Página Inicial / Animação Litúrgica / 32º Domingo do Tempo Comum

32º Domingo do Tempo Comum

Ano C – XXIII – Nº 1420 – 32º Domingo do Tempo Comum – cor verde – 10/11/2013
O SENHOR NOSSO DEUS NOS RESSUSCITARÁ
PARA A VIDA ETERNA.
Preparar o espaço celebrativo que expresse alegria e esperança. Ornamentar uma vela grande com flores, deixando-a em destaque na porta da igreja para utilizá-la no momento oportuno. Iniciar a celebração cantando.
Eu sei, eu sei, eu sei em quem acreditei. (bis)
01. ACOLHIDA
Animador (a) – Queridos irmãos e irmãs é com grande alegria que nos reunimos para celebrar a nossa fé no Cristo ressuscitado, fonte de esperança na ressurreição. Proclamamos neste domingo que “nosso Deus é o Deus dos vivos”, o Deus da vida que nos chama a viver “ressuscitados”. Que nesta celebração o Espírito de amor nos fortaleça, e perseverantes, cheguemos à realização definitiva deste “sonho” que nos alimenta: o Reino de justiça, de paz e de fraternidade. Alegres cantemos.
Procissão de entrada como de costume.
02. CANTO INICIAL
Somos um povo que alegre vai, marchando dia a dia ao encontro do Pai. Aqui reunidos nós participamos desta Igreja Santa que pro céu vai caminhando.
1 – Todos congregados pelo amor do Senhor, nossa voz unida cantará seu louvor.
2 – Todos peregrinos pela terra passamos. Nossa fé ardente vai o mundo iluminando.
3 – Temos alegria de viver como irmãos. Entre nós começa a unidade dos cristãos.
4 – A esperança fala de um mundo melhor onde não existe mais tristeza nem dor.
Presidente – Como filhos do Deus da vida, façamos o sinal da nossa fé. Em nome do Pai…
Presidente – O Deus da esperança, que nos cumula de toda alegria e paz em nossa fé, pela ação do Espírito Santo, esteja convosco. Bendito seja Deus…
03. DEUS NOS PERDOA
Presidente – Em Jesus Cristo, o justo, que intercede por nós e nos reconcilia com o Pai, abramos o nosso espírito ao arrependimento para sermos dignos da misericórdia de Deus (pausa). Confessemos os nossos pecados. Confesso a Deus Pai…
Presidente – Deus de bondade, tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. Amém.
Solo: Senhor, Senhor, piedade de nós!
Ass.: Senhor, Senhor, piedade de nós!
Solo: Cristo Jesus, piedade de nós!
Ass.: Cristo Jesus, piedade de nós!
Solo: Senhor, Senhor, piedade de nós!
Ass.: Senhor, Senhor, piedade de nós!

