS.

18. CANTO FINAL      
1. O Senhor é Rei, o Senhor é meu Pastor e Rei. (bis)
2. O Senhor está no céu, o Senhor está no mar, na extensão do infinito. (bis)
3. Está no céu, está no mar, na extensão do infinito. (bis)
4. Quando eu vacilar, eu não temerei, pois o Senhor está comigo. (bis)
“Que Cristo propicie a todos os povos paz e unidade!”
Fontes:
•A prática da caridade é a liturgia que agrada a Deus, CNBB, Paulus/Paulinas, 2006
•Dia do Senhor, Marcelo Guimarães e Penha Carpanedo, Tempo Comum Ano B, Paulinas, 2003
•Liturgia Dominical, Johan Konings, Vozes, 2003
•Missal Romano
•Hinários Litúrgicos da CNBB
•Ofício Divino das Comunidades (OCD), Paulus, 1994

SOLENIDADE DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO REI DO UNIVERSO CICLO B   ANO PAR  22 de Novembro de  2009  -PAROQUIA SÃO GONÇALO PORTO – CUIABA –  ”UM REI QUE VEIO PARA NOS SALVAR”            
Queridos irmãos e irmãs,  bem-vindos para celebração da realeza universal de Nosso Senhor Jesus Cristo, mediador da salvação de toda a criação. Sua vitória na Cruz tornou-se a deliberação da vitória do amor e concretizou  o rumo certeiro  da história da salvação. Neste domingo celebremos  o “Dia do Leigo e da Leiga” pessoas engajadas na comunidade. Cantemos para iniciarmos a celebração eucarística.
Ato Penitencial:  Conscientes das nossas limitações e da nossa fragilidade como cristãos, humildemente pedimos perdão a Deus e a nossos irmãos. Cantemos.
Glória: No globo terrestre, simbolizamos o trabalho de tantas pessoas comprometidas com a missão de levar a mensagem de vida nova a todos os povos. Alegres, por este dia festivo, elevamos ao Senhor um hino de louvor ao Rei dos reis.  Cantemos nosso hino de Louvor.
Entrada da Bíblia:  
Liturgia da Palavra:  1ª Leitura:  Página:       1155      (Dn  7, 13-14)   O  título de Filho do homem, usado em Daniel, é aplicado a Jesus pelos cristãos. É n’Ele que a realeza de Deus se manifesta plenamente.
Salmo: Página:  773  Sl  93 (92)  Deus é Rei e se vestiu de majestade, glória  ao Senhor! 
2ª  Leitura:  Página:   1590   (Ap 1, 5-8)    Jesus Cristo é a palavra eficaz do Pai, o primogênito dos mortos. Por seu sangue Ele nos libertou dos pecados e nos fez um povo real e sacerdotal.
Evangelho:  Página:  1382    (Jo 18, 33-37) Jesus Cristo e somente ele é verdadeiramente o Rei e Senhor do universo.
Aclamação ao Evangelho:  Aclamemos a boa nova cantando….  
Preces da Comunidade:
Ofertório:  No pão e no vinho do nosso ofertório estão contidos todos os gestos daqueles que trabalham promovendo o Reino de Deus, sendo exemplo de paz e promotores da justiça. (motivar a oferta)  Cantando….
Comunhão: Cristo Rei vem ao encontro na comunhão e nos fortalece para continuarmos na promoção do seu reino.  Cantemos.
Mensagem Final: A festa de Cristo Rei encerra o ano litúrgico. Depois de uma caminhada seguindo e aprendendo com os ensinamentos de Jesus, somos chamados a confirmá-lo como nosso Rei. Mais do que palavras, tal confirmação exige de nós uma atitude coerente de amor a Deus e à vida.

Você pode Gostar de:

16º Domingo do Tempo Comum (18.07)

16º Domingo do Tempo Comum Ano B – cor verde – 18/07/2021 1. Saudação Presidente …