HINO DE LOUVOR
04. ORAÇÃO
Presidente – Ó Deus Pai, autor da vida e da ressurreição, acolheis os que em vós morreram. Fazei que a Palavra de vosso Filho, semeada em nossos corações, torne o mundo totalmente novo. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.
Sem nenhum comentário a assembleia senta-se, enquanto se canta.
Desça como a chuva a tua Palavra, que se espalhe como orvalho, como chuvisco na relva, como aguaceiro na grama. Amém!
05. LEITURA DO SEGUNDO LIVRO DOS MACABEUS (7, 1-2.9-14)
06. SALMO RESPONSORIAL (16)
Ao despertar, me saciará vossa presença e verei a vossa face! (bis)
– Ó Senhor, ouvi a minha justa causa, escutai-me e atendei o meu clamor! Inclinai o vosso ouvido à minha prece, pois não existe falsidade nos meus lábios!
– Os meus passos eu firmei na vossa estrada, e por isso os meus pés não vacilaram. Eu vos chamo, ó meu Deus, porque me ouvis, inclinai o vosso ouvido e escutai-me!
– Protegei-me qual dos olhos a pupila e guardai-me, à proteção de vossas asas. Mas eu verei, justificado, a vossa face e ao despertar me saciará vossa presença.
07. LEITURA DA SEGUNDA CARTA DE SÃO PAULO AOS TESSALONICENSES (2, 16-3,5)
08 . CANTO DE ACLAMAÇÃO
Aleluia, Aleluia, Aleluia.
1 – Jesus Cristo é o Primogênito dos mortos; a Ele a glória e o domínio para sempre!
09. PROCLAMAÇÃO DO EVANGELHO DE JESUS CRISTO SEGUNDO SÃO LUCAS (20, 27-38)
10. PARTILHA DA PALAVRA
11. PROFISSÃO DE FÉ
Presidente – Firmes na esperança da vida eterna, professemos a nossa fé. Creio em Deus Pai…
12. PRECES DA COMUNIDADE
Presidente – Na certeza da ressurreição e confiantes no amor de Deus, elevemos os pedidos de nossa comunidade.
– Senhor, ajudai a vossa Igreja a divulgar, com dedicação e comprometimento a vossa Palavra para que Ela seja conhecida por todo o mundo, “até os confins da terra”. Nós vos pedimos.
– Senhor, fortalecei-nos em nossa caminhada, com vosso Espírito de amor, para que,perseverantes, cheguemos à realização do vosso Reino de justiça, de paz e de fraternidade. Nós vos pedimos.
– Senhor, firmai na fé e na esperança os professores e a juventude peregrina, que caminha rumo ao Santuário Nossa Senhora da Saúde em Ibiraçu, para que sejam fortalecidos na missão evangelizadora de nossa Diocese. Nós vos pedimos.
(A equipe de celebração prepara outras preces conforme a realidade)
Presidente – Acolhei, Pai Santo, os pedidos que vos apresentamos. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.
13. APRESENTAÇÃO DOS DONS
Animador(a) – “O Evangelho nos orienta que Deus não é o Deus dos mortos, mas dos vivos, pois todos vivem para Ele.” Apresentemos ao altar do Senhor, nossas vidas na disposição de acolher e vivenciar o seu projeto de amor na fidelidade, em busca da vida eterna e da feliz ressurreição.
Durante o comentário uma pessoa entra com a vela que se encontra na entrada da igreja, erguendo-a, enquanto se canta. A seguir, deposita-a aos pés do altar, ou junto à cruz processional.
Eu creio num mundo novo, pois Cristo ressuscitou! Eu vejo sua luz no povo, por isso alegre sou.
14. CANTO DAS OFERENDAS
(onde houver Celebração da Palavra)
Eu creio num mundo novo, pois Cristo ressuscitou! Eu vejo sua luz no povo, por isso alegre sou.
1 – Em toda pequena oferta, na força da união, no pobre que se liberta, eu vejo ressurreição!
2 – Na mão que foi estendida, no dom da libertação, nascendo uma nova vida, eu vejo ressurreição!
3 – Na fé dos que estão sofrendo, no riso do meu irmão, na hora em que está morrendo, eu vejo ressurreição!
(onde houver Celebração Eucarística)
As nossas ofertas de vinho e de pão celebram a glória da ressurreição.
1 – O grão que morrera no seio do chão renasce no trigo, tornando-se pão. A uva amassada, pisada, moída, ressurge no vinho, sustento da vida.
2 – O pão e o vinho são hoje memória do novo Cordeiro na sua vitória, sinais da aliança da terra e dos céus. No Corpo e no Sangue do Filho de Deus.
3 – Ao Pai ofertamos também nossa vida, o chão que pisamos, a relva florida, os frutos da terra, por nós cultivados se tornem o Corpo do Ressuscitado.
PAI NOSSO
Presidente – Rezemos com amor e confiança a oração que o Senhor nos ensinou. Pai Nosso…
17. ABRAÇO DA PAZ
Animador(a) – A paz é fruto de quem promove os valores do Reino. Como filhos e filhas do Deus da paz, saudemo-nos com um gesto de comunhão fraterna.
Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz!
1 – Onde houver ódio, que eu leve o amor. Onde
houver ofensa, que eu leve o perdão. Onde houver discórdia, que eu leve a união. Onde houver dúvida, que eu leve a fé. Onde houver erro, que eu leve a verdade. Onde houver desespero, que eu leve a esperança. Onde houver tristeza, que eu leve a alegria. Onde houver trevas, que eu leve a luz.
2 – Ó Mestre! Fazei que eu procure mais, consolar que ser consolado, compreender que ser compreendido. Amar, que ser amado. Pois é dando que se recebe. É perdoando que se é perdoado. E é morrendo que se vive para a vida eterna.
18. CANTO DE COMUNHÃO (se houver)
1 – O meu Reino tem muito a dizer não se faz como quem procurou aumentar os celeiros bem mais e sorriu. Insensato, que vale tais bens, se hoje mesmo terás o teu fim? Que tesouros tu tens pra levar além?
Sim, Senhor, nossas mãos vão plantar o teu Reino! O teu pão vai nos dar teu vigor, tua paz!
2 – O meu Reino se faz bem assim se uma ceia quiseres propor, não convides amigos, irmãos e outros mais. Sai à rua a procura de quem não puder recompensa te dar, que o teu gesto lembrado será por Deus.
3 – O meu Reino quem vai compreender? Não se perde na pressa que têm sacerdote e levita que vão sem cuidar. Mas se mostra em quem não se contêm se aproxima e procura o melhor para o irmão agredido que viu no chão.
4 – O meu Reino não pode aceitar quem se julga maior que os demais por cumprir os preceitos da lei, um a um. A humildade de quem vai além e se empenha e procura o perdão é o terreno onde pode brotar a paz.
5 – O meu Reino é um apelo que vem transformar as razões de viver que te faz desatar tantos nós que ainda tens. Dizer sim é saberes repor tudo quanto prejuízo causou dar as mãos, repartir, acolher, servir!
19. ORAÇÃO
Presidente – Ó Deus, criador e defensor da vida, o vosso Filho Jesus venceu a morte pela sua ressurreição. Unidos a Ele possamos vencer toda injustiça e todo mal. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.
20. NOTÍCIAS E AVISOS
21. BÊNÇÃO
Presidente – O Senhor faça brilhar sobre vós a sua face e vos seja favorável. Amém.
– O Senhor dirija para vós o seu rosto e vos dê a paz. Amém.
– Abençoe-vos o Deus todo-poderoso: Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.
– Ide em paz e que o Senhor vos acompanhe. Graças a Deus.
22. CANTO FINAL
Vamos em paz e o Senhor nos acompanhe para sempre! Nossa missão é construir um mundo novo, mais irmão!
1 – Vamos repartir mais alegria num mundo que se esvazia do sentido de viver. Vamos crer na força da verdade para que a humanidade sinta a vida renascer.
2 – Vamos neste mundo de incerteza, defender com mais firmeza o calor da união. Onde não houver fraternidade levemos nossa amizade em verdadeira comunhão.
PARTILHA DA PALAVRA
A liturgia deste domingo propõe-nos uma reflexão sobre “o final dos tempos, a realização definitiva do Reino e o julgamento de Deus na história”. Na primeira leitura, temos o testemunho de sete irmãos que deram a vida pela fé, durante a perseguição movida contra os judeus. O que deu coragem e força aos sete irmãos mártires para enfrentar a tortura e a morte foi a certeza de que Deus reserva a vida eterna àqueles que, neste mundo, percorrem, com fidelidade, os seus caminhos. Quem acredita na ressurreição não pode deixar-se paralisar pelo medo, pois o mesmo nos impede de defender os valores em que acreditamos. A certeza que animou o testemunho de tantos mártires de ontem e de hoje é que quem se compromete com a luta pela justiça e pela verdade, as forças da morte não o podem vencer ou destruir. São Paulo em sua carta aos Tessalonicenses nos faz um convite: manter o diálogo e a comunhão com Deus, enquanto esperamos pela segunda vinda de Cristo e a vida nova que Deus nos reserva. Só com a oração será possível mantermo-nos fiéis ao Evangelho e termos a coragem de anunciar a todos a Boa Nova da salvação. É com a ajuda de Deus que o missionário proclama fielmente o Evangelho e vence as dificuldades, as injustiças, as incompreensões, as oposições ao seu trabalho e ao seu testemunho. No Evangelho, Jesus garante que a ressurreição é a realidade que nos espera. No entanto, não vale a pena imaginar como será. A forma como isso acontecerá é um mistério, mas é uma certeza absoluta. A nossa existência de ressuscitados será plena, total e nova. Muitos ainda não acreditam na ressurreição, preferem pensar que existe outra forma de vida futura, o que conta são apenas os valores deste mundo. A ressurreição é a esperança que dá sentido a toda a caminhada do cristão. A nossa vida presente deve ser, pois, uma caminhada tranquila, confiante, alegre em direção a essa nova realidade, ainda quando feita de sofrimento e dor. A certeza da ressurreição é uma realidade que esperamos, é algo que influencia as nossas ações, os nossos valores, as nossas atitudes; nos dá a coragem de enfrentar as forças da morte que dominam o mundo, de maneira que o novo céu e a nova terra que nos esperam comecem desde já, aqui e agora. É essa certeza que anima a nossa luta e que dá força ao nosso compromisso. Nossa Comunidade caminha movida pela justiça de Deus e alimentada pela força da oração?

LEITURAS DA SEMANA
2ª feira: Sb 1,1-7; Sl 138; Lc 17,1-6
3ª feira: Sb 2,23-3,9; Sl 33; Lc 17,7-10
4ª feira: Sb 6,1-11; Sl 81; Lc 17,11-19
5ª feira: Sb 7,22-8,1; Sl 118; Lc 17,20-25
6ª feira: Sb 13,1-9; Sl 18; Lc 17, 26-37
Sábado: Sb 18,14-16; 19,6-9;Sl 104; Lc 18,1-8
Domingo: Ml 3,19-20a; Sl 97; 2Ts 3,7-12; Lc 21,5-19

Você pode Gostar de:

16º Domingo do Tempo Comum (18.07)

16º Domingo do Tempo Comum Ano B – cor verde – 18/07/2021 1. Saudação Presidente